Sustentabilidade

Seu protetor solar ajuda a destruir os oceanos; mas tem solução

por: Redação Hypeness

O calor tá de rachar e se tem uma coisa que aprendemos ao longo dos verões da vida é que precisamos usar protetor solar. Mas quem poderia imaginar que nosso parceiro essencial das idas à praia seria um dos maiores poluidores dos oceanos? E sinto informar, mas essa poluição não vem somente das embalagens plásticas, mas de componentes químicos da maior parte das marcas de protetor solar que contaminam a água, prejudicam a vida marinha e a nossa saúde.

Proteger a pele sem deixar de pensar na natureza é a principal vantagem da primeira linha de protetor solar do Brasil 100% segura para os corais, da Australian Gold. A marca traz a recordista mundial de surf, Maya Gabeira e a campeã mundial de skate Letícia Bufoni, para apresentar o conceito “Minha energia é solar” e os novos produtos para corpo e rosto.

Sustentabilidade e proteção

Produtos não-biodegradáveis na pele são responsáveis por quantidades de 6 mil a 14 mil toneladas de químicos que chegam ao mar – seja num mergulho ou na ducha, que depois chega ao sistema de esgoto e logo às águas marinhas. Os protetores normalmente têm nada menos que 20 compostos químicos e o principal poluente é o que bloqueia os raios ultravioletas.

Os corais são a morada de 25% a 50% das espécies marinhas, segundo dados do Aquário Nacional Americano. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, uma em cada quatro espécies marinhas vive nos recifes, incluindo 65% dos peixes. E seu papel vai muito além de acolher tanta vida. Os corais desempenham um papel fundamental na proteção contra a erosão dos solos e na diminuição dos danos causados por furacões e tsunamis.

Má notícia é que, por conta de tanta poluição vinda da atividade humana, 75% dos recifes de corais estão ameaçados. Mais do que isso: aproximadamente 30% deles já foram irreversivelmente perdidos nos últimos 30 anos. Uma das principais agressões a esse ecossistema está no processo de branqueamento que os corais sofrem quando expostos aos químicos presentes em muitas das loções.

Além de prejudicar a fonte de 70% do oxigénio que respiramos, estudos sugerem que esses produtos provocam danos celulares e desequilíbrios hormonais. Essas substâncias químicas já foram encontradas até em amostras de leite materno, o que significa que estamos expostos a elas logo quando nascemos.

Pois bem, se por um lado o protetor deve ser usado, existem alguns fatores que precisamos ficar de olho na hora de escolher a loção. E a boa notícia é que existem produtos conscientes para seguirmos protegendo a pele sem prejudicar nem nosso corpo nem o meio ambiente.

A nova linha de alta proteção da Australian Gold é a primeira com selo de 100% segura para os corais disponível no País. O produto eliminou de sua fórmula os ingredientes que causam branqueamento e interferem o ciclo reprodutivo desse berço da vida marinha. Além disso, o protetor é vegano, cruelty free e sua embalagem é feita de plástico vegetal biodegradável.

Com textura leve, toque seco e rápida absorção, a linha de proteção solar em gel creme tem fórmula enriquecida com extrato de chá-verde e ameixa kakadu, poderosos antioxidantes. Já para o rosto, a linha tem acabamento matte, com tecnologia oil free, criando uma barreira protetora contra os efeitos diários da poluição e contribuindo para o antienvelhecimento.

O protetor solar é indispensável não só na hora de pegar aquele bronze, mas também no dia a dia, seja na exposição ao sol ou da iluminação dos lugares que trabalhamos e frequentamos.
Mas não precisamos mais escolher entre proteger a nós mesmos ou o meio ambiente. Até por que, afinal, dependemos dele para viver. E as próximas gerações – seja da vida no mar ou na terra – agradecem!

Publicidade

Destaque: Maya Gabeira por @luizadmcampos


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Japão pode jogar água contaminada de Fukushima no mar a partir de 2022