Sustentabilidade

Veganismo não é novidade no Brasil e essa thread desconstrói esse mito

por: Yuri Ferreira

Patrocinado por:
Notice: Undefined index: facebook_titulo in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/single.php on line 90

A antropóloga Jade Alcântara Lobo fez uma importante thread no Twitter sobre a visão do veganismo no Brasil. A cientista social relembrou costumes afro-indígenas brasileiros e desconstruiu a tese de que a alimentação tradicional brasileira não está conectada com práticas veganas. Para a pesquisadora, o movimento vegan, que é, infelizmente, majoritariamente branco, esquece das raízes coloniais de boa parte da alimentação livre de sofrimento.

– 70% da população mundial está repensando a carne e veganismo cresceu 600% nos EUA, segundo a Forbes

Domínio das plantações e ausência de criação de animais eram a lógica da subsistência alimentar indígena pré-colonial

Mestra em antropologia pela Universidade Federal da Bahia e doutoranda em Harvard, a pesquisadora relembra a  alimentação baseada em plantas, advindas de ancestralidades distantes da lógica urbana e capitalista:

– Pequenas escolhas que mudam o mundo: a importância do veganismo para o planeta

Uma alimentação repleta de plantas e com praticamente zero sofrimento animal é compatível com formas de existências indígenas. Apesar de diversos povos terem culturalmente o consumo de carnes, a criação de animais sob a lógica que conhecemos atualmente é fruto do capitalismo e foi trazida pelos brancos para o país. Existem, inclusive, diversos estudos que mostram que algumas comunidades indígenas nunca conseguiram criar animais no modelo dos fazendeiros.

Moquequinha de banana da terra: sério, que delícia.

Ainda que a existência do consumo de carne ocorra em comunidades indígenas, as cosmogonias diversas dos povos originários são essenciais para a fundação da nossa alimentação: o domínio do cultivo do feijão e do milho, alimentos que povoam as mesas brasileiras dia após dia, são resultados de anos e anos dos povos indígenas. Dá uma olhada só nessa thread que explica como a comida mineira é, na verdade, a comida indígena:

– Felipe Neto defende veganismo e vídeo bate 1 milhão de visualizações

Vale lembrar que os indígenas são os principais combatentes na luta contra o avanço da indústria do gado no nosso país; ela é a principal responsável pelo papel central que a carne adotou em nossa alimentação, é a principal responsável pelo desmatamento nosso país e deve ser considerada a inimiga principal do veganismo.

Repensar nossa alimentação a partir de uma visão anti-colonial pode ser um caminho para reduzir os impactos da indústria da carne, é um caminho mais justo para o planeta, é uma alternativa de rememorar o legado dos nossos povos originários e dos nossos ancestrais e é um combate ao imperialismo, que, ao seu modo, dominou o nosso prato.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.


X
Próxima notícia Hypeness:
Selos postais alertam para crise climática na Finlândia