Agenda Hypeness

Agenda Hype em casa: Emicida, Tássia Reis e Djonga numa semana que é pura negritude

por: Gabriela Rassy

Não sei você aí deste lado, mas estou numa sensibilidade que só. Clima de eleições, de celebração da consciência negra e de uma quarentena sem fim. Acho que tudo bem, né? Aliás, começo os destaques por aí: “Tudo bem“, curta do Caio César, me botou as lágrimas para rolar em plena terça, quase quarta, enquanto finalizava esta agenda. Antes dele, já tinha me encantado com o novo clipe da Tássia Reis e caído morta passada com o da Urias. Passei por toda a simbologia do “Lá Vem Chegando”, nova do Criola Beat, pela delicadeza do Djonga procurando (e encontrando) alguém e cheguei nostálgica no “Sobre Nós”, da Drik Barbosa. Rola ainda live solidária do Emicida, entre outras delícias ao vivo.

Algumas boas notícias nesta semana de um caos que parece não ter hora para acabar. Mas seguimos. A arte segue. E só nela consigo me apoiar.

Vem na minha!

#lives

Samba Independente dos Bons Costumes | Youtube do grupo
Quinta, 20h
Contribuição consciente pelo Sympla
O Teatro Riachuelo recebe um dos grupos de samba mais originais e bem sucedidos do Rio. O SIBC – Samba Independente dos Bons Costumes, que em agosto comandou uma das lives mais aclamadas do projeto “Teatro Riachuelo De Palco Aberto”, apresenta show especial repleto de grandes clássicos e muitas surpresas.

Emicida | Youtube
Sexta, 20, 20h
Contribuição voluntária
Para rememorar a luta e resistência de Zumbi dos Palmares, Emicida faz uma live pela campanha Natal Sem Fome no Dia da Consciência Negra.

Debate Dia da Consciência Negra | Instagram do @masp
Sexta, dia 20, às 18h
Grátis
O professor Kleber Amancio e Amanda Carneiro, curadora assistente no MASP, conversam sobre artistas negros e representatividade na coleção do museu.Kleber Antonio de Oliveira Amancio é professor de história, teoria, crítica e curadoria de arte do Centro de Cultura, Linguagem e Tecnologias Aplicadas da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e do mestrado profissional em história da África, da diáspora e dos povos indígenas pela mesma instituição. Doutor em história social pela Universidade de São Paulo (USP), e visiting researcher na Harvard University. Pesquisador da linha escravidão e invenção da liberdade na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e do grupo de pesquisa “Nós e os outros” na UFRB.

Samba de Dandara convida Graça Braga e Raquel Tobias | Sesc Ao Vivo
Sexta, 20h
Grátis
Nesta roda de samba especialmente criada para celebrar o Dia da Consciência Negra, o Samba de Dandara recebe Graça Braga e Raquel Tobias, duas das mais importantes intérpretes e compositoras negras de São Paulo. No repertório, clássicos do samba e da MPB, como “Senhora Liberdade” (Nei Lopes/ Wilson Moreira), “Pra que Chorar” (Vinicius de Moraes e Baden Powell) e “As Forças da Natureza” (João Nogueira e Paulo César Pinheiro). O Samba de Dandara é um grupo paulistano composto apenas por mulheres, que traz em seu trabalho a exaltação às sambistas, em especial às mulheres negras.

Parem de Falar Mal da Rotina com Elisa Lucinda | plataforma do Teatro Riachuelo
Sábado, 20h
R$ 15
No Dia da Consciência Negra, Elisa Lucinda encena o monólogo  que completa 18 anos em cartaz e, em tempos de pandemia, se mostra ainda mais atual. A peça, que une histórias vividas e ouvidas por Elisa, além de poemas retirados de três dos seus livros.

SOMAMOS FESTIVAL | Plataforma Teatro Prudential 
Domingo
A partir de R$ 14
Chico Brown traz pum apanhado de versões e abordagens experimentais de clássicos renomados, peças instrumentais e canções autorais inéditas, reverenciando suas influências familiares e artísticas ao longo do repertório. O show apresentará também ‘Massarandupió’, valsa composta por ele com letra de seu avô Chico Buarque, lançada em seu disco mais recente.

#lançamentos

Criola Beat | Lá Vem Chegando
As praias equatoriais do Atlântico sussurram para os seus viajantes canções e lendas sobre seres que vieram e ventos que virão. Ouvindo esses auspícios, Marcelo Oliveira abre a Mixtape Vol. 01 do Criola Beat com a canção ​Lá Vem Chegando​, inspirando a diretora e roteirista Tassia Dur, que imprime seu imaginário a partir de figuras quase que mitológicas traduzindo a liberdade dos corpos através de suas formas, cores e movimentos. O poder do feminino é exaltado do início ao fim com cenas de prazer e força diante à um espelho que nos mostra uma condição passageira mas também de plenitude da beleza de ser quem se é.

Tássia Reis | Inspira e Try
As duas faixas do álbum Próspera ganharam animação em sequencia, com ilustrações de Pedro Borges que assina roteiro e direção criativa ao lado de Tássia. A deliciosa transição entre jazz e rap sobre os muitos drinks tomados para suavizar os problemas da vida ganha imagens lindíssimas com referências que passam pelos salões de baile, festas e até cinema mudo.

Djonga | Procuro Alguém
Em março deste ano, quando colocou na rua o quarto disco da sua carreira, Histórias da Minha Área, Djonga apontou como características do trabalho: a liberdade que se propôs no processo criativo e também o nascimento da sua filha caçula, Iolanda, hoje com 1 ano de idade. “As crianças dão mais melodia pra vida da gente”, ele alegou naquela época. Oito meses após o lançamento do álbum, o rapper mineiro disponibiliza um videoclipe para a faixa “Procuro Alguém”, que foi feita em homenagem à Iolanda.

Drik Barbosa | Sobre Nós
O cantor, compositor, escritor e africanista Nei Lopes define o termo “banzo” como “uma nostalgia mortal que acometia negros africanos escravizados no Brasil”. Trata-se de um conceito para além do que seria um sentimento de melancolia, pois o mesmo era causado por sabidos fatores externos, sociais e políticos, acompanhados pelo terror da escravidão e da tortura. Realidade que acarretava em uma inexistência do ser enquanto se está vivo. A cantora e compositora Drik Barbosa percebeu que, ainda hoje, o “banzo” é algo presente na vida das pessoas negras. Resultado do genocídio negro que segue em curso na nossa sociedade (e que foi potencializado pela pandemia do novo coronavírus). Pensando nisso, a rapper paulistana recorreu aos saberes ancestrais de usar a música como forma de resistência, preservação da identidade de um povo e amenização das dores para criar o seu novo projeto multiplataforma, que ganhou o nome de NÓS. O ponto de partida é o single “Sobre Nós”

Urias | Racha
Poder. Apenax. Urias lança mais uma braba, gatilho para quem ama uma boa pista, com direito a letra potente, baile preciso e uma fotografia hipnotizante.

YOÙN e Gilsons | Besteira
Com produção musical de Carlos do Complexo, a música transita por ritmos como jazz, house e afoxé brasileiro, com letra que reforça a importância de deixar de lado o que os outros pensam, o que falam, de ser alegre e agir livremente com o que deseja. Já no vídeo, afrofuturismo e ancestralidade são as principais referências da direção de Philippe Rios.

Luciane Dom | Si Bu Kre
Nesta que é a segunda música do projeto projeto de aceleração de carreira Labsonica – edição Toca do Bandido, a cantora Luciane Dom fala, com convicção e positividade, do amor entre pessoas pretas. A música já está nas principais plataformas de streaming via selo Toca Discos. Artista da nova geração da MPB, ela tem um estilo musical que mistura reggae, candomblé e uma visão moderna do jazz.

#cinema

Tudo Bem, de Caio César
Talvez eu esteja sensível, talvez esse curta traga muitos sentimentos à tona, mas o fato é que caí nele por acaso e terminei chorando. Um pouco de alegria, um pouco de saudades de tantas coisa. O fato é que ele merece ser compartilhado e espero que desperte em você sentimentos, memórias e, quem sabe, uma paixão. Nele, Hugo (Daniel Rangel) é um jovem morador do subúrbio carioca que conhece a universitária Dandara (Heslaine Vieira) antes da crise do coronavírus. Sem nenhum contato com a garota, ele passa o período de quarentena se perguntando se será capaz de encontrá-la novamente – ao mesmo tempo em que tem que lidar com as duras consequências da pandemia em sua própria casa.

Mostra Internacional do Cinema Negro | Vimeo
Das 20h do dia 19 até às 20h do dia 20
Grátis 

Para marcar o Dia da Consciência Negra, o MIS e a Mostra Internacional do Cinema Negro disponibilizam uma seleção extra de sua 16ª edição, que ocorreu entre os dias 10 e 15 de novembro no canal do MIS no Vimeo. Para esta Edição Especial, o curador Celso Luiz Prudente selecionou filmes que estarão disponíveis. A Mostra Internacional do Cinema Negro é um importante canal  de inclusão e de esforço pela construção da imagem de afirmação positiva do afrodescendente e das minorias.

28° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade
Até 22 de novembro
Grátis
Entre curtas e longas, há 101 filmes de 24 países. Entre os temas mais recorrentes está a própria pandemia, além da volta do sexo e do bom humor, que tinham rareado nas últimas edições. A partir desse ano, Dramática ganha um formato novo e original, com objetivo de incentivar a potente produção teatral brasileira de temática LGBTQIA+. Destaque para a exibição de “Meu Nome é Bagdá”, de Caru Alves de Souza, com Grace Orsato e Karina Buhr no elenco, dias 17 e 18.

#literatura

“A Jornada de Pablo”, de Rafael Gonzaga
Num mundo paralelo, a única entidade possível de vagar entre Orún e Ayé é Exu. Mas ele precisa de ajuda para libertar o axé dos orixás que não conseguem se lembrar de sua força. Para isso, recorre ao menino de 12 anos, Pablo, que utiliza sua curiosidade e seu Orí para encontrar o Opon Ifá e ajudar Exu nesta jornada. A dupla irá enfrentar grandes desafios na terra dominada pelo francês e ex-soldado Senhor Picot e suas Maximes. Não entendeu nada? É por que você ainda não leu o livro! Na obra dedicada ao público infantojuvenil, o escritor apresenta o curioso Pablo, inspirado no famoso pintor espanhol Pablo Picasso, que também teve uma jornada transformadora, quando visitou uma exposição de Arte Africana no Museu do Homem em Paris (França), em 1905 e que lhe inspirou a criar um novo movimento na arte, o Cubismo. Acesse a pré-venda aqui.

#cênicas

Mostra Teatral SP 10 Anos
17 a 28 de novembro
Grátis
Referência internacional em formação profissional para o mercado de artes cênicas, a SP Escola de Teatro celebra, neste mês, 10 anos de existência. Neste leque de multiplicidade cultural, o público vai poder conferir espetáculos que se inspiram na diversidade, tocando da temática negra à linguagem circense. A Gargarejo Cia Teatral traz um outro olhar sobre a obra O Cortiço, de Aluísio Azevedo, e coloca como protagonista Bertoleza: mulher, negra e escravizada, na quarta-feira, 18 de novembro, às 20h. O Clã do Jabuti encena Eleguá, Menino e Malandro, na sexta-feira, 20 de novembro, às 20h. A pesquisa consolidou-se a partir de uma pesquisa sobre a figura de Exu, segundo o olhar da mitologia afro-cubana.

#formação

O legado das mestras e mestres – Preta Leste 5 anos | Youtube
Quinta, às 15h
Grátis
A live tem o intuito de apresentar as estratégias de resistência de Soraia Aparecida, da Cia de Cultura Popular Lelê de Oyá e de Pedro Peu, do grupo Batakerê. Criada em 2016, a Preta Leste surgiu com o objetivo de pautar as questões étnico-raciais e a valorização dos saberes culturais de origem afrobrasileira. A curadoria do evento sempre esteve atenta à importância de ter em sua programação artistas, mestres e mestras que nos antecederam, já que são essas pessoas as principais mantenedoras da memória do território e da tradição.

I Ciclo Formativo Mulheres nas Artes
16 de novembro a 4 de dezembro, das 19h30 às 21h30
Grátis – inscrição aqui
Com atividades gratuitas e para celebrar o protagonismo feminino além de estimular diálogos e reflexões importantes, o evento promove uma série de encontros online pautados no debate de ideias e no compartilhamento de saberes e experiências de mulheres artistas, pesquisadoras, gestoras e produtoras de conhecimentos que atuam em diferentes linguagens artísticas e manifestações culturais. No final do ciclo, cinco participantes serão selecionadas para receber orientação para a viabilização de seus projetos culturais. A programação inclui cinco webinários e dez oficinas com atividades práticas que serão transmitidas com acesso livre e gratuito pelo Youtube.

#gastronomia

Rango TV
O primeiro canal de workshops culinários gratuitos da América Latina prepara nesta semana receitas de origem africana. O sul-africano Chakalaka, feito à base de feijão, legumes, tomate e especiarias, e a torta de leite Melkert estão entre as receitas oferecidas. A apresentação fica por conta da maravilhosa Aline Chermoula, cozinheira e pesquisadora da culinária afrodiaspórica pelas Américas. Acesse aqui!

Tasty Salad Shop
Sucesso em Curitiba, restaurante inaugura unidade conceito na Rua dos Pinheiros, com comida saudável, descomplicada e saborosa. O menu, que preza pela sazonalidade e valorização dos ingredientes, conta com combinações diversas entre hortaliças, legumes, nozes, grãos, proteínas e molhos. As opções de saladas são grandes, como as saladas do dia, com combinações elaboradas, que variam conforme os dias da semana e as saladas clássicas, como a blue cheese, feita com mix de alfaces, acelga, rúcula, pepino, gorgonzola, nozes caramelizadas, bacon e molho de mostarda. Para além do seu carro-chefe, a Tasty aposta também nos bowls, com preparações mais quentinhas a base de grãos e os wraps, com sugestões servidas em tortilha integral ou folha de couve. Snacks, como a empadinha de frango com massa a base de grão de bico, e sobremesas, entre bombons, bolos e mousse, completam as opções.
Delivery: próprio https://tastysalad.accon.app/menuRappi e Ifood.

Sucré
De 18 de novembro a 02 de dezembro, a Sucré – marca cearense de alimentos práticos que tem as mini coxinhas como carro chefe do cardápio – “invade a praia” dos chopes artesanais de São Paulo. Um roteiro com cinco estabelecimentos da cidade farão combos especiais unindo a bebida com o salgado. Paixão nacional com sabor do Nordeste, as mini coxinhas Sucré levam massa de mandioca e o recheio clássico de frango desfiado. A receita, desenvolvida pela chef Lia Quinderé, poderá ser conhecida pelos clientes do Ambar Chopes Artesanais, Goela Bar, Cervejaria Nacional, Brett Bierhaus e Bamberg Express. Cada casa desenvolveu a sua própria promoção, algumas para consumo no local, caso do pitcher de 1L do Ambar que acompanha a porção; e outras para entrega via delivery, na Bamberg todos os clientes que comprarem 2 growlers (embalagens retornáveis para chope) de 2L litros de chope, levam um pacote de coxinhas congeladas para casa. As mini coxinhas Sucré chegaram a São Paulo depois de mais de cinco anos de sucesso de vendas no Ceará e podem ser encontradas congeladas nos freezers da rede se supermercados St Marchê.

Cervejaria Nacional
A primeira entre as micro-breweries de São Paulo apresenta na carta uma parceria de peso. A cerveja oficial 2020 do Pint of Science Brasil – Origem de espécies. O rótulo de estilo Brazillian Wild (R$ 23 – 330 ml / 33 – 570) foi desenvolvido por cientistas brasileiros com levedura selvagem diretamente extraída de colmeias de abelha. Uma cerveja única no quesito sensorial e que ainda não temos no nosso território. Idealizadora da cerveja e doutora em biotecnologia, Ana Carolina de Carvalho teve a ideia de isolar as leveduras das colmeias e descobriu o potencial sensorial de seu sabor e aroma.
Serviço de delivery: Segunda a sexta, 11h às 23h; sábado 12h às 23h; domingo 11h às 19h

Publicidade


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Por trás das mortes de mães em filmes da Disney existe uma história real e trágica