Sustentabilidade

China surpreende com florestas capazes de absorver mais poluentes que o esperado

por: Redação Hypeness

Pesquisadores identificaram que a China tem tido mais sucesso do que o antes avaliado em conter alterações climáticas no país. Uma equipe composta por cientistas de diversos países observou que duas áreas chinesas têm sido responsáveis por absorver mais de 35% de toda a captura de carbono na atmosfera chinesa. O estudo, que foi possível graças a análises feitas no local e dados obtidos via satélite, foi publicado na revista científica “Nature”.

Emissões de carbono ultrapassaram o chamado ‘ponto crítico’: E agora?

Torres de fábricas lançam gases na atmosfera em Nantong, na China.

As áreas destacadas pelo projeto ficam em duas regiões do país: no sudoeste, nas províncias de Guangxi, Yunnan e Guizhou, e no nordeste, em Heilongjiang e Jilin. Apenas a região mais ao sul tem realizado 31,5% do sequestro total de carbono na China (-0,35 petagramas por ano, ou seja: 350 milhões de toneladas). 

Já no nordeste chinês, o saldo final da relação entre carbono absorvido e carbono emitido representa 4,5% do sequestro de carbono do país (0,05 petagramas por ano, 50 milhões de toneladas). 

Como se sabe, os chineses são responsáveis por 28% das emissões globais de carbono produzidos em todo mundo. Porém, o governo chinês se comprometeu a reduzir drasticamente esse cenário até o ano de 2060. A intenção é que as emissões se mantenham em alta até 2030 e que, a partir daí, haja um declínio considerável até chegar à neutralidade de emissões. 

Para o pesquisador Yi Liu, coautor do estudo e integrante da Academia Chinesa de Ciências, a meta ousada anunciada pelo presidente Xi Jinping deve envolver uma mudança na produção de energia do país e também no crescimento dos reservatórios de sequestro de carbono sustentáveis. 

Pegada de carbono do mundo dos esportes pode ser comparada a de um país inteiro

China planeja neutralizar as emissões de carbono até 2060.

Até bem recentemente, acreditava-se que as medidas tomadas pelo país para reduzir os índices de carbono na atmosfera estavam aquém de seus esforços. Mesmo com o aumento de vegetação nas últimas décadas, não se observava uma redução considerável nos números. A pesquisa publicada recentemente na “Nature” faz um contraponto a essa crença. 

A China é um dos maiores emissores globais de CO2, mas o quanto é absorvido por suas florestas é muito incerto. Trabalhando com dados de CO2 coletados pela Administração Meteorológica Chinesa, fomos capazes de localizar e quantificar quanto CO2 é absorvido pelas florestas chinesas”, diz Jing Wang, do Instituto de Física Atmosférica e principal autor do relatório.

Em 15 anos Amazônia poderá não mais absorver CO2, diz estudo

Apesar da euforia em volta do artigo, é preciso lembrar que, de acordo com especialistas, a capacidade de absorção de carbono por uma floresta acaba diminuindo com o tempo. Mesmo assim, a novidade não deixa de ser um alento para controlar os impactos das mudanças climáticas na Terra. 

Publicidade

Fotos: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Emergência climática revela cadáveres ‘enterrados’ em geleiras