Inovação

Em áreas remotas e sem internet a conexão de alta velocidade passará a ir através de feixes de luz

por: Vitor Paiva

O acesso à internet hoje deve ser visto como direito essencial, por significar também não só acesso a conhecimento, comunicação e informação, como também por oferecer maiores oportunidades educacionais e profissionais. A solução encontrada pela empresa de inovação tecnológica X para levar internet de alta velocidade para pontos remotos do planeta, como regiões montanhosas da Índia e do Quênia, foi trocar quilômetros e mais quilômetros de cabos de fibra ótica pelo que eles trazem dentro: feixes de luz. A solução “despe” a luz dos cabos e “projeta” a luz para oferecer conexão de forma mais simples e mais barata.

Parte do equipamento utilizado no projeto

Intitulada “Projeto Taara”, a solução transmitirá o feixe de luz através de torres ou postes altos, sem causar qualquer dano ou incomodo aos animais ou à natureza, e sem exigir grandes obras ou a superação de obstáculos complexos, como trechos de água ou montanha. “Estamos fazendo história aqui”, disse Dinesh Kumar, gerente do projeto na Agência governamental que está trabalhando com o Projeto Taara para levar internet às partes mais remotas da Índia. “Nos últimos 400 anos o vilarejo de Chaparai, por exemplo, esteve isolado. É um milagre completo”.

Funcionários instalando o equipamento na Índia

A empresa estima que a conexão oferecida será de 20 gigabites por segundo, e ainda que possa ser paralisada por um instante caso, por exemplo, um pássaro cruze o feixe de luz, o sistema é programado para reenviar qualquer informação interrompida, causando assim nenhuma diferença para o usuário.

Ilustração de como a tecnologia funciona

A partir da iniciativa na Índia, uma nova parceria já anunciou que o projeto será levado para o Quênia, e mais.

Moradores de Andhra Pradesh, diante do poste, já devidamente conectados

Um piloto do projeto já está sendo posto em teste na região de Andhra Pradesh, na Índia, com especial sucesso – conforme mostra o vídeo abaixo. A ideia é que o Taara possa ser utilizado para alcançar todo tipo de comunidade isolada, parques nacionais e também áreas de pós-conflito. Estima-se que 3 bilhões de pessoas vivem no mundo sem acesso regular à internet.

 

 

 

 

 

 

Publicidade

© fotos: Project Taara/divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Black Friday tem vinhos com até 60% de desconto; veja rótulos