Sustentabilidade

Emergência climática revela cadáveres ‘enterrados’ em geleiras

por: Redação Hypeness

O aquecimento global tem dado sinais um tanto macabros de sua ação na natureza. As temperaturas mais altas têm revelado nas geleiras da Suíça cadáveres de pessoas que morreram nas montanhas e cujos corpos nunca haviam sido encontrados. A maioria deles estava ali há décadas e foi conservado por conta do gelo e das temperaturas baixas. 

Aquecimento global derrete glaciares nos Alpes e revela corpos mumificados de montanhistas

Os corpos de Marcelin e Francine Dumoulin foram encontrados nos Alpes suíços depois de quase oito décadas perdidos.

Em julho deste ano, um guia turístico que trabalhava no monte Cervino (em alemão, Matterhorn, a montanha do logotipo do chocolate Toblerone) encontrou o corpo de um homem que morreu com 67 anos e foi identificado como de nacionalidade japonesa. De acordo com um porta-voz da polícia local, cerca de 280 pessoas desapareceram na área em que o cadáver foi encontrado desde o fim dos anos 1920. 

Segundo dados da Rede Suíça de Monitoramento de Geleiras (Glamos), no ano passado, as geleiras suíças apresentaram taxas de derretimento muito altas, especialmente durante a onda de calor que atingiu o continente no fim de julho de 2019. Naquele ano, Matthias Huss, um dos chefes da Glamos, afirmou que as geleiras do país haviam perdido cerca de 800 milhões de toneladas métricas de gelo somente no período destacado. 

Derretimento de geleiras libera gases tóxicos, vírus e bactérias causadores de doenças antigas

Os casos tem se tornado cada vez mais frequentes ao longo dos últimos anos. Em 2012, os restos mortais de três irmãos desaparecidos desde 1926 foram encontrados na geleira Aletsch, também no cantão de Valais, onde fica Matterhorn. Johann, Fidelis e Cletus Ebener foram descobertos por dois britânicos que estavam no local no verão daquele ano. 

Os Alpes suíços com a montanha de Matterhorn ao fundo.

No ano passado, outra descoberta de cadáveres surpreendeu um funcionário que trabalhava na empresa que administra os teleféricos do monte Cervino. Os corpos de Marcelin e Francine Dumoulin estavam em perfeito estado. Os dois sumiram na geleira Tsanfleuron para sempre após saírem para ordenhar vacas, fato que aconteceu em agosto de 1945, durante a Segunda Guerra Mundial. 

Série assustadora mostra o ‘antes e depois’ de geleiras e o quanto elas derreteram em 100 anos

A polícia de Valais acredita que fatos como esses se tornem cada vez mais frequentes nos próximos anos. “As geleiras estão diminuindo, então é lógico que estejamos encontrando cada vez mais corpos e partes de corpos. Nos próximos anos, esperamos que muitos outros casos de pessoas desaparecidas sejam resolvidos”, afirmou Christian Zuber, em 2017, ao “Guardian”.

Publicidade

Destaques: Getty Images / Foto 1: Polícia de Valois / Foto 2: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Oferta de perfuração do Ártico tem fracasso histórico por falta de interessados