Arte

Morador aciona Justiça para apagar obra de artista renomada e mostra que cultura pede socorro

por: Redação Hypeness

Uma obra da artista Criola, instalada na lateral de um edifício em Belo Horizonte , está sofrendo o risco de ser apagada por uma ação judicial movida por um único morador do condomínio. O painel, que com mais de 1300 metros quadrados retrata uma mulher negra, pode acabar sendo invisibilizado porque um sujeito a considerou de mau gosto.

– Artista cria murais impressionantes de mulheres negras usando roupas tradicionais da Coreia

Caso juiz acate pedido de retirada da obra, Belo Horizonte perderá uma incrível peça de sua paisagem

A obra, que faz parte do ‘Circuito Urbano de Arte’ (Cura), ocupa a lateral do Condomínio Chiquito Lopes e se chama ‘Híbrida Ancestral – Guardiã Brasileira’. Ela retrata uma mulher negra tendo seu ventre atravessado por um cobra.

– Artista substitui homens e mulheres brancos por mulheres negras em obras de arte clássicas

O criação artística de Criola, que é natural de Minas Gerais, foi instalada no prédio após todos os moradores do condomínio, com a exceção de um, aprovarem o painel na lateral do edifício. Uma das mais belas obras e arte urbanas de BH enriqueceu a paisagem do centro belorizontino.

Trabalho dos artistas Diego Mouro e Criola, no Minhocão, em São Paulo: 

“Foi convocada uma Assembleia Geral Extraordinária que confirmou a decisão pela realização da pintura, em que estiveram presentes 55 condôminos, tendo todos votado a favor, exceto o tal morador que, na sequência, entrou com uma ação pedindo judicialmente o apagamento da obra”, explica nota do Cura.

Mas, agora, o único opositor da obra de arte no condomínio abriu um processo judicial para retirá-la de lá. O argumento? O painel seria de ‘gosto duvidoso‘. A base jurídica? Uma lei da ditadura militar que não vale há anos.

A curadora do ‘Cura’, Jana Macruz, disse que esse ato tem um motivo bastante claro. “É explicitamente racista por se tratar da representação de uma mulher negra, uma mulher nua e a artista é uma mulher negra. É explícito que é um ato racista”, afirmou ao G1.

– Belo Horizonte pode receber exposição censurada; Ministério Público não vê pedofilia ou crime nas obras

Não é por acaso que o autor da ação utiliza uma lei do regime militar (Lei nº 4591/1964), já superada pelo Código Civil de 2002, para sustentar que a realização da obra precisaria da aprovação unânime de todos os condôminos”, diz em comunicado a entidade que outorgou a obra.

Assine a petição para impedir o apagamento da cultura, representada aqui no trabalho artístico de Criola. Acesse o link.

Publicidade

Foto: Reprodução/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Museu em Amsterdã disponibiliza mais de 700 mil quadros para download em alta qualidade