Ciência

Cápsula contendo amostra de asteroide retorna à terra após 6 anos

por: Vitor Paiva

Uma cápsula de 38 centímetros pousou em solo australiano no último dia 5 de dezembro diretamente do espaço, como conclusão de uma missão iniciada seis anos antes: dentro dela, um pequeno pedaço de pedra que, no entanto, pode nos ajudar a desvendar mistérios tão grandiosos quanto a origem do nosso planeta, da vida e do Sistema Solar como um todo. É esse o resultado da missão iniciada pela Agência de Exploração Aeroespacial Japonesa (JAXA) em 2014, quando lançou a aeronave Hayabusa2 para recolher material do asteroide Ryugu, que orbita o sol em uma rota entre Marte e a Terra.

Criação artística do asteróide 

O asteroide só foi alcançado pela Hayabusa2 em 2018, a mais de 300 milhões de quilômetros da Terra, quando cerca de 300 gramas de rocha foram recolhidos para dentro da cápsula que enfim retornou. A nave passou cerca de um ano e meio orbitando o Ryugu, realizando medições e lançando os quatro rovers que realizaram a coleta das amostras. A esperança dos astrônomos é que a amostra contenha material orgânico, capaz de fornecer pistas sobre a origem da vida na Terra e do Sistema Solar. Os asteroides datam do início do Sistema Solar, há cerca de 4,5 bilhões de anos, e por isso podem funcionar como uma cápsula do tempo.

Acima, foto do interior da cápsula recuperada recentemente; abaixo, reprodução da superfície do asteróide

Essa é a segunda coleta enviada pela Hayabusa2 para a Terra, mas a primeira cápsula chegou vazia ao destino. Dessa vez, três câmaras foram enviadas, mas o conteúdo de uma delas já foi confirmado, com a pequena porção do asteroide, que possui cerca de 900 metros de diâmetro. As cápsulas foram lançadas pela Hayabusa2 de uma distância de cerca de 220.000 km da Terra, e ao alcançarem uma altura de 10 km, desceram gentilmente com a ajuda de um paraquedas – e aeronave da JAXA seguiu viagem, rumo ao asteroide 1998 KY26, onde ela deverá pousar em 2031.

Hayabusa2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicidade

© fotos: Wikimedia Commons/Twitter


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Terra encerrou 2020 com rotação mais rápida desde 1960