Diversidade

Elliot Page, estrela de ‘Juno’, revela ser homem trans em texto inspirador: ‘Coração cresce’

Karol Gomes - 01/12/2020

Elliot Page, estrela de filmes como ‘Juno’ e ‘A Origem’, deu o seguinte recado na tarde desta terça-feira (1): “Oi, amigos. Gostaria de compartilhar com vocês que sou trans, meus pronomes são ele/eles e meu nome é Elliot”, diz uma publicação muito importante nos perfis do ator nas redes sociais. Em um texto emocionante, ele anunciou que é transgênero.

No post com mais de 30 mil comentários, Elliot escreveu que é grato e que vai continuar lutando por uma sociedade mais igualitária. “Sinto sorte por estar escrevendo isso. Por estar aqui. Por ter chegado a este lugar na minha vida. Sinto uma gratidão imensa por todas as pessoas incríveis que me apoiaram ao longo desta jornada. Não tenho palavras para expressar como é incrível finalmente amar quem eu sou o suficiente para buscar meu autêntico eu. Vou oferecer todo o apoio que puder e continuar a lutar por uma sociedade mais amorosa e igualitária”

– Sonho ou realidade? Ator de ‘A Origem’ revela segredo incrível sobre o final ‘maluco’ do filme 

Elliot deu a notícia nas redes sociais

– Autores se demitem de editora de JK Rowling após empresa não se posicionar sobre transfobia

No Instagram, a declaração recebeu comentários do perfil oficial do ‘The Umbruella Academy‘, série de super heróis da Netflix protagonizada por Elliot Page. “Muito orgulhosos do nosso super herói”, publicou o perfil ao celebrar a nova fase na vida do ator que vive o personagem Vanya.  O colega de elenco Justin Min, que dá vida a Ben, irmão de Vanya na série, também demonstrou aferto, “te amo muito”.

Outro comentário de destaque é da dançarina Emma Portner, casada com Page desde 2018. “Te amo muito, Elliot”, ela escreveu na publicação do parceiro.

Elliot Page, estrela de ‘Juno’, revela ser homem trans em texto inspirador: ‘Coração cresce’

– 12 atores e atrizes que são militantes da causa LGBTQI+

Apesar do momento feliz do anúncio, Elliot também falou sobre seus medos, “minha alegria é real, mas também é frágil. A verdade é que, embora eu sinta uma profunda alegria nesse momento e sabendo quanto privilégio tenho, eu também sinto medo. Sinto medo pela invasão, pelo ódio, pelas ‘piadas’ e pela violência”, continuou, citando o alto índice de tentativas de suicídio entre pessoas transgênero somente (40% nos Estados Unidos somente em 2020). Ele explicou ainda que, para mulheres trans, latinas e/ou negras, a violência pode ser muito pior. 

Trajetória de militância

Além dos papéis icônicos no cinema, Elliot Page é conhecido também pela sua forte atuação junto ao movimento LGBTQI+ em Hollywood. Em 2014, durante conferência em Las Vegas, se declarou uma mulher lésbica, como se identificava na época. O nome que usava como assinatura de seu trabalho também era feminino. Na ocasião, Page revelou que o intuito era causar um efeito positivo, ajudando outros para que suas vidas fossem mais fáceis e esperançosas. O ator reafirmou a obrigação pessoal e a responsabilidade social no meio de tudo isso.

Em 2016, produziu e protagonizou o documentário ‘Gaycation‘, em que aparece viajando o mundo para falar com políticos sobre direitos para a comunidade. Entro os entrevistados esrá o atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, então deputado estadual. Bolsonaro aparece afirmando, de maneira homofóbica, que “prefere que seu filho morra em um acidente do que apareça com um cara bigodudo”.

– Estrela de ‘Malhação’ revela detalhes de transição e diz que se sente menino desde os 3 anos

Elliot Page ouviu frases homofóbicas de Bolsonaro em documentário

Atualmente Page está divulgando o documentário ‘There’s Something In The Water‘ (‘Há algo na água’, tradução livre), dirigido por ele ao lado de Ian Daniel e que debate o racismo ambiental ao explorar o efeito desproporcional dos danos ambientais em comunidades negras canadenses e nas primeiras nações na Nova Escócia.

Publicidade

Fotos: foto 1 : Getty Images/foto 2: Reprodução/Instagram/foto 3: Reprodução/Gaycation


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
‘Amor Virtual’: série LGBT estrelada por negros da periferia abre financiamento coletivo