Debate

Maluf ‘inspira’ ‘Choque de Cultura’ em viagem coletiva sobre cinto de segurança e cigarro no ‘Roda Viva’

Redação Hypeness - 02/12/2020

Dia 2 de dezembro de 2020 não parecia ser o dia em que veríamos Paulo Maluf ser o homem mais sensato de uma roda de conversa. Mas, no ano em que vivemos, tudo é possível. Quer dizer, há 25 anos atrás, tudo era possível. Em uma viagem no tempo coletiva, o Twitter ressuscitou uma entrevista do então prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, ao Roda Viva, consagrado programa de entrevistas da TV Cultura. Um dos temas de debate: a lei anti-tabagismo que proibiu o consumo de cigarro em restaurantes na capital paulista. Cada frase dessa conversa é digna de um episódio de Choque de Cultura.

Em papo digno de Choque de Cultura, Rogerinho do Ingá se iguala aos dinossauros do jornalismo brasileiro em nível de absurdismo do Roda Viva

Os jornalistas da bancada do Roda Viva fazem um espetáculo por conta da lei que, anos depois, se mostraria de vanguarda. Foi, em especial, o apresentador do programa, Matinas Suzuki, e o convidado Nirlando Beirão, então editor-chefe da revista Playboy, que brilham com questionamentos acerca da histórica lei anti-tabagismo de Paulo Salim Maluf.

Matinas diz “Prefeito, o senhor não acha que exagerou um pouco na dose, que essa proibição é radical demais?”. Maluf vai seco: “Não”. Maluf discorre:

– Estamos torcendo pelo Reality do Jorge Ben sozinho no Copacabana Palace na quarentena

Quando você vai numa igreja, você não fuma, quando você vai num culto evangélico, você não fuma, quando você está no ônibus, você não fuma, quando você vai para o cinema, você fica duas horas sem fumar. Então, eu não estou proibindo ninguém de fumar, quem quiser fumar pode fumar na sua casa, pode fumar na rua, quem quiser fumar no automóvel pode, pode fumar nas redações dos jornais, pode fumar no seu escritório ou no seu trabalho. O que nós pedimos é baseado em três leis existentes: de que nos restaurantes não se fume, ou seja, você vai para um almoço de uma hora, uma hora e meia você não pode fumar. E os restaurantes podem ter o fumódromo. Ou seja, se você desejar fumar, o restaurante tem um lugar para fumar”, dizia. Parece óbvio, hoje em dia. Mas na época não era.

Nirlando Beirão fica completamente indignado com o político. Ele fala que Maluf tem um desejo pela proibição das coisas. O ex-prefeito questiona que coisas ele proibiu. Aí chegamos no momento mais Choque de Cultura do vídeo: Aquele negócio do cinto de segurança. Eu tenho que andar com aquilo me amarrando?”. Maluf contra-argumenta, dizendo que o cinto salva vidas. Nos anos 90, alguém ainda diria “mas eu posso decidir sobre isso, não posso?”. E Nirlando disse!

– Liberdade ou prisão? A controversa construção do tabagismo feminino 

Maluf ainda reforça que o principal problema do fumo em lugares fechados é o dano de saúde que causa aos trabalhadores não fumantes. Aí vem as sugestões incríveis: garçons fumantes e restaurantes exclusivos para fumantes! Sério, vejam isso:

Confira os memes:

Publicidade

Fotos: Reprodução/Youtube


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.