Reverb

Maroon 5: ‘Memories’ bebe na fonte de um clássico de Pachelbel, compositor barroco

22 • 12 • 2020 às 17:41
Atualizada em 04 • 01 • 2021 às 17:11
Veronica Raner
Veronica Raner Jornalista em formação desde os sete anos (quando criou um "programa de entrevistas" gravado pelo irmão em casa). Graduada pela UFRJ, em 2013, passou quatro anos em O Globo antes de sair para realizar o sonho de trabalhar com música no Reverb. Em constante desconstrução, se interessa especialmente por cultura, política e comportamento. Ama karaokês, filmes ruins, séries bagaceiras, videogame e jogos de tabuleiro. No Hypeness desde 2020.

Fãs de Maroon 5 já devem estar cansados de ouvir “Memories” por aí. A faixa lançada pelo grupo americano no fim de setembro é uma homenagem de Adam Levine e companhia a Jordan Feldstein, antigo empresário da banda, que morreu repentinamente no fim de 2017 vítima de uma embolia pulmonar. A música traz a voz do ex-jurado do “The Voice” acompanhado de uma base simples de guitarra e piano que, para quem conhece música clássica, logo remetem a uma canção muito famosa do compositor alemão Johann Pachelbel (1653-1706), “Cânone em Ré Maior”.

Escrita entre os séculos XVII e XVIII, a música barroca é uma das mais tocadas em celebrações natalinas e casamentos mundo afora. Com uma progressão de notas “alegres”, é difícil pensar nela como uma melodia triste. Apesar da música do Maroon 5 ser uma ode a alguém que morreu, o uso da base melódica composta por Pachelbel dá a ela um tom menos triste.

Adam Levine, creditado como um dos compositores da faixa, ainda não comentou sobre a inspiração no clássico barroco, mas basta ouvir as duas músicas para perceber a influência. “Memories” é o primeiro single lançado pelo Maroon 5 desde “Girls Like You”.

Você pode ouvir a comparação aqui:

Publicidade

Fotos: Reprodução


Canais Especiais Hypeness

Especiais