Diversidade

Modelo plus-size estrela da ‘Vogue Italia’ desabafa sobre gordofobia: ‘Bloqueio 50 por dia’

por: Redação Hypeness

Megan Kimberling é uma modelo de Long Beach, na Califórnia, que já está cansada de receber comentários ofensivos com relação ao seu corpo. Desde 2014 no ramo, a americana de 29 anos, que já foi capa da “Vogue Italia”, está acostumada a receber comentários gordofóbicos em suas redes sociais, mas lida com eles de forma simples e empoderada. 

Gordofobia faz parte da rotina de 92% dos brasileiros, mas só 10% assume preconceito com obesos

Megan Kimberling é modelo e quer influenciar outras pessoas a amarem seus corpos como eles são.

Eu bloqueio por volta de 50 pessoas em um dia movimentado. Muitos deles me chamam de gorda, que é algo que não me afeta mais, mas eu não quero que os meus seguidores vejam isso porque eu sinto que consegui criar um espaço seguro. Todos os que não tiverem algo legal para dizer vão ser bloqueados”, ela diz, sem problema. 

A modelo conta que durante a faculdade chegou perto de desenvolver um distúrbio alimentar. Ela estava insatisfeita com o próprio corpo e recorreu a um médico para tomar inibidores de apetite. Megan tomava esses medicamentos, fazia dieta e passa horas na academia. O objetivo de perder peso foi alcançado, mas por pouco tempo. “A vida aconteceu e eu ganhei meu peso todo de volta”, conta. 

Modelo luta pelo fim do conceito de ‘plus-size’

“Quando perdi peso, pensei que eu iria resolver magicamente todos os meus problemas, mas não fiquei mais feliz quando emagreci. Entendi que minhas emoções não estão conectadas ao meu peso. Não importa a calça que eu visto. Tenho dias bons e dias ruins e isso é perfeitamente normal, mas na maior parte do tempo, desfruto completamente do meu corpo. Sempre haverá dias em que eu me olho no espelho e penso: ‘Não gosto de como eu sou ou de como eu estou.’”

Para esses dias “ruins”, Megan aprendeu a se afastar do espelho para não prejudicar sua percepção de si. Também percebeu que as redes sociais, apesar dos ignorantes preconceituosos, é uma fonte de alegria para encontrar outras pessoas que tenham vivências semelhantes. 

Artista cria série de ilustrações para protestar contra a gordofobia de que é vítima

Na indústria da moda, a modelo conta que já sofreu preconceito ao entrar em um set de um ensaio. Algumas pessoas já perguntaram se ela era a maquiadora ou até mesmo a fotógrafa, mas nunca estiveram certos sobre ela ser, na verdade, a modelo. 

Só porque você é mais gordo do que os outros modelos, não significa que não tenha tanto ou mais talento do que eles”, diz. “Se você não vai me levar a sério, então eu não sou o problema, você é o problema. Muitas vezes me dizem que não posso mostrar meu corpo porque é apropriado, mas eles não gostam de mim quando estou usando roupas e não gostam de mim quando não estou. Eles não gostam da ideia de que está tudo bem em ser gordo.

Publicidade

Fotos: megankimberling.com


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
O sacerdote que celebra casamentos homoafetivos em luta contra homofobia