Reverb

Roxette: a verdadeira história de ‘It Must Have Been Love’, a ‘obra-prima da dor’ da trilha do filme ‘Uma Linda Mulher’

por: Redação Hypeness

It Must Have Been Love”, do Roxette, é uma das baladas pop de maior sucesso do final do século passado. É uma canção marcante que, dependendo da geração a que pertence o ouvinte, costuma ser lembrada em listas de “músicas de rompimento mais tristes”. A morte da vocalista do duo sueco, Marie Fredriksson, no dia 9 de dezembro, aos 61 anos (os 17 últimos, lutando contra o câncer), não causou só um boom de execuções da música nos serviços de streaming.

As 10 comédias românticas mais amadas dos anos 1990

Roxette, em um show em 1990, ano em que a balada “It Must Have Been Love” estourou.

A perda da cantora também já promoveu reavaliações críticas da obra do Roxette: enquanto o obituário do “The New York Times” penou para achar um trecho elogioso à Marie nas críticas mordazes de seu decano Jon Pareles, o jornal inglês “Guardian” usou um texto em primeira pessoa de David Simpson para carimbar um “obra-prima da dor” em “It Must Have Been Love”.

É uma trajetória bastante incomum, bem mais do que o timbre datado do synclavier e a mixagem com a caixa adulterada eletronicamente bem à frente dos outros instrumentos, abundantes naquele final dos anos 1980.

As 50 capas de disco internacionais mais legais da história

A dupla sueca de pop-rock formada por Marie e Per Gessle teve alguns hits número um nos Estados Unidos antes de lançar “It Must Have Been Love”, mas foi esta a música que consolidou sua posição no mercado.

Escrita por Gessle, o principal compositor de Roxette, a balada foi lançada originalmente em 1987. Mas nada de muito importante internacionalmente aconteceu até a música ser regravada para a trilha sonora do filme “Uma Linda Mulher” (“Pretty Woman”) em 1990. O título original era “It Must Have Been Love (Christmas For The Broken Hearted)” e foi lançada como um single de Natal. Havia um verso de referência natalina — “and it’s a hard Christmas day” — que mais tarde se transformou em “and it’s a hard winter’s day”, quando a gravaram para o longa protagonizado por Julia Roberts e Richard Gere.

Após o enorme sucesso de “Pretty Woman”, a faixa conquistou todas as paradas e rodou o mundo, faturando quase meio bilhão de dólares. Em 2014, Gessle recebeu um prêmio da editora BMI pelas cinco milhões de execuções da música no rádio. Além disso, a trilha ganhou três discos de platina da Recording Industry Association of America.

Artista reimagina músicas de Justin Bieber como clássicos dos anos 1980 e o resultado é hilário

O crítico David Simpson, do “Guardian”, compara a estrutura da canção à fórmula dos hits da Motown, com espaço para agonia e êxtase. Mas credita sua perenidade ao talento de Marie, que canta sem vibratos torturados, como se já estivesse resignada à perda do amor da sua vida, em contraste com a progressão harmônica. “A canção de assinatura do Roxette nunca vai acabar de verdade”, prevê. Quem poderia imaginar um aplauso crítico dessa magnitude para um duo que passou a maior parte da carreira sendo desprezado pela maior parte da imprensa musical?

Publicidade

Fotos: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.

Especiais



X
Próxima notícia Hypeness:
A playlist da vida de Laura Jane Grace, do Against Me!