Debate

EUA executam 1ª mulher em quase 7 décadas e Trump bate recordes ao reviver corredor da morte

por: Redação Hypeness

O governo Donald Trump executou uma mulher que estava no corredor da morte nessa quarta-feira (13). Desde 1953, uma pessoa do sexo feminino não era executada pela administração federal americana. Lisa Montgomery, de 52 anos, recebeu uma injeção letal e faleceu a uma da manhã do dia 13 de janeiro de 2021, sendo a primeira pessoa a ser vítima da pena de morte em 2021 nos Estados Unidos.

– Apoiadores de Trump que tentaram golpe ao invadir Capitólio estão perdendo seus empregos

Lisa foi executada pelo governo Trump; ela é a primeira vítima mulher da pena de morte em 67 anos sob ordens de Washington

Trump bateu recorde de execuções 

Lisa Montgomery foi condenada à pena de morte por ter assassinado Bobbie Jo Stinnett. Ela era moradora do Kansas e dirigiu até o estado do Missouri para roubar a filha de Bobbie Jo, que estava grávida de oito meses. Montgomery espancou Stinnett, abriu sua barriga com uma faca de cozinha e retirou o bebê vivo de sua mãe, que faleceu na hora. Ela queria fingir que aquele era seu filho.

– A seletividade racista nos protestos pró-Trump em dois atos

O caso chocou os EUA. A assassina é a primeira mulher a receber a pena de morte nos EUA desde 2015, quando Kelly Gissendaner foi executada pelo estado da Georgia. Explicamos, a pena de morte ordenada pelos estados ainda é comum nos Estados Unidos, mas foi abandonada pela administração federal há alguns anos.

As últimas execuções ordenadas pelo governo federal nos EUA pré-Trump datavam de 2003. Em 2020, o mandatário retomou a prática e 10 homens foram assassinados pelo governo estadunidense.

Trump continua a incendiar Washington D.C e não aceita resultados eleitorais

A última vez que um presidente ‘pato manco’, apelido dado ao presidente que ocupa um cargo que abandonará em breve, ordenou uma execução, foi em 1889. Há 131 anos, a gestão do democrata Grover Cleveland autorizou o assassinato de um indígena Choctaw chamado Richard Smith, mesmo com a derrota eleitoral. Agora, os três homens executados pela gestão Trump desde o dia 4 de novembro, data em que perdeu a eleição, eram negros.

– Virada na Geórgia: com Stacey Abrams, provável derrota de Trump veio pela força do punho negro

“Com uma próxima administração que expressou intenção de acabar com a pena de morte federal, os passos da administração Trump de acelerar execuções e promulgar um regime regulatório mais relaxado para as execuções parece particularmente vingativo e dissonante”, afirma um relatório do DPIC (Centro de Informação da Pena de Morte).

Donald Trump tem utilizado seus últimos momentos na presidência – ele só deixa a Casa Branca na próxima quarta-feira (20), para atirar em todos os lados. Ele concedeu perdões presidenciais para figuras controversas, ordenou seus apoiadores a invadir o Capitólio e foi banido de todas as redes sociais. A intenção é instaurar o caos.

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Mulher relata assédio e processa bar após ser chamada de ‘moça do peitão’ em comanda