Debate

General responsável pelo Enem morre de covid-19 e reforça apelo para adiamento do exame

por: Redação Hypeness

Diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), Carlos Roberto Pinto de Souza morreu nesta segunda-feira (11), aos 59 anos, por complicações da covid-19. A diretoria comandada pelo general é responsável pela elaboração do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), para muitos, a principal porta de entrada para cursos superiores. 

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou, no início da noite desta segunda-feira (12), nota de pesar pelo falecimento. “A presidência do Inep, em nome de todos os seus colaboradores, agradece o trabalho desempenhado com dedicação, entusiasmo, responsabilidade e senso ético pelo diretor Carlos Roberto. Seu nome estará registrado na história do Inep”, diz o texto, que não citou a doença.

– Enem digital, com 1ª edição em meio à pandemia, pode virar tendência, diz Inep

General responsável pelo Enem morre de covid-19 e reforça apelo para adiamento do exame

O Inep informou ainda que o general participou ativamente da concepção do Enem Digital e do Novo Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), principal projeto a que se dedicava nos últimos meses.

Segundo informações colhidas pela Folha de São Paulo, Souza morreu em Curitiba (PR), onde se tratava contra o novo coronavírus desde dezembro de 2020. O militar da reserva havia assumido a Daeb (Diretoria de Avaliação da Educação Básica), também parte do Inep em agosto de 2019. Antes, ocupou, entre outros cargos, o Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército e o Centro de Defesa Cibernética do Exército.

Mulheres escrevem maioria de redações nota mil no Enem

Por causa do avanço da pandemia do novo coronavírus, a Defensoria Pública da União foi à Justiça para pedir novo adiamento do Enem, assim como o público tem pedido na internet, com a hashtag #AdiaEnem

Governo não arreda pé 

Mas, os apelos parecem não estar comovendo o ministro da Educação, Milton Ribeiro, que afirmou, nesta terça-feira (12), que a prova não será adiada. Ele declarou ainda que apenas uma minoria é contra a realização do exame.

“Não vamos adiar o Enem. Primeiro porque tomamos todos os cuidados de biossegurança possíveis. Queremos dar tranquilidade para você que vai fazer a prova, assim como aconteceu no domingo (10), em menor proporção, claro, no exame da Fuvest”,  falou Ribeiro em entrevista à CNN.

Idosa proibida pelo marido de estudar faz Enem pela 1ª vez e sonha em ser contadora

Milton Ribeiro, ministro da Educação, se recusa em adiar no Enem

O Enem está agendado para 17 e 24 de janeiro (versão impressa)31 de janeiro e 7 de fevereiro (versão digital). Mais de 5,783 milhões de candidatos se inscreveram para participar do exame.

O ministro citou ainda um trecho dos Provérbios da Bíblia, afirmando que “a esperança que se adia adoece o coração” e que o governo não pode fazer isso com os estudantes e suas expectativas. Sobre a morte de Carlos Roberto Pinto de Souza, Milton Ribeiro declarou tratar-se de uma situação lamentável para todos.

– Protesto contra o racismo inclui campanha para pagar taxa do Enem de jovens negros

O ministro também está firme quanto a decisão de apoiar a volta às aulas presenciais, mesmo com a piora dos índices da pandemia do novo coronavírus, Ribeiro afirmou que a questão em relação às crianças é mais tratada por estados e municípios, “embora o MEC tenha transferido mais de R$ 600 milhões para 119 mil escolas comprares álcool gel e EPIs”, justificou, também à CNN Brasil. 

As redes sociais seguem pedindo o adiamento do Enem. Veja a repercussão com a hashtag #AdiaEnem

1.

2.

3.

4.

5.

6.

Publicidade

Fotos: foto 1: Exército Brasileiro/Reprodução/foto 2: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Máscara com nariz de fora rende eliminação de exame e prisão de candidato