Debate

Governo suspende compra de seringas para vacina contra covid-19 até que preços ‘voltem à normalidade’

por: Redação Hypeness

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (6), que o Ministério da Saúde suspendeu a compra de seringas até que os preços “voltem à normalidade” – mesmo em tempos de pandemia do coronavírus. Outro argumento do mandatário para atrasar a compra é que, segundo ele, os estados e municípios têm estoques suficientes para o início da vacinação contra a covid-19.

Na semana passada, uma licitação realizada pelo Ministério da Saúde para comprar seringas e agulhas fracassou. A pasta só conseguiu garantir 7,9 milhões de unidades enquanto buscava 331,2 milhões

Jair Bolsonaro atua como negacionista da pandemia

– Bolsonaro diz que ‘parte dos brasileiros não está preparada para fazer quase nada’ ao justificar desemprego

As empresas reclamaram que os preços pagos pelo governo estavam abaixo dos praticados no mercado. “Como houve interesse do Ministério da Saúde em adquirir seringas para seu estoque regulador, os preços dispararam e o MS suspendeu a compra até que os preços voltem à normalidade. Estados e municípios têm estoques de seringas para o início das vacinações, já que a quantidade de vacinas num primeiro momento não é grande”, escreveu o presidente no Facebook.

– Silvio Santos e Bolsonaro são criticados por encontro sem máscara; apresentador tem 90 anos

Depois do fracasso, o Ministério da Saúde afirmou, em nota, que realizaria “novos certames” para buscar os materiais e que o pregão no qual não conseguiu realizar a compra seria apenas a “primeira parte” da negociação. “O resultado não é final e sim da primeira parte, por isso terão novos certames, outros pregões, como previsto em Lei”, diz o texto.

Na segunda-feira (4), o Ministério da Saúde acertou, em uma reunião com representantes de três fabricantes de seringas, que as fábricas irão fornecer 30 milhões de seringas e agulhas até o final do mês de janeiro, como mostrou o blog da colunista Míriam Leitão. O primeiro lote, com três milhões de unidades, será entregue na sexta-feira (8).

Eduardo Pauzello, ministro da Saúde, recebe críticas pela falta de um plano de vacinação

– Bolsonaro ameaça jornalista e lembra general da ditadura militar: ‘Encher tua boca de porrada’

Além disso, a Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia passou a exigir, desde 1º de janeiro, uma licença especial para autorizar a exportação de agulhas e seringas, o que deixará o processo de liberação das mercadorias mais lento que o normal.

Em paralelo, o governo deve zerar o imposto de importação de agulhas e seringas. O pedido para zerar o imposto sobre importação de agulhas e seringas foi feito pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco. Hoje, o imposto é de 16%. A pandemia do novo coronavírus já tirou a vida de quase 200 mil brasileiros. 

Publicidade

Fotos: Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
‘BBB’: Karol Conká acusa Nego do Borel de transfobia: ‘Você é igual essa galera estranha?’