Reverb

MC Carol brilha na capa da Elle e diz que ‘funk salvou minha vida’

por: Gabriela Rassy

No mesmo dia em que Mc Carol lança mais uma faixa cheia de representatividade, a funkeira brilha na capa da versão digital da revista Elle, a #ElleView.

Mc Carol brilha na capa da revista Elle

“Ser capa de uma revista de moda é algo que muitas meninas sonham na vida! Mas quando você é preta, gorda e periférica você acha que isso nunca vai acontecer porque você só vê mulheres brancas, magras e de cabelo liso estampando essas revistas, fazendo sucesso na TV “, publicou Carol em sua conta no Instagram.

Ela revela que começou a escrever LevantaMina em 2016 e terminou apenas em setembro de 2020. Quando a Elle fez o convite, foi o momento exato do lançamento.

Mc Carol posa para um ElleView. Foto de Vivi Bacco

Mc Carol posa para a ElleView. Foto de Vivi Bacco

A moda precisa ser inclusiva com todos os tipos de pessoas e corpos! Acabou a era de ditarem padrões inalcançáveis de beleza e de fazer a gente não se sentir bem com quem nós somos.

O single Levanta Mina, um feat. com DJ Thai, foi feito para si mesma e não apenas para inspirar outras mulheres.

“É uma música pra me ajudar nos dias difíceis porque, por mais que eu me ame, não há autoestima que aguente você não encontrar uma base no seu tom de pele, uma roupa do seu tamanho numa loja, não se ver na TV e revistas, entre outras coisas no dia a dia que te excluem direta ou indiretamente”, conta Mc Carol em uma publicação.

Carol já deu diversas declarações sobre o preconceito que uma criança preta e gorda sofre na escola – período em que ela mais sofreu exclusão. “Quando te explicam os motivos que fazem você ser excluída, maltratada, apelidada, mesmo sendo uma criança legal e carinhosa, quando você entende que é por causa da sua cor, do seu corpo, você fica sem chão, sem entender”.

A artista também falou à ELLE sobre a importância da música: “O funk salvou minha vida”. Ela conta que foi adotada por seu avô, mas que depois de sua morte, ela foi expulsa de casa e passou por momentos muito difíceis em busca de oportunidades, até entrar para carreira a música.

Todo mundo falava que eu não ia durar muito. Pessoas da minha família falavam que eu não ia passar dos 15. Eu não tinha objetivo nenhum. O funk entrou na minha vida do nada, cara. O sucesso veio muito rápido. Com 15 anos a parada viralizou, com 16, eu estava pegando estrada.

Leia a entrevista completa da ELLE aqui .

Publicidade

Fotos: Vivi Bacco


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.

Especiais



X
Próxima notícia Hypeness:
A primeira vez que pessoas dançaram ao som de música eletrônica na televisão