Arte

Museu em Amsterdã disponibiliza mais de 700 mil quadros para download em alta qualidade

por: Vitor Paiva

Quando o Rijksmuseum, museu em Amsterdã dedicado à arte e à história da Holanda, decidiu digitalizar seu acervo de pinturas, a ideia era de levar o museu para perto do público, tornando a arte uma ferramenta educativa acessível: todos poderiam “visitar” o museu de casa – e obras de mestres do país, como Rembrandt e Vermeer, passavam a poder ser vistas virtualmente de qualquer lugar do planeta. O ano era 2012, e não havia o menor sinal de que, 9 anos depois, por conta da atual pandemia, acessar as coisas “de casa” se tornaria mandatório.

“A Leiteira”, de Johannes Vermeer (1660)

Pois é nesse contexto que o museu decidiu liberar seu imenso acervo para acesso em alta qualidade – e para download. São 709.622 imagens disponíveis pela plataforma Rijksstudio, onde podem ser vistas bem de perto (com direito aos detalhes mais precisos, como se estivéssemos com o nariz colado à tela) ou baixados em alta qualidade com a simples criação de um perfil que pode ser feito através de um e-mail ou em associação com nosso perfil no Facebook.

Auto-retrato, de Rembrandt Harmenszoon van Rijn (1628)

Não mais do que dois cliques e pronto: um Rembrandt em alta qualidade chega ao seu computador.

“The Sampling Officials of the Amsterdam Drapers’ Guild”, também conhecido como “The Syndics”, de Rembrandt Harmenszoon van Rijn, 1662

“Nesses tempos de isolamento forçado”, afirmou Friso Lammertse, curador de pinturas holandesas do século XVII do Rijksmuseum, “a arte de um Vermeer pode nos lembrar que há beleza extrema a ser encontrada em nosso quarto”. Além das imagens, a plataforma oferece informações sobre os trabalhos, e ainda outros “passeios” pelo acervo do museu – e a qualidade é tamanha que é possível imprimir os quadros, feito fossem pinturas originais, já que, por conta da Covid-19, o museu permanece fechado.

Vênus e Adônis, de Ferdinand Bol (1658)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicidade

© artes: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Agenda Hype em casa: lançamentos carnavalescos, música, cinema e resistência