Inspiração

O que é jardim sensorial e porque você deveria montar um na sua casa

Gabriela Rassy - 26/01/2021 | Atualizada em - 28/01/2021

Que as plantas deixam qualquer ambiente mais bonito e aconchegante nós já sabemos – e quem não sabia aprendeu durante o isolamento. Mas ter um jardim em casa, mesmo que em vasos e espaços pequenos pode ser revigorante.

Um jardim sensorial, segundo a engenheira agrônoma da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS), Maria Cláudia Silva Garcia Blanco, é aquele que estimula todos – ou pelo menos alguns – dos nossos sentidos.

mãe e filho brincando no jardim

“É muito comum a realização, por exemplo, de jardins de ervas que priorizam os sentidos do olfato e do paladar, além de ser um jardim também funcional, uma vez que as plantas são colhidas e podem ser utilizadas na culinária como aromatizantes, corantes e temperos”, disse em entrevista à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Além do contato com a natureza, espaços com plantas estimulam visão, tato, olfato, paladar e até a audição.

Para experimentar do bem-estar promovido pela presença de plantas, não é necessário viver em uma casa grande ou fora dos grandes centros urbanos.

Um jardim sensorial pode ser feito em um pequeno quintal, vasos verticais em varandas de apartamentos e até mesmo em áreas públicas como praças – o que será lindo depois que pudermos voltar às ruas e aproveitar para trocar mudas e informações com os vizinhos.

vasos com mudas de plantas

Confira algumas dicas da especialista sobre as plantas que estimulam cada sentido:

  • visão ‒ plantas floridas, folhagens de formatos diferentes, plantas com cores e tamanhos diversificados, formando um conjunto harmonioso. Podem compor esse conjunto as camélias, azaleias, primaveras, calêndulas, cavalinhas, os filodendros, hibiscos. Um bloco com plantas típicas de regiões áridas como as cactáceas, como o mandacaru; as suculentas, como babosa; e, ainda, outras cercadas de seixos ou pedregulhos completando a ambientação.
  • tato ‒ plantas com vários formatos e texturas e que possam ser tocadas, como carqueja, espada ou lança de São Jorge, boldo, peixinho, malvarisco, tuias, entre outras.
  • olfato ‒ plantas aromáticas como alecrim, tomilho, cidreiras, arruda, gerânio aromático e plantas com flores perfumadas como jasmim, orquídeas, lavandas e gardênias.
  • paladar ‒ plantas que podem ser degustadas como os temperos, manjericão, orégano, cebolinha, salsa, sálvia, manjerona, hortelãs. E as flores comestíveis, como capuchinha e amor-perfeito. Entre os frutos, podem ser cultivados tomatinhos-cereja, morangos e laranja kinkan.
  • audição ‒ para este sentido não são usadas plantas, mas instrumentos e recursos que emitem som como os sinos de vento feitos com vários materiais como bambu, metal e outros, que proporcionam diferentes sons. As minifontes e minicascatas de jardim proporcionam o som tranquilizante da água corrente.

“O principal em um jardim sensorial é a participação do visitante que tem que se permitir experimentar, percorrer, tocar, cheirar e se encantar com as maravilhas da natureza”, explica Maria Cláudia.

mulher deitada em meio ao jardim

Como plantar em recipientes e vasos

Basta usar uma mistura de terra, composto orgânico/húmus ou torta de mamona nas seguintes proporções: terra :húmus = 1 : 1; ou terra :torta de mamona = 3 : 1; ou ainda terra : areia : húmus = 1 : 1 : 1, quando a terra for muito argilosa.

Para ajudar na drenagem da água, o ideal é colocar no fundo pedriscos, cacos ou argila expandida. Depois coloque a mistura de terra, plante a semente de acordo com a profundidade exigida pela espécie escolhida – quanto menor a semente, mais superficial deve ser a semeadura.

Para plantar mudas, retire do plástico ou recipiente com cuidado, abra um buraco na terra e depois cubra, pressionando suavemente para ajeitar a planta em sua nova morada.

pessoa plantando uma muda

Toda planta gosta de água. Algumas mais, outras menos, então uma regra básica é colocar o dedo 2cm para dentro da terra. Se estiver seca, regue. Adubar com composto orgânico ou torta de mamona a cada dois ou três meses ajuda no desenvolvimento das plantas.

É bacana escolher espécies medicinais para seu jardim, que podem ser usadas em preparações de chás e sucos, PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais) nativas da sua região, ou mesmo ervas para usar no preparo de seus pratos:

  • folha da fortuna (Bryophylium pinnatum – PANC considerada antialérgica, antiúlceras e imunossupressiva. Pode ser consumida fresca, sem contra-indicações.
  • boldo (Plectranthus barbatus Andrews) – o sabor é amargo, mas produz belas flores roxas visitadas por borboletas e beija-flores.
  • capuchinha (Tropaeolum majus) – também uma PANC, seus frutos e flores são nutritivos e podem ser consumidos. Em relação às qualidades medicinais é expectorante, antisséptica das vias urinárias, tendo ações diurética, antiinflamatória e hipotensiva. Pela beleza e colorido das flores também é apreciada como planta ornamental.
  • cavalinha  (Equisetum hyemale) – É bastante empregada na medicina caseira e na agricultura orgânica como protetora de plantas contra doenças.
  • alecrim (Rosmarinus officinalis) – muito utilizada na culinária e na preparação de óleos essenciais.
  • colônia (Alpinia zerumbet) – costuma ser cultivada como planta ornamental devido à beleza de suas flores, mas apenas as suas folhas são utilizáveis.para fins terapêuticos.

chá de alecrim

Publicidade


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.