Arte

Agenda Hype em casa: BaianaSystem, Larissa Luz e festivais celebram a música e o mar

Gabriela Rassy - 02/02/2021 | Atualizada em - 03/02/2021

Dia de Yemanjá, mar em festa e lançamentos de dar aquele quentinho no coração. Começando com BaianaSystem que lançou no dia da rainha do mar a faixa Reza Forte, já acompanhada de um clipão daqueles. Larissa Luz também chegou junto na celebração lançando “Yemanjá é preta“, também com clipe belíssimo.

Os festivais atacam em versões virtuais nesta semana. O Pré no Reggae, de Recife chega à sua 12ª edição enquanto o Levada apresenta novidades sonoras em 4 dias de apresentação.

Para os amantes do cinema, a boa é acessar a plataforma Spcine Play e aproveitar o catálogo todinho de graça até o final do mês.

Vem na minha!

#lives

12º Pré no Reggae | Youtube da Groovin Produções
4 a 6 de fevereiro, a partir das 19h
Grátis
O festival que tradicionalmente acontece na semana pré-carnavalesca no Bairro do Recife Antigo ganha edição virtual neste ano. No line up os veteranos da cena do reggae alagoano, Vibrações, e nomes de importantes de Pernambuco como N’Zambi, Favela Reggae, Ívano, Eric Gabínio, Leões, Reggae Roots, Cubana Rasta e Palavra Positiva. O festival, que é o maior do gênero gratuito do país, integra a agenda cultural da cidade do Recife.

Festival Levada! | YouTube Levada
Dias 2, 3, 9 e 10 de fevereiro, 21h
Grátis
Sete promessas da nossa música vão se apresentar no LabSonica, laboratório de experimentação sonora do Oi Futuro, que apoia o festival desde a estreia, em 2012. Ao todo são quatro apresentações com transmissão em tempo real, além da cobertura do evento pelo Instagram do Levada (@festivallevada). Programação dos shows: Ilessi (dia 2 de fevereiro, terça-feira), Thiago Nassif (dia 3 fevereiro, quarta-feira), Àiyé (dia 9 de fevereiro, terça-feira) e do coletivo formado por Dora Morelenbaum, Julia Mestre, Lucas Nunes e Zé Ibarra (dia 10 de fevereiro, quarta-feira). Desta vez, o público ficará em casa, enquanto os artistas e a equipe do festival capricharão para tornar o encontro não menos do que incrível, sem descuidar dos protocolos de segurança sanitária.

Festival Viver com Música | Instagram
1 a 5 de fevereiro
Grátis
Contando com músicos de diferentes estilos e de várias partes do Brasil, o evento quer dar oportunidade para artistas amadores e profissionais ganharem projeção na internet. Na diversa programação, Quesia Neves, do interior de São Paulo; Reiner, de Bélem; Nathália Bellar, de João Pessoa; Moisés Navarro, de  Minas Gerais, entre outros. Confira a programação completa aqui.

Luciane Dom | Trace Brasil
Quarta, às 19h
Grátis
Com um som que mescla MPB, com uma visão moderna do jazz e R&B, seu disco “Liberte Seu Banzo”, lançado em 2018, conta com a participação de Rubel e Carlos Malta, e tem os arranjos assinados por Rodrigo Ferrera (JahzMusic).

#lançamentos

BaianaSystem Feat. BNegão | Reza Forte
Reza Forte antecipa o novo disco que se apresenta em 3 atos. Três palavras que se fundem dando um novo sentido e unificando as partes: OXEAXEEXU. O três como numeral e simbolismo, além de representar o sagrado, abre a percepção da realidade como um caminho diferente da dualidade, lados opostos, sim e não, que tem sido a tônica dos últimos tempos. O triângulo, a tríade, o triskel. A Santíssima Trindade, Iuá x Axé x Abá, Krishna, Brahma e Vishnu, o início, meio e fim, animal, vegetal e mineral. Seguimos como desde o início dos tempos, tentando entender sobre essa nossa viagem no planeta Terra e, entre guerras visíveis e invisíveis, buscando proteção para cada um de nós, que nesses tempos significa proteção para todos, olhos atentos e abertos para além do alcance. Folha de arruda, pé de coelho e sal grosso.

Larissa Luz | Yemanjá é preta
Larissa mais uma vez cirúrgica ao falar sobre a cor da rainha do mar. Parte da ancestralidade e da história dos orixás: “E de onde eles vêm não tem como questionar; A cor que brilha na pele da rainha do mar; De seios fartos quadris largos; Fios crespos Coroa que enfeita; A trajetória do nosso povo constrói sua imagem e afirma: Yemanjá é preta!”

Tunna | Avenida Elétrica
Formado pela cantora Anna Crô e pelo baterista e produtor Arthur Kunz, o duo Tunna lançou o álbum “Avenida Elétrica”. Disponível em todas as plataformas digitais, o disco segue o estilo pop reflexão e apresenta letras autorais que debocham e divertem a partir de questionamentos das crenças estabelecidas na sociedade e relações amorosas. Para a criação conceitual do projeto, os artistas uniram três pilares referenciais: pop universal, eletrônica alternativa e o pop brasileiro – que vai desde o tecnobrega, axé music ao arrocha do forró.

 

Do Culto ao Coma | IMAGO
Como toda peça de arte, que no processo de composição e pesquisa acaba por se misturar com a própria vida real (afinal, são transponíveis esses limites?), o segundo álbum da banda Do Culto Ao Coma, IMAGO, retrata grandes transformações individuais de seus integrantes. O grupo, formado em 2014 e atualmente composto por Leandro TG Mendes (guitarra), Guilherme Costa (baixo e teclado), Leonardo Nascimento (bateria e teclado) e Thiago Holzmann (voz e teclado), carregou de referências pessoais seu rock autoral e independente, resultando em uma metamorfose sonora em relação a seus trabalhos anteriores.

Dani Vieira | Vendaval
A quarentena trouxe uma nova linguagem para conteúdos audiovisuais, com as plataformas sociais estimulando a criatividade e incentivando produções por meio dos smartphones. Atenta a essa tendência, a artista baiana radicada em São Paulo, Dani Vieira, apresentava “Vendaval”, o primeiro single que lança em 2021. Gravado na vertical e pelo celular da artista, o clipe tem um clima caseiro e traz situações que embalam o amor de Dani e de sua companheira, Nayara Ruiz, que faz participação no vídeo. Com uma bela iluminação, o clipe foi ambientado em um apartamento no Guarujá, litoral sul de São Paulo.

Jupiter & Okwess | You Sold Me a Dream
A faixa é o grito de desilusão ecoado pelos povos de países em desenvolvimento ao enfrentar o impacto que a colonização teve em suas terras. Jupiter & Okwess, originário da República do Congo, se conecta à América Latina para expressar tal desencanto nesta energética faixa, unindo vozes com a cantora chilena Ana Tijoux. Após lançar o EP Bolingo (ouça aqui), em dezembro de 2020, cujo single de mesmo nome trazia a voz do brasileiro Rogê, a banda dá mais um passo em direção ao disco Na Kozonga (previsto para abril), que sintetiza o poderoso ritmo congolês. O trabalho apresentará colaborações latino-americanas, como a do rapper brasileiro Marcelo D2. “You Sold Me A Dream” acompanha um videoclipe gravado na Cidade do México.

Johnny Bolzan | Namastê
Depois de acumular mais de 600 mil plays nas plataformas digitais, a radiofônica “Namastê” – música lançada originalmente em 2018, por Stéfano Ferraz – ganha agora uma nova versão assinada por Johnny Bolzan. Nesse projeto, o artista aposta no house, mais precisamente o “brazilian bass”, para entregar uma track feita para as pistas, com tom pulsante, alto astral e colorido.

#filmes

Catálogo gratuito na Spcine Play
A Spcine Play estende a gratuidade do seu catálogo até 31 de março de 2021. A iniciativa faz parte das ações da Spcine em decorrência da pandemia da Covid –19 e possibilita que a população tenha acesso a conteúdo de qualidade durante este período em que o isolamento social segue sendo necessário. A plataforma de streaming conta com mais 300 títulos, divididos entre filmes, séries, shows, videoclipes que podem ser acessados de qualquer lugar do Brasil. No catálogo, estão disponíveis raridades de grandes nomes do cinema brasileiro, como Hector Babenco, Zé do Caixão, Suzana Amaral, Helena Ignez, Tata Amaral e Ana Carolina. Acesse aqui!

Bate-papo de Cinema Pontos MIS | Torquato Neto – Todas as Horas do Fim
Sábado, 18h
O programa, que traz uma sessão de cinema online seguida por bate-papo ao vivo, apresenta, nesta edição, o filme Torquato Neto – Todas as Horas do Fim (Dir: Marcus Fernando, Eduardo Ades, documentário, 87 min, 2018), em parceria com a Vitrine Filmes. O documentário estará disponível ao público entre os dias 5 e 6 (com inscrições gratuitas por meio deste link) e, no sábado, às 18h, acontece (no canal do MIS no Youtube) bate-papo com Giuliana Monteiro (roteirista, diretora e mestre pela Universidade de Nova York) e Eduardo Bordinhon (artista e professor).

#inscrições

Inscrições para o edital do Latinidades Pretas
De 29 de janeiro de 2021 à 20 de fevereiro às 23h59
Na próxima sexta-feira, 29 de janeiro, Dia da Visibilidade Trans, os institutos Feira Preta e Afrolatinas, em parceria com a Fundação Open Society, abrem as inscrições para o edital do Latinidades Pretas, plataforma voltada ao reconhecimento, visibilização e premiação de conteúdos inéditos desenvolvidos por criadoras e criadores negros e indígenas na América Latina e Caribe, que este ano terá foco na comunidade LGBTQIA+. Ao todo, serão repassados R$ 100 mil em 100 bolsas de auxílio financeiro para empreendedores que atuam na cultura e economia criativa.
Formulário de inscrição e edital completo no site www.latinidadespretas.com.br

#podcast

Enciclopédia do Teatro Impossível
A primeira temporada do podcast conta de uma forma única a história da dramaturgia brasileira a partir de seus fracassos. Nele, o ator e diretor Rafael Pimenta mistura ficção e realidade ao reunir histórias de projetos teatrais que deram errado. O projeto, realizado em parceria com a Papier Podcast, traz relatos sobre eventos reais, produções e personalidades que marcaram um período histórico acompanhados por uma narração bem humorada. São 21 episódios com participações especiais de peso, como a atriz Nathalia Timberg, Mel Lisboa, Gabriela Poester, Paula Silvestre, Gabriel Godoy, Caito Mainer, Elisa Volpatto, Rafael Lozano, Vinicius Calderoni, André Abujamra, entre outros, que contaram histórias de personalidades importantes tais quais Domitila do Amaral, Angélica Liddell, Roberto Alvim, Cacilda Becker, Ney Latorraca, Otavio Frias Filho, Antunes Filho e muito mais.

#visuais

Videoartepapo – Lyara Oliveira
Quinta-Feira, 20h
Quinzenalmente, o MIS apresenta um bate-papo ao vivo sobre videoarte, conduzido pela artista Marcia Beatriz Granero, lançando luz sobre os diversos trabalhos que integram o Acervo do Museu e convidando artistas representativos. A convidada desta edição é a artista visual Lyara Oliveira. Apaixonada por audiovisual, Lyara é mestra em Artes Visuais, produtora, diretora, professora, doutoranda em Meios e Processos Audiovisuais na ECA-USP e integra o grupo de pesquisa LabArteMídia. Ela irá contar sobre suas criações de videoarte, seu processo de pesquisa de linguagem e referências contemporâneas.

#cênicas

Medeia | Canal da BR116 no YouTube
7 de fevereiro a 12 de março de quarta a sábado às 20h e domingo às 18h
Grátis
No ano em que comemora 10 anos, a Cia. BR116 estreia Medeia, de Consuelo de Castro. O projeto estava programado para ir aos palcos em 2020, quando a pandemia assolou o mundo, interrompendo qualquer possibilidade de criação artística coletiva. Impossibilitados de estarem em um teatro, o cinema surgiu como um caminho a ser trilhado, mas a arte cênica se fez presente como norte para criação. Misturando as duas linguagens, a trupe encena a tragédia escrita por uma das maiores dramaturgas brasileiras do nosso tempo. Em 1997, Consuelo de Castro escreveu sua versão do famoso mito grego, intitulada Memórias do Mar Aberto – Medeia conta a sua história. A narrativa de Consuelo é contundente, visceral, atual e não maniqueísta. Personagens como Jasão, Creonte e Glauce ganham dimensões e conflitos internos. Consuelo salienta também a traição política, além da amorosa, sofrida por Medeia. Deusa, guerreira, amante e mãe, a voz de Medeia se confunde com a da autora.

#gastronomia

Rodízio árabe vegetariano do Restaurante Baruk
Referência no segmento de culinária árabe há 11 anos, o restaurante Baruk amplia o olhar sobre o seu rodízio, sucesso da casa, agora com a versão vegetariana (R$ 57,90). Reunindo tradicionais salgados árabes e porções de saladas, pratos e pastas, a nova alternativa pode ser pedida tanto nos dois restaurantes da marca, nos bairros da Vila Olímpia e do Itaim Bibi, quanto pelo delivery. Entre as opções que compõem a novidade, estão as esfihas de zattar – mistura de especiarias típica do Oriente Médio –, verdura e queijo; saladas de tabule e fatuch; porção de falafeis, arroz sírio e arroz com lentilha, além do trio de pastas frescas de hommus, babaganush e coalhada seca – pedidas certas para completar a experiência com os mini pães sírios, assados na casa, que acompanham o conjunto e chegam quentes à mesa.

Cervejaria Nacional na Zona Leste de SP
Primeira entre as micro-breweries de São Paulo, a Cervejaria Nacional, que tem notoriedade e é queridinha em Pinheiros, alça novos voos e aterrissa uma nova unidade de delivery e take away no Tatuapé, Zona Leste da cidade. O raio de entrega atinge até 7 km e alcança bairros próximos como Anália Franco, Mooca, Brás, Vila Carrão, Vila Prudente, entre outros. Os pedidos podem ser solicitados no aplicativo da Cervejaria Nacional (disponível no google play), iFood e Rappi. Moradores da região podem se refrescar com os chopes clássicos em pet growlers de 1L como a Y-âra Pilsen (R$ 23,50), Mula Ipa (R$ 29,00), Domina Weiss (R$25,50), Saci Stout (R$ 26,50), Kurupira Ale (R$ -26,50), além das opções sazonais que entram na carta mensalmente. Para fortalecer ainda mais a entrega, a Cervejaria Nacional oferece até 50% nos rótulos, toda semana, de segunda a quarta-feira.

Publicidade


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.