Debate

Brasil tem quase 50 barragens em nível de emergência com risco de repetição de catástrofes

Vitor Paiva - 01/02/2021 | Atualizada em - 04/03/2021

Passados ​​cinco anos do rompimento da barragem em Mariana e quase exatos dois anos da tragédia semelhante em Brumadinho , com mortos de mortos e um impacto ambiental sem precedentes , aparentemente nem a Vale SA, outras mineradoras nem como autoridades brasileiras parecem ter aprendido algo com os terríveis ocorridos: atualmente 47 barragens em estado de emergência no país, com novas tragédias em vias de acontecer a qualquer momento, e pouco ou nenhum esforço sendo realmente aplicado para a resolução de tais problemas em potencial.

Parte do rastro do lama vinda da barragem rompida em Brumadinho

Parte do rastro do lama vinda da barragem rompida em Brumadinho

É isso que revela o novo  relatório semanal da Agência de Mineração (ANM), publicado no último dia 11 de janeiro. Das 47 barragens apontadas, 42 estão em Minas Gerais, e 30 essas são administradas pela Vale SA , empresa responsável pelo crime de Brumadinho, ocorrido em 25 de janeiro de 2019 e ceifando a vida de 259 pessoas, e também ligada à tragédia de Mariana , que se deu em 5 de novembro de 2015 com 18 mortos e o maior impacto ambiental da história do Brasil.

Parte da área atingida após o rompimento da barragem em Mariana

Parte da área atingida após o rompimento da barragem em Mariana

Segundo o relatório, três barragens estão em nível de emergência: B3 / B4, da Minerações Brasileiras Reunidas, em Nova Lima, e a Forquilha III, em Ouro Preto, e Sul Superior, em Barão dos Cocais, ambas administradas pela Vale – esses três casos mais graves são todos em Minas Gerais. As outras barragens apontadas como em situação de risco estão no Amapá (2), Mato Grosso (4), Pará (1), Goiás (1) e Rio Grande do Sul (1) – ao todo, segundo o relatório, como barragens apontadas como de “risco médio” somam 58 – com 28 em Mato Grosso e 8 em Minas Gerais – e como de “risco baixo”, são 326 no total.

Trajeto no município de Bento Rodrigues destruído pelo lama de Mariana

Trajeto no município de Bento Rodrigues destruído pelo lama de Mariana

E a informação das novas tragédias que pode acontecer um componente ainda mais cruel diante de uma informação complementar que oferece a medida do descaso com as tragédias, o ambiente e a vida: segundo dados, a ANM, responsável por regular as atividades de minério no Brasil , terá uma redução de 24% em seu orçamento para 2021. Em 2020 eram R $ 90 milhões, e para o ano que começa a R $ 68 milhões – apesar da necessidade da contratação de mais técnicos para justamente tornar possível a fiscalização correta.

Um lama em Mariana

Lama em Mariana

Publicidade

© fotos: Wikimedia Commons


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutor em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Fernanda Torres explica ‘escolha de vacina’ após ser imunizada contra a covid