Ciência

Coronavírus: a perda do prazer do paladar – e com isso de profissões – por conta da Covid-19

por: Vitor Paiva

Com o passar da pandemia e a ampliação dos estudos a respeito da Covid-19 torna-se claro se tratar de uma doença mais complexa do que se pensava – e com possíveis efeitos colaterais inesperados e consequências inusitadas sobre a saúde dos pacientes. Como a perda do olfato e do paladar, um dos sintomas mais recorrentes entre os casos da doença, e uma das mais custosas consequências mesmo após passado o período de infecção – capaz de tirar a alegria de se sentir o cheiro e o gosto das coisas, mas também de prejudicar ou mesmo encerrar a carreira dos profissionais que dependem do paladar e do olfato para trabalhar.

Perda de olfato é um dos sintomas mais recorrentes da Covid-19 Getty Images

Alguns relatos mostram que às vezes não só desaparecem o cheiro e o gosto das coisas, como muitas vezes tais aspectos outrora deliciosos se tornam terríveis dentre os pacientes da Covid. Segundo pesquisas, mais da metade dos infectados pelo vírus no mundo perderam, parcial ou completamente, o olfato e o paladar – e isso inclui provadores da indústria alimentícia, cervejeiros, cozinheiros, trabalhadores da perfumaria, sommeliers e tantos outros profissionais que usam tais sentidos como instrumentos de trabalho.

A sommelier Suriya Bala, que perdeu o olfato por conta da Covid-19

A sommelier Suriya Bala, que perdeu o olfato por conta da Covid-19 © Divulgação

Uma reportagem do The Guardian reuniu alguns relatos de tais casos – como Suriya Bala, uma guia turística de vinho e comida do bairro de Notting Hill, em Londres, que viu seu negócio profundamente abalado depois de perceber que, mesmo passados três meses de seu diagnóstico, sua habilidade olfativa se encontrava prejudicada – e o quanto tal impacto é profundo. “Sem o odor você não tem o sabor”, comentou. “Eu agora consigo sentir as extremidades dos sabores, mas não o meio, as nuances, as notas perfumadas – tudo aquilo que forma, por exemplo, a experiência do vinho, se foi. Tornou-se realmente uma experiência vazia”, concluiu.

A perda do paladar também tem sido reportada pelos doentes de Covid-19 © Getty Images

O caso de Bala é exemplar, mas seguramente é somente um em um universo de milhares de pessoas que viram seus trabalhos afetados diretamente por essa consequência inesperada de uma doença sorrateira – e o vinho, antes sua grande paixão, agora se parece, segundo ela, com “um copo de água com sal”. Ela vem treinando novamente seu olfato e paladar para tentar retomar o trabalho, mas sem saber ainda se será o suficiente. “Se eu não conseguir recuperar totalmente meus sentidos, não consigo me imaginar seguindo no mundo dos vinhos e das comidas – o prazer foi arrancado”, ela disse. “Fiquei um tanto inútil diante do que fazer, é algo que mudará minha vida de tal forma que eu não gosto nem de pensar”.

© Shutterstock

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Oceano Atlântico cresce e Pacífico encolhe; ciência tem nova resposta para fenômeno