Diversidade

Ela registrou seu processo de aceitação do vitiligo para inspirar outras pessoas

por: Redação Hypeness

Patrocinado por: Namore-se

A adolescência costuma ser uma fase complicada na aceitação do próprio corpo. Para a americana Antonia Livers, a fase foi ainda mais complicada. Aos 14 anos, ela percebeu que suas pálpebras apresentavam pequenas manchas em tons mais claros daquele de sua pele. Era o começo da manifestação do vitiligo, uma condição crônica que provoca despigmentação no maior órgão do corpo humano. 

Por que as pessoas se chocaram com uma fisiculturista dando de mamar

Toni Livers, como Antonia é conhecida, aprendeu a amar o próprio corpo depois de ser diagnosticada com vitiligo.

Apesar do diagnóstico e do choque inicial, a jovem não se deixou abater e, aos poucos, aprendeu a lidar com o vitiligo. Ela começou a frequentar academias e encontrou no exercício físico, em especial a musculação, uma válvula de escape. A atividade a ajudou a aceitar sua condição e a inspirou em usar sua própria história para levantar outras pessoas que estejam passando pelo que ela mesma já passou. 

Vovó fisiculturista completa 80 anos e revela seus segredos para manter a forma

Eu aprendi a aceitar [o vitiligo] com o tempo. Depois disso, passei a admirar a minha fisionomia e quem eu sou. Só então consegui me amar de todo meu coração”, conta a jovem do estado americano de Utah. 

Toni, como é conhecida, se tornou fisiculturista e aprendeu a amar o próprio corpo do jeito que ele é. Hoje, ela não tem nenhuma vergonha de mostrar sua pele durante as competições das quais participa e nem em momentos de pura diversão, como quando vai à praia. 

Fotógrafo com vitiligo faz ensaio arrasador com modelos na mesma condição

Publicidade

Fotos: Antonia Livers/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Dia da Visibilidade Trans: 4 filmes que levantam essa bandeira tão urgente