Debate

Luana Demonier foi morta a facadas por ex enquanto os dois conversavam na rua

por: Redação Hypeness

O feminicídio de Luana Demonier, de 25 anos, foi registrado por câmeras de segurança na rua onde a jovem morava, no bairro Vila Capixaba, em Cariacica (ES). Ela foi esfaqueada pelo ex-namorado Rodrigo Pires Rosa, de 38 anos, na noite de terça-feira (9). 

O vídeo divulgado pela Polícia Civil na noite de quarta-feira (10) foi editado para preservar a família da jovem. A versão original foi usada para identificar o criminoso, que aparece fugindo sendo seguido por um agente da Polícia Militar logo após matar Luana. 

– O que é a ‘defesa da honra’ e como ela legitima os feminicídios no Brasil

Luana Demonier foi morta a facadas por ex enquanto os dois conversavam na rua

Feminicídio premeditado e medida protetiva 

Diante da evidência, o feminicida se entregou na Delegacia da Praia do Canto, em Vitória, onde prestou depoimento às autoridades confessando ter matado a ex-namorada a facadas. Já detido, Rodrigo foi autuado em flagrante por homicídio duplamente qualificado por impossibilitar a defesa da vítima e por feminicídio (a motivação do assassinato por gênero é prevista por lei).

Segundo o depoimento Rosa, o crime foi premeditado. “Ele pegou a faca depois do almoço e acompanhou Luana na volta do trabalho (à noite). Não teve uma discussão para ter sido algo do momento”, argumenta a delegada Rafaella Aguiar, que está à frente da investigação e da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM). 

– Homem cola os olhos e agride ex-parceira em tentativa de feminicídio

De acordo com a Polícia Civil, a Luana já tinha uma medida protetiva contra Rodrigo Pires Rosa. Os dois se relacionaram por um anos e chegaram a ter uma filha, falecida aos cinco meses de idade vítima parada cardiorrespiratória em maio de 2020. Segundo a família, ele abandonou as duas assim que a menina nasceu.

No dia do crime, Rodrigo entrou no mesmo ônibus em que a vítima estava e começou a intimidá-la em voz alta falando sobre a morte da criança e outros passageiros entenderam a postura como uma ameaça, diz a família. Enquanto voltava para a casa, Luana recebeu uma mensagem do ex-companheiro, que afirmava que iria matá-la. Ao chegar na rua onde morava, no bairro Vila Capixaba, a vítima foi surpreendida por ele e levou 19 facadas. Luana Demonier morreu ainda no local.

Os dois chegaram a ter uma filha, que morreu aos 5 meses

Indiciado pelo feminicídio, Rodrigo Pires Rosa já era investigado desde 2015 pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). Contra ele, dois mandados de prisão em aberto por descumprir medidas protetivas. Ele também responde por mais oito inquéritos policiais, todos relacionados à violência doméstica.

Em um desses episódios, Rodrigo foi flagrado correndo atrás de outra ex-companheira com uma faca. O feminicida chegou a ser preso em julho de 2020 pelo crime de ameaça e encaminhado ao Centro de Triagem de Viana, mas ganhou liberdade no dia 3 de setembro.

Luana foi morta com 19 facadas

Rodrigo Pires Rosa ainda foi um dos alvos na última edição da ‘Operação Maria’s’, realizada em dezembro do ano passado, e em diligências feitas em janeiro, mas em ambas as ocasiões não foi localizado. O criminoso confirmou à Polícia Civil que passou a viver em condição de andarilho (sem endereço fixo) quando soube da ordem de prisão.

O vídeo abaixo mostra o momento em que Luana é assassinada a facadas por Rodrigo: 

Publicidade

Fotos: foto 1: Reprodução/Facebook/foto 2: Divulgação/Polícia Militar/foto 3: Reprodução/Facebook


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
‘Contribua com sua vida para salvar a economia’, diz prefeito de Porto Alegre sobre isolamento