Sustentabilidade

Mercado de créditos de carbono atrai interesse de empresas de olho no clima

por: Redação Hypeness

Patrocinado por: MCO2

O mercado de créditos de carbono vem se revelando com grande potencial e como um instrumento eficaz para que as empresas ou países mais poluentes possam reduzir seu impacto sobre o meio ambiente – suas emissões de carbono na atmosfera – a partir da compra de tais créditos. O mercado começou principalmente a partir dos efeitos do Protocolo de Quioto, acordo internacional assinado no final dos anos 1990 e em vigor desde 2005, que determinou uma série de compromissos pela redução da emissão de tais gases poluentes.

© Getty Images

Assim, uma instituição, empresa ou projeto comprovam atividades que reduzem a emissão de gases poluentes, recebem certificados e passam a poder vender – para empresas ou países poluentes – esses créditos. Assim criou-se um caminho funcional e até mesmo um mercado rentável para um dos problemas mais graves do mundo contemporâneo – e só no Brasil, país que ocupa a terceira posição em participação nesse mercado, 268 projetos representam 5% do total mundial.

Nesse mercado emergente brasileiro destaca-se hoje, como exemplo do potencial dos créditos de carbono em suas tantas aplicações, a MOSS – uma empresa que surgiu do desejo de seu fundador em trazer um impacto positivo para o mundo, e se tornou a maior plataforma ambiental do mundo e a maior empresa a oferecer créditos de carbono do país. Depois de 18 anos trabalhando no mercado financeiro tradicional, o desejo de Luis Felipe Adaime ao fundar a MOSS era tão ambicioso quanto o de salvar o mundo – abrindo o mercado de créditos de carbono a todos os potenciais interessados.

O impacto positivo sobre o planeta e o meio ambiente, assim como a dedicação por um futuro melhor, somam-se à tecnologia e à inovação como espírito principal da plataforma – como sua verdadeira causa. O lançamento recente do MCO2, token de crédito de carbono comercializado via tecnologia blockchain, agora disponível no Mercado Bitcoin confirmou e ampliou esses dois potenciais da pauta: tecnológico e ecológico.

Luis Felipe Adaime, fundador da MOSS © Instagram

Luis Felipe Adaime, fundador da MOSS © Instagram

O sucesso do lançamento, ocorrido no início de fevereiro, foi imediato e sem precedentes: foram quase 250 mil tokens comercializados nos primeiros 4 dias, com mais de US$ 61 milhões de dólares em circulação. Se medidos em verde, em mata, em floresta, tais números representam o equivalente à conservação de cerca de 734 milhões de árvores, que tornaram o MCO2 o ativo com um dos maiores volume de transação da história da plataforma do Mercado Bitcoin. Mais do que digital, portanto, o futuro também terá de ser verde – e passará, pelo visto, necessariamente pelo mercado de créditos de carbono.

© reprodução

Publicidade

© fotos: créditos


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Conheça alguns dos projetos mais relevantes na produção de créditos de carbono no Brasil hoje