Arte

Pingue Pongue: o programa de rádio de Matilde Campilho e Tomás Cunha Ferreira

Vitor Paiva - 24/02/2021 | Atualizada em - 05/03/2021

Uma das mais celebradas autoras da atualidade, a poeta portuguesa Matilde Campilho construiu sua literatura entre Lisboa e o Rio de Janeiro – o Brasil –  onde viveu por anos: a autora dos livros Jóquei e Flecha, nascida em solo português, soma à sua poética os fortes ventos cariocas. E quem admira o trabalho de Matilde e quer ouvir mais e novas palavras da poeta pode sempre recorrer às suas páginas, mas também ouvir em sua própria voz – no programa de rádio Pingue Pongue, que divide com o músico e multiartista português Tomás Cunha Ferreira.

A poeta portuguesa Matilde Campilho

Dial a Poem: o maravilhoso ‘disque poesia underground’ que funcionou nos anos 1960

Segundo o site da RTP, por onde o programa é transmitido, o programa é como uma partida de pingue entre um homem e uma mulher, mas no lugar da bolinha entra um microfone. “Um programa de rádio a dois. Uma mulher e um homem, uma voz feminina e outra masculina. Uma conversa à mesa, com várias coisas sobre a mesa: livros, canções, sons achados na rua ou na internet”, diz o texto de apresentação. “As conversas entre a Matilde e o Tomás são antigas. Há muitos anos que falam de pintura e literatura, de música, da maneira como a luz incide sobre o morro Dois Irmãos no Rio de Janeiro, do barulho do rio ali no Cais das Colunas em manhãs de maré baixa”.

Matilde e Tomás no estúdio

Tomás não é de forma alguma menos ligado ao Brasil que Matilde – e a relação com a cultura e a arte brasileira não é menos intensa: o artista plástico e compositor é assumidamente fã de MPB e já trabalhou com artistas como Tulipa Ruiz, Domenico Lancellotti, Mariano Marovatto, Jonas Sá e Moreno Veloso. Os episódios do programa podem transcorrer através dos mais variados temas – como filmes, músicas, memórias, a atualidade, o passado, tudo com a forte tonalidade que a obra dos dois artistas faz pressupor. “Entre os dois, há sempre a novidade, mesmo que a novidade seja antiga”, diz a apresentação.

Como foi a terceira edição do Mundial Poético, festival internacional de poesia, no Uruguai

O músico português Tomás Cunha Ferreira

Canções, textos, barulhos de automóveis, sorvetes de morango, mergulhos no mar, o som: tudo pode formar e tomar a conversa entre Matilde e Tomás em Pingue Pongue – como diz a abertura do primeiro episódio. A medida de tal sensibilidade e força começa pelos títulos dos programas, que vão ao ar aos domingos, entre 23h e 24h: “Tudo Simples”, “Corpo e Sopro”, “Um Outro Sonho”, “O Nó do Tempo é de Ouro”, “O Tênis Cósmico”, “Corra e Olha o Céu” e muitos outros. Cada programa tem cerca de 1 hora de duração, e o melhor: todos os 280 episódios, desde 2015 até hoje, estão disponíveis para serem ouvidos no site da RTP.

MDZhB: a misteriosa rádio soviética que segue emitindo sinais e ruídos há quase 50 anos

Publicidade

© fotos: divulgação/reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.