Gastronomia

Premiado Gin sul-africano é feito a partir do estrume de elefantes

Vitor Paiva - 19/02/2021 | Atualizada em - 05/03/2021

São famosas as variedades de café reconhecidas como as melhores do mundo e feitas a partir de cerejas de café comidas, digeridas e excretadas por pássaros e outros animais – sim, feitas a partir do café presente no cocô de um animal. Pois um Gim sul-africano também celebrado como uma das melhores receitas da bebida no mundo também vem dos dejetos de um animal: mas não de um simpático e pequeno pássaro, mas sim do estrume de um imenso elefante – o rótulo de gin Indlovu é feito com plantas cultivadas a partir do cocô do elefante.

O gin Indlovu, feito do estrume de elefantes

Bar em casa: 3 receitas de coquetéis simples e sofisticados pra ser feliz com responsabilidade

O Indlovu é uma criação do casal de biólogos britânicos Paula e Les Ansley, professores que se mudaram do Reino Unido para a África do Sul, e o projeto nasceu como um meio de contribuir com a reutilização de material a fim de contribuir para os esforços de conservação ambiental. Ao visitarem uma reserva no país, e aprenderem a respeito de como os elefantes são especialmente criteriosos sobre sua alimentação – e como mais da metade dos vegetais que ingerem permanece sem ser digerido, intacto em seus dejetos.

O gin Indlovu, feito do estrume de elefantes

O gin Indlovu, feito do estrume de elefantes

Assim nasceu a destilaria Indlovu, a partir da ideia de que os elefantes iriam naturalmente selecionar os melhores ingredientes – a serem utilizados para o desenvolvimento de um gin premium, a partir de “botânicos selecionados por elefantes”, hoje reconhecido. Cada garrafa mostra as coordenadas em GPS que o estrume de elefante foi coletado, assim como a data, mostrando como cada seleção é única.

Papel de fezes de elefante ajuda a combater o desmatamento e preservar a espécie

Exemplo do estrume utilizado na feitura do Gin Indlovu, feito do estrume de elefantes

Exemplo do estrume utilizado na feitura do gin

“Dependendo do local onde os botânicos foram coletados, o sabor do gin irá se alterar levemente”, afirma Les. Curiosamente o estrume do elefante também já foi utilizado para fabricar papel.

O gin Indlovu, feito do estrume de elefantes

A primeira leva foi produzida em novembro de 2019, e já chegou aos mercados do mundo todo. O sabor é recebido com intensidade pelo público, por conta do “sabor terroso e de erva”, comentou Les. “Nós sabíamos que se íamos fazer um gin a partir do estrume do elefante, tínhamos que fazer um bom gin”, concluiu. Para além da origem singular do ingrediente, e do reconhecimento crescente da bebida como qualidade premium, o propósito por trás da iniciativa é também ecologicamente importante: 15% dos lucros da destilaria é doado para a Fundação África pela conservação dos elefantes.

Depois de passar 70 anos em cativeiro, elefante goza liberdade na Índia

O gin Indlovu, feito do estrume de elefantes

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.