Tecnologia

11 mulheres negras que brilharam na tecnologia com invenções transformadoras

Redação Hypeness - 03/03/2021 | Atualizada em - 11/03/2021

Mês de março celebramos o Dia Internacional da Mulher e é um ótimo momento para relembrar as invenções transformadoras que só existem por conta das mentes brilhantes de mulheres negras.

Vamos celebrar essas conquistas que, além de revolucionárias em seu tempo, até hoje são necessárias no nosso dia a dia.

Dra. Shirley Jackson

Dra. Shirley Jackson

São 12 conquistas e contribuições das mulheres negras de todo o mundo, que vão da escova de cabelo ao sistema de alarme domiciliar, que merecem ser lembradas e homenageadas sempre – já que muitas vezes são negligenciadas e excluídas de nossos livros de história.

Vamos nessa!

1. Escova de cabelo

Você já viu aqueles filmes antigos em que mulheres escovam os cabelos 100 vezes, contando cada pincelada – o que parecia ser uma perda de tempo desnecessária?

Eles provavelmente tiveram que fazer isso naquela época. As escovas não eram tão fáceis de usar como são hoje, e pentear o cabelo era um processo longo e difícil.

A invenção de Lyda D. Newman foi simples, mas revolucionária. Em 1898, Newman patenteou sua “escova de cabelo nova e aprimorada”.

A escova tinha cerdas separadas por igual, ranhuras que mantinham a sujeira e o cabelo bem contidos e um compartimento removível para fácil limpeza. As cerdas artificiais que Newman usava eram semelhantes às de plástico usadas hoje.

2. Tudo de bom que existe no seu telefone

Se lembra como era quando não existia chamada em espera e identificador de chamadas? Se você respondeu “sim”, você pode estar velho (rs).

E você quase pode apreciar a pesquisa da Dra. Shirley Ann Jackson, cujo trabalho levou a essas inovações, junto com os desenvolvimentos de discagem em telefone analógico, aparelhos de fax portáteis e os cabos de fibra ótica que fazem suas chamadas telefônicas de qualidade a longa distância.

Jackson foi a primeira mulher negra a obter um doutorado no MIT, a primeira mulher negra presidente de um importante instituto tecnológico, e se tornou a primeira mulher negra indicada como presidente da Comissão Reguladora Nuclear dos EUA. Sua lista de realizações, prêmios e nomeações não para de crescer.

3. GPS

Se hoje você pode ir sem dificuldades para lugares onde nunca esteve, agradeça à programadora norte-americana Gladys West.

Nascida em 1930 e vinda de uma família de trabalhadores agrícolas, West era uma aluna brilhante e, por ter um excelente desempenho escolar, conseguiu uma bolsa de estudos na Universidade da Virgínia, onde se formou em matemática.

Ela foi também a segunda mulher negra a trabalhar na base naval de Dahlgren, onde atuou por 42 anos com localização espacial de satélites. Recebeu prêmios e foi nomeada diretora do projeto do primeiro satélite a fazer um mapeamentos dos oceanos via radar.

4. Absorventes

Mary Beatrice Davidson Kenner patenteou muitas invenções em sua vida. Havia o novo e melhorado porta-papel higiênico, que prendia a ponta solta do rolo para facilitar o uso, e a escova para costas que ficava presa à parede do chuveiro para uma higiene perfeita.

Ela também patenteou uma bandeja ajustável e um acessório de bolso para andadores que tornavam a viagem mais conveniente para os usuários, além de um “cinto sanitário com um bolso para guardanapo à prova de umidade” que tornou o precursor pesado do absorvente menos bagunçado e mais eficaz.

5. Condicionador para cabelos crespos

O cosmético indispensável por quem preza por um cabelo macio foi criado por Madam C.J. Walker, primeira mulher negra que enriqueceu por contra própria nos Estados Unidos.

A ótima série “A Vida e a História de Madam C. J. Walker”, conta a história de sucesso dela no Netflix. A série é protagonizada por Octavia Spencer, vencedora do Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por seu papel em “Histórias Cruzadas”, de 2011.

Por causa das dificuldades que enfrentava com o próprio cabelo, Walker teve a ideia de criar produtos especializados para o cabelo afro e acabou criando um império na indústria da beleza.

6. Tábua de passar roupa

A ex-escrava Sarah Boone registrou, em abril de 1892, a patente de uma versão aprimorada da tábua de passar roupa. A original era boa para engomar mangas retas e pernas de calça, mas pouco eficaz para passar blusas e vestidos.

Então, Sarah criou uma prancha mais estreita, curvada e retrátil, tornando-a perfeita para engomar roupas femininas.

Esta é uma invenção de uma das primeiras mulheres negras a receber uma patente nos Estados Unidos, em 1892. Sarah Boone era costureira e, cansada do quão trabalhoso era passar a manga de uma camisa na época, criou uma versão aprimorada da tábua, que reduzia as chances de criar vincos involuntários na roupa enquanto passava.

7. Voz sobre IP

Se você já bateu um papo ou fez uma reunião à longa distância pela internet (ou basicamente se vc está trabalhando ou estudando neste momento de pandemia), você tem que agradecer a Marian Croak.

Marian ingressou na AT&T em 1982 e desenvolveu a tecnologia central que torna possível a comunicação por áudio e vídeo pela Internet.

Ela, que é doutora em psicologia e análise quantitativa pela Universidade do Sul da Califórnia, deixou a AT&T em 2014  e hoje é vice-presidente de Engenharia do Google, onde tem trabalhado para expandir o acesso ao serviço em mercados emergentes.

8. Alarme domiciliar

Quando Marie Van Brittan Brown e seu marido Albert notaram o aumento da criminalidade em seu bairro de Nova York, juntamente com o fato de que a polícia demorava a atender às ligações em sua região da cidade, eles começaram a fazer com que sua casa parecesse mais segura.

Em 1966, Brown e seu marido registraram uma patente para um sistema doméstico de segurança de circuito interno de televisão.

O sistema tinha uma câmera na porta da frente que olhava por um dos quatro olhos mágicos, em diferentes alturas. Essa imagem era transmitida ao usuário em um aparelho de televisão em outra parte da casa.

Ele também tinha um microfone bidirecional, que permitia a comunicação com os visitantes na porta, e um interruptor remoto que podia destrancar a porta para permitir que as pessoas entrassem.

Se a pessoa se sentisse ameaçada, poderia apertar um botão de alerta para sinalizar um segurança nas proximidades empresa.

Hoje, sistemas muito semelhantes podem ser vistos em residências e complexos de apartamentos em todo o país.

9. Aquecedor central

Muito utilizada em países com inverno rigoroso, a calefação central é fundamental para manter residências aquecidas e foi patenteada por Alice H. Parker, em 1919.

Entre as vantagens do sistema estavam a praticidade de não ter que estocar madeira para fazer uma lareira, a propagação do calor por todo o ambiente através de dutos, a rapidez do aquecimento e maior segurança para a casa, reduzindo riscos de incêndio.

10. Móveis compactos

Em 1885, Sarah Goode se tornou a primeira mulher afro-americana a registrar uma patente. Goode nasceu durante o período de escravidão nos EUA e, após a Guerra Civil, se mudou para Chicago. Lá ela conheceu o marido e os dois abriram uma loja de móveis.

Na década de 1880, a maioria das famílias negras em Chicago não comprava muitos móveis porque morava em pequenas casas e apartamentos.

Vendo a necessidade de soluções inovadoras para economia de espaço, Goode projetou a cama tipo armário, uma cama que poderia dobrar virando uma mesa funcional.

É difícil acreditar que o armário-cama de Goode não existe hoje. Pense no espaço que poderia ser economizado em dormitórios, apartamentos estúdio ou aquelas novas casas minúsculas de que todos falam.

11. Processador de frutas

Madeline Turner, nascida em Oakland, Califórnia, provavelmente estava cansada de espremer suco à mão todas as manhãs e criou uma máquina elaborada que podia extrair suco de frutas como laranjas, maçãs e limões.

Em abril de 1916, Turner obteve a patente de sua invenção, que ela batizou de Turner Fruit-Press. Um membro do comitê de revisão de patentes disse ter achado a máquina de “engenhosa”, abrindo as portas para que Turner exibisse a invenção na Exposição do Panamá-Califórnia.

Sem a invenção do  processador de frutas de Madeline Turner, provavelmente não haveria grandes cadeias de smoothies ou sucos. O que a gente faria na ressaca?

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Fire TV Stick: o que é e como funciona o concorrente do Chromecast