Inspiração

Canal de Suez responde por mais de 10% do comércio mundial atual, mas sua história tem 4 mil anos

Vitor Paiva - 30/03/2021

O bloqueio provocado recentemente por um navio atravessado no Canal de Suez, no Egito, mostrou a importância dessa passagem artificial que liga o Mar Mediterrâneo ao Mar Vermelho para a economia internacional atual: o congestionamento provocado pelo navio Ever Given, que encalhou e interrompeu o tráfego de embarcações no caminho mais rápido entre a Europa e a Ásia por 6 dias, provocou um prejuízo de centenas de milhões de dólares por hora ao comércio global. A história do Canal de Suez, porém, é muito mais antiga do que se pode imaginar – e retorna 4 mil anos, ao governo do faraó Sesótris III.

Navio Ever Given atolado no Canal de Suez

Ventos fortes deslocaram e atolaram o Ever Given no Canal de Suez por 6 dias © Satélite de observação Gokturk-1/Handout/GettyImages

-Você sabia que 15 grandes navios emitem tanta poluição quanto 760 milhões de carros juntos?

Quinto faraó da XII dinastia no Egito Antigo, Sesótris III governou o país entre 1862 e 1844 a.C., e foi quem ordenou a construção de um canal ligando o Rio Nilo ao Mar Vermelho, a fim de facilitar o comércio egípcio com a África Oriental. Tal construção teria funcionado pelo menos até o século XIII a.C., e entrado em decadência.

Vista aérea da cidade de Suez e da entrada do Canal

Vista aérea da cidade de Suez e da entrada do Canal © Wikimedia Commons

-12 famosos navios naufragados que você ainda pode visitar

A reconstrução só seria completada por volta de 500 a.C., e pelos 1200 anos seguintes a via seria modificada, destruída e reconstruída diversas vezes, até ser novamente abandonada em no século VIII da era moderna.

O canal moderno

O Canal de Suez como hoje conhecemos só seria de fato construído em 1869, após 10 anos de obras comandadas pela companhia Suez, de Ferdinand de Lesseps, diplomata e empresário francês que posteriormente também promoveria, então sem sucesso, os projetos iniciais de abertura do Canal do Panamá.

O empresário francês Ferdinand de Lesseps

O empresário francês Ferdinand de Lesseps havia sido professor de hipismo ao rei do Egito na época © Wikimedia Commons

-A enorme fenda que pode separar a África em duas

O primeiro navio cruzou o Canal de Suez em fevereiro de 1867, mas sua inauguração oficial só aconteceria no final de 1869, em um evento de tal forma importante que o escritor português Eça de Queiroz foi enviado para a inauguração pelo Diário de Notícias de Lisboa, a fim de escrever uma reportagem.

Ilustração mostrando a inauguração do Canal, em 1869

Ilustração mostrando a inauguração do Canal, em 1869 © Wikimedia Commons

-Cidade com 7 mil anos acaba de ser descoberta no Egito

Estima-se que 1,5 milhão de egípcios tenham participado da construção dos 164 km de comprimento e 8 metros de profundidade que canal possuía quando de sua inauguração, e que cerca de 120 mil pessoas morreram durante a empreitada – a maioria vítima da cólera. O canal enfim completo e ligando o Mar Meditarrâneo e o Mar Vermelho passou a reduzir uma viagem entre a Europa e, por exemplo, a Índia em nada menos que 7 mil quilômetros, com os navios não mais precisando navegar em torno do continente africano.

Disputas e guerras no Canal

Originalmente o canal pertencia ao Egito e à França, que investiu em sua construção moderna. Para amenizar suas dívidas, poucos anos após sua inauguração o Egito venderia sua parte ao Reino Unido, e o canal permaneceria de propriedade franco-britânica até 1956, quando o presidente Gamal Abdel Nasser decidiu nacionalizar o Canal de Suez, gesto que provocou um dos tantos conflitos internacionais ocorridos por conta do canal ou no próprio canal – que, ao longo dos anos, foi ampliado, possuindo hoje cerca de 193 km de comprimento, 24 metros de profundidade e 205 metros de largura.

Um porta-avião estadunidense cruzando o canal na década de 1980

Um porta-avião estadunidense cruzando o canal na década de 1980 © Wikimedia Commons

Em 2012, passaram pela via náutica cerca de 47 embarcações por dia, em um total de mais de 17 mil navios no ano.

Desencalhe do Ever Given

Na manhã do dia 23 de março de 2021 o cargueiro da empresa Evergreen Marine, que viajava da China para a Holanda, saiu de seu curso e virou de lado, encalhando no meio do Canal por conta de uma forte rajada de vento e bloqueando a passagem de outras embarcações. A situação durou cerca de 6 dias de trabalhos intensos com rebocadores, navios e equipes diversas para enfim liberar o navio de 400 metros de comprimento na manhã do dia 29.

O cargueiro da Evergreen já posicionado para liberar o canal de Suez

O cargueiro da Evergreen já posicionado para liberar o canal © Getty Images

-Um ‘navio fantasma’ foi encontrado no Maranhão e o que se sabe até agora sobre ele é totalmente instigante

Segundo as autoridades egípcias, o canal passará a funcionar 24 horas para liberar o engarrafamento provocado pelo incidente: consta serão necessários três dias e meio para que todos os navios em espera atravessem o canal. Segundo cálculos de empresas especializadas em comércio marítimo, 0 prejuízo causado pelo bloqueio do canal passa da R$ 300 bilhões.

Uma embarcação em vias de cruzar a ponte do Canal de Suez

Uma embarcação em vias de cruzar a ponte do Canal de Suez © Wikimedia Commons

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Escolas de samba: você sabe quais são as agremiações mais antigas do Brasil?