Arte

Agenda Hype em casa: Djonga, Áurea Martins e Mart’nália na programação da semana

Gabriela Rassy - 24/03/2021 | Atualizada em - 25/03/2021

Todo mundo em casa segurando essa ondinha? Siiiim! Então bora pras dicas da semana que tem coisa boa para ajudar a gente nessa missão de isolamento infinita. Destaque para o Marte Festival com Fióti, Bruno Sartori, Craca, Giovani Cidreira e Luiza Lian na programação que mistura música e tecnologia.

Vale ainda curtir o Festival O que Vc Ouve? Essa primeira edição traz Aline Paes, Juliana Linhares, Marina Íris, Luciane Dom, Ilessi e Júlia Vargas em papos e canjas além de uma bela homenagem aos 80 anos de Áurea Martins.

Lançamentos da semana ficam com BNegão, Mart’nália, Filipe Ret, Barro e Luísa Nascim, Roça Sound, Djonga e muito mais.

Vem na minha!

#live

Marte Festival | Youtube
25 e 28 de março, quinta e sexta 18h; sábado e domingo 10h
Grátis
Um dos principais festivais de Minas Gerais, com foco no encontro da criatividade artística e tecnológica, chega à terceira edição em formato digital. No line-up, Fióti, Bruno Sartori, Giovani Cidreira e Luiza Lian. Entre performances, shows, painéis e entrevistas, o Marte Festival percorre por múltiplos temas: de realidade virtual, passando por deepfake, experiências em 360º, até novos formatos de festivais e saúde mental. Abrindo a programação, às 18h do dia 25 de março, Barral Lima conversa com Geraldo Ramos, o fundador do aplicativo Moises.ai – uma plataforma de inteligência artificial para auxiliar músicos a criarem samples e remixes. A estreia da edição segue com um painel que reúne Priscilla Gama (Das Pretas), Gustavo Ziller (educador, palestrante e escritor), Kdu dos Anjos (idealizador do centro cultural Lá da Favelinha), Paulo Emediato (DesignThinkers Group Brasil) e Sabina Deweik para um papo sobre “Arte, Cultura, Entretenimento e Sociedade Digital”. Destaque ainda para a performance Craca na Casa de Ópera com Sandra-X cantando “Oxóssi”. E a aparição de um público desenhado pela artista baiana Vania Medeiros, que em seguida se transformam em plantas.. Confira a programação completa aqui.

Festival O que você ouve? | Youtube | Site | Playlist | Instagram
25 e 28 de março
Grátis
Essa pergunta, tão reveladora da personalidade de uma pessoa foi o mote usado pela cantora e produtora Aline Paes para realizar uma série de lives com nomes de destaque da MPB ao longo do infindável isolamento social, em 2020. E é a partir dessa curiosidade pelas influências discográficas que ela promove a primeira edição do festival, comemorando um ano de conversas musicais. Ao todo, serão sete shows online gratuitos divididos entre seis jovens artistas e uma homenageada – Áurea Martins, por seus 80 anos e pela importância de sua obra, referência para as demais participantes: a própria Aline Paes, Juliana Linhares, Marina Íris, Luciane Dom, Ilessi e Júlia Vargas. Elas se apresentarão nos três primeiros dias, dois shows por noite, a partir das 20h, no canal oficial de Aline Paes no YouTube. E Áurea vai brilhar no domingo, também a partir das 20h.

Áurea Martins

Áurea Martins é homenageada do Festival “O Que Você Ouve?”

Instrumental Brasileiras | Youtube
Quinta, 25, às 19h
Grátis
No evento, Ana Malta, Aline Gonçalves, Carol Panesi, Georgia Camara e Roberta Siviero, trocam experiências ao vivo com a mediação da historiadora, violinista e cantora, Carô Murgel. Na ocasião, a produtora Jasmim Manga lança o catálogo em formato digital com a pesquisa proposta com as oficinas e demais ações com as artistas e profissionais que atuam na música instrumental.

Luis Fernando em Devaneio | Youtube do pianista e Facebook do Teatro Arthur Azevedo
Dias  26, 27 e 28 de março, sexta e sábado, às 21h; e domingo, às 19h
Grátis
Federico Mompou (1893 – 1987), Domenico Scarlatti (1685 – 1757), Johann Sebastian Bach (1685 – 1750) e Frédéric Chopin (1810 – 1849) são alguns dos compositores eleitos pelo pianista Luis Fernando Cirne para o concerto Devaneio, criado com recursos visuais de cenografia, iluminação e videomapping, oferecendo uma experiência sinestésica de música clássica para o público.

Mandalá canta as Pérolas do Samba | Youtube
Sexta e sábado, 21h; domingo, 16h
Grátis
Para refletir e celebrar o mês de março, marcado pelo importante Dia Internacional da Mulher, a Oficina de Alegria apresenta shows com Mandalá homenageando Jovelina Pérola Negra, Clementina de Jesus e Ivone Lara: três pretas potências que transformaram a cadência e relação do brasileiro com o samba. O repertório, regido por instrumentos de percussão, violão 7 cordas e sopros, contará com hinos eternizados nas vozes das homenageadas e que ganham nova vida pelas cantoras convidadas, mais do que especiais, Bernadete, Adriana Moreira e Graça Braga.

Prosa e choro – Show e Entrevista com Luisa Mitre e Zé Barbeiro | Youtube
Domingo, 28, 17h
Grátis
A música instrumental com matiz popular no Brasil tem como primeiro gênero consolidado o choro – e a “roda de choro” é o fenômeno sociocultural que o acompanha desde o princípio. A roda é o local do encontro, da performance e da transmissão oral do conhecimento, da técnica e do repertório. O Choro da Quitanda nasce desse universo e convidam artistas para uma homenagem ao estilo. Nesta semana, show e entrevista com Luisa Mitre e Zé Barbeiro.

#lançamento

BNegão | Salve 2 (Ribuliço Riddim)
A faixa é o primeiro lançamento da nova fase do rapper, que agora segue em carreira solo, sem a companhia dos Seletores de Frequência e integrará o seu próximo disco. O novo projeto trará versões inesperadas de suas composições, além de autores como Moleque de Rua, Guará e Ratos do Porão.

Mart’nália | Sou assim até mudar
O samba atravessou mais de um século de sofrimento e prazer pra chegar como chega aqui: carregado de Sapucaí e de baile black, de Copacabana e de Salvador, de doença e de vacina, de veneno e de sonho. Mart’nália pura — ou melhor, impura. O álbum traz na sua origem — como tudo que foi gerado nos últimos meses — a marca da pandemia e da quarentena.

 

Filipe Ret | F*F*M*
Este é o primeiro single de “Imaterial” a ser liberado, reforça a identidade do artista no trap, que se solidifica no lançamento do projeto. A faixa ganhou videoclipe, com direção de Cauã Csik, trabalhado no conceito de metalinguagem. Segundo Ret, o filme é uma viagem sensorial, que brinca com o mundo real e o mundo fantástico da arte. O lançamento também é uma resposta artística ao recente episódio no qual Ret recebeu voz de prisão por porte de cannabis.

Barro + Luísa Nascim – De Novo
O single é o primeiro do projeto “Pop Nordeste”, em que Barro trabalha as sonoridades populares locais com ligações entre matrizes rítmicas ancestrais e os sons contemporâneos. Já começa bem com a musicalidade deliciosa de Luísa, que comanda a banda Luísa e os Alquimistas. Coisa boa!

Roça Sound | Roça Sound com Elas
Com as participações de Jéssica Caitano (PE), Keila Gentil (AM), Mis Ivy (SP) e Paula Sanffer (BA), o Roça Sound bota todo mundo para dançar em casa com esse novo EP. Conhecidos pela mescla das culturas nordestinas e afro-americanas através de elementos do rap, ska e reggae, dentre outras influências de origem negra e periférica, o grupo usa o sound system na construção de suas músicas. Para este EP o Roça Sound se conectou com os sons de periferias pelo Brasil e se adaptou aos estilos das artistas convidadas. O Roça faz uma união entre os estados celebrando os ritmos de cada periferia escolhida. Ouça aqui a partir de 26/3!

Djonga | Nu
Nu é resultado de um dos anos mais sinistros vividos pelo rapper mineiro. Traz tudo o que ficou acumulado dentro dele durante o período  de isolamento social e digital (ele optou por deletar o seu Twitter e sair das redes sociais). Mais introspectivo, ele traz muito do Djonga do Heresia, seu disco de estreia, e relata ao longo de oito faixas como o vazio lhe pegou em cheio.

Cauê feat Lucas Estrela e Arthur Kunz | Demonha
O cantor, compositor e instrumentista Cauê, que figura a cena independente paulistana em bandas como as de Serapicos e Sara Não Tem Nome, dá sequência à trilogia musical que inaugurou sua carreira solo com o elogiado disco “Pra Vender” (2017). Se a estreia trazia a busca incessante por um hit, “Pra Beber”, próximo trabalho do artista, navega por diversos gêneros da música pop brasileira abordando um tema recorrente no cancioneiro popular: O amor, onipresente desde os primórdios da indústria fonográfica. Ao lado de Lucas Estrela e Arthur Kunz, ele mostra a faixa “Demonha”, abrindo o inédito “Pra Beber”.

Ana Taita | Música Azul Para o Escuro
Convidar o ouvinte a mergulhar em um universo sonoro, imagético e recheado de poesias confidenciais. É com essa proposta que a artista pernambucana radicada em São Paulo, Ana Talita, estreia seu primeiro EP. Com a produção musical assinada por Samico, as faixas, que são autobiográficas, entregam uma sonoridade fora da caixa, que são inspiradas no trip hop e apresentam um mix de elementos eletrônicos, orgânicos somados a uma poesia livre e atemporal, que acompanham a voz suave e potente de Ana.

#filmes

#CineCiência
Domingo, às 17h, ao vivo
Conduzida por José Luiz Goldfarb, curador do projeto do MIS que promove bate-papos interligando cinema e ciência, esta edição reflete sobre questões relacionadas ao meio ambiente e às possibilidades da humanidade no planeta a partir da ficção científica “Pequena grande vida” (dir. Alexander Payne, 2017, EUA, 135 min, 14 anos, disponível na Amazon Prime Video). Participam do debate Laura Trachtenberg Hauser, sócia da Supernova, empresa especializada em estratégias de aprendizagem e inovação, e Ivan Nisida, escritor, fotógrafo, artista visual e especialista atuante em várias ONGs relacionadas ao meio ambiente.

Assista no canal do MIS no YouTube.

#visuais

Ex-Finito – Tour Virtual
O passeio online permite que o público conheça as 14 obras expostas de Navarro,  além da instalação Escada (Caixa d’Água), intervenção externa na Praça Antônio Prado, localizada em frente ao Farol Santander, e que também já foi exposta no Madison Square, em Nova York. A ideia conceitual de ExFinito é provocar dúvidas, potencializar os nossos sentidos e descobrir quem somos e o que refletimos, em uma grande instalação em forma de labirinto, com obras e elementos que exploram luzes, espelhos, vidros e eletricidade, para o envolvimento do espectador no trabalho desenvolvido por Iván. Em uma experiência sensorial, o público se vê em um jogo entre corpo e visão, em uma dimensão paralela da realidade, na ilusão de um infinito.

VideoArtePapo MIS
Quinta, às 19h, ao vivo
A videoartista Marcia Beatriz Granero conduz esse programa do MIS dedicado à videoarte, que recebe nesta semana Lia Chaia. Formada em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado, a artista, em paralelo, estudou dança e clown. Sua obra transita por diferentes suportes e linguagens, como fotografia, vídeo, performance, desenho e instalação. Entre as questões de seu interesse, estão as percepções e vivências do cotidiano, como a permanente tensão entre espaço urbano, corpo e natureza. Para dar conta dessa complexa trama de questões, a artista procura refletir em seu trabalho sobre a dissolução das fronteiras entre suportes e linguagens.

Assista no canal do MIS no YouTube.

#cênicas

Espetáculo Teatral Interativo
Sábado, às 13h, 16h, 19h e 21h30, ao vivo
Grátis
Texto inédito de Amarildo Felix com direção de Lavínia Pannunzio, “Microalucinações Amorosas – Uma peça videoclipe” tem encenação inspirada no universo dos videoclipes, pensando nas novas interações digitais entre o artista e o espectador que consome produções audiovisuais on-line, principalmente em redes sociais como Instagram e TikTok. O espetáculo traz no elenco as atrizes Cacá Fonseca, Francine Souza, Gabrielle Araújo, Julia Horta e Maria Helena Chira e apresenta para o público uma sensação de fragmentação com elos sutis, como se cada pequeno monólogo dito por cada uma das atrizes pudesse fazer parte de uma única cabeça, apesar de serem distintos.

Assista no canal do MIS no YouTube.

De Passagem ou Que Ano Louco 2020 | Youtube
25 de março a 1º de abril, 20h20
Grátis
Experiência cênica online realizada pelo Pandêmica Coletivo Temporário de Criação surge do desejo de contracenar com o momento presente e fomentar a criação e produção artística neste período atípico. À distância, artistas em diferentes estados do Brasil se unem para a temporada online do espetáculo, a partir do texto dramatúrgico En Passant, de Rafael Martins. A direção é de Juracy de Oliveira e no elenco estão Marisa Bezerra, Raquel Parras e Walmick de Holanda.

As Palavras da Nossa Casa
22 e 27 de março, segunda a sexta, às 14h30 e às 19h30, e, no sábado, 16h e às 20h
Grátis – reservas aqui
Sucesso de público na Casa das Rosas, o espetáculo imersivo, do Núcleo Teatro de Imersão, teve sua temporada interrompida por conta da pandemia de Covid-19. Por isso, o grupo decidiu reambientar o texto e explorar os recursos oferecidos pela internet para criar uma versão online da peça. A dramaturgia do espetáculo foi escrita por Adriana Câmara, que também assina a direção, e Glau Gurgel a partir de vários filmes do cineasta sueco Ingmar Bergman (1918-2007). Na trama, o espectador acompanha uma reunião virtual entre a famosa cantora Charlote (interpretada pela atriz Gizelle Menon), sua filha única Eva (Adriana Câmara) e seu genro Victor (Glau Gurgel). As duas não se veem há muito tempo e guardam profundas mágoas do passado, como o fato de Eva ter se sentido, a vida inteira, negligenciada por Charlote, precisando, inclusive, lidar com a perda de seu único filho sem o apoio da mãe, que se dedicava à administração das demandas de sua carreira internacional.

#literatura

Mariana Deperon | Eu, Impostora?
O pocket book é uma reflexão autoral sobre a Síndrome da Impostora, sua origem, dinâmicas e efeitos para as mulheres. “Estudo a fundo a Síndrome da Impostora desde 2015, quando me deparei com conteúdos acerca do tema das psicólogas norte-americanas Pauline Clance e Suzanne Immes, que identificaram o fenômeno. Quando li o trabalho delas, tudo parecia ter sido escrito para mim. Eu me via ali como sabotadora do meu eu e impostora mesmo diante das minhas glórias acadêmicas e profissionais acumuladas com anos e anos de estudo e devoção ao trabalho”, comenta a autora. A Síndrome da Impostora é o nome dado a sentimentos que muitas mulheres vivenciam ao longo da vida profissional e/ou acadêmica, relacionado à crença de que não são boas ou inteligentes o suficiente, o que faz com que desmereçam suas conquistas atribuindo o sucesso a fatores externos, como sorte ou, pior ainda, por acaso ou engano.
Vendas pelo e-mail: [email protected]projetotravessia.com

#delivery

Bacalhau,Vinho&Cia
A casa faz homenagem a José Pallas, falecido recentemente, e cria prato com união de dois ícones da cozinha portuguesa e espanhola: bacalhau e paella. Espanhol e galego de La Coruña, Pallas chegou ao Brasil aos 17 anos, deixando para trás família e terra natal, e que nos anos 80 entrou para a sociedade do tradicional Bacalhau, Vinho& Cia.

O restaurante, que nasceu na Barra Funda há quase 50 anos, tornou-se conhecido por servir especialidades da cozinha portuguesa, com destaque para seus inconfundíveis pratos e receitas com Bacalhau. Assim, nasce o Bacalhau na Paellera, com o nobre pescado servido ricamente em postas no tradicional prato da paella, ao lado de mariscos, lulas e camarões. Serve duas pessoas, e custará R$ 290. O prato estará disponível para pedidos pelo delivery na Sexta Feira Santa e no domingo de Páscoa, pelo telefone (011 3666.0381)

Bentô Box
Casual e de fácil transporte, o bentô – ou obentô, como são chamadas as marmitas japonesas, são o carro-chefe deste novo negócio do casal Telma e Marcelo Shiraishi, responsáveis pelo impecável Aizomê. A marca, que nasce em ambiente digital com loja própria no Ifood, traz opções balanceadas, inspiradas nos tradicionais donburis: uma porção de gohan (arroz japonês) complementada por preparações reconfortantes e cheias de sabor, montadas em simpáticas e práticas caixinhas.

A seleção do menu é apresentada em dois tamanhos: P (300g) e G (500g), e traz sugestões como o Yakiniku (carne finamente fatiada salteada com cebola, molho especial da casa e gergelim, mais tsukemono – conservas japonesas); Yakizakana (peixe grelhado com vegetais e gergelim); Yakitori (sobrecoxa de frango grelhada ao molho teriyaki e gergelim, mais tsukemono) e o vegetariano Yasai (tofu grelhado com vegetais e cogumelos).

Vale ainda provar os itens que já fazem sucesso no cardápio do Aizomê, agora no cardápio do Bentô Box, como o Camarão empanado em flocos de arroz e aonori, o Karaaguê (sobrecoxa de frango desossado, marinado e empanado), o Mix de cogumelos e a Salada oriental. Nas sobremesas, o Nama choco cake, o Choux cream de baunilha e o Ice Moti (sorvete de chocolate, de morango ou de matchá envolto em massa fina de moti – arroz glutinoso japonês.

By Koji
Formato clássico oferecido por alguns restaurantes, o menu executivo apresenta uma sequência de pratos sob valor fechado que não pesa no bolso da clientela. Em tempos de pandemia, o By Koji, localizado no estádio do Morumbi, proporciona a experiência para os clientes saudosos, que querem dar uma pausa no expediente para apreciar o melhor da gastronomia japonesa dentro de casa.
O Cardápio de 3 tempos (R$ 84), pode ser solicitado, das 11h30 às 15h, pelo WhatsApp 11 9.3034-5454 ou no aplicativo iFood.

Dama
A confeitaria se prepara para adoçar a Páscoa dos paulistanos e tornar a data ainda mais especial. O catálogo agora conta com opções de ovos e doces para presentear, que podem ser entregues por delivery – próprio e via Ifood.

A linha conta com sabores novos, clássicos e sucessos de 2020 que ganham novas roupagens. Entre os lançamentos deste ano, brilham os ovos de Palha Italiana, o de Alfajor e os Bites de bolo de cenoura. O primeiro, em homenagem ao popular doce de origem brasileira, reúne o tradicional blend de chocolates DAMA, biscoito e brigadeiro.

O blend também está presente no segundo sabor de ovo, que conta ainda com recheio de alfajor e doce de leite. Já os divertidos Bites de Cenoura, que trazem o bolo cortado em cubinhos banhados por chocolate, configuram uma opção inédita e saborosa de presente. Somam-se às sugestões, os pirulitos de chocolate e os pães de mel, ambos decorados com símbolos de Páscoa.

Publicidade

Imagem: Aurea Martins por Sergio Caddah


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.


X
Próxima notícia Hypeness:
As incríveis – e improvisadas – ilustrações do israelense Ori Toor