Gastronomia

Batata: encantos do alimento símbolo da América do Sul

Redação Hypeness - 31/03/2021 | Atualizada em - 05/04/2021

O nome batata inglesa não é muito adequado não, sabia? É que muita gente não sabe, mas as batatas são na verdade um alimento de origem andina e indígena… Pois é! As nossas queridas batatas, consumidas semanalmente, pelo menos, pela maioria dos brasileiros, não vieram da Europa ou do Oriente Médio. Elas são da América do Sul, selecionadas pelos povos andinos e eram o alimento base de diversas sociedades pré-colombianas.

– Colamos nesta plantação para entender o beabá das batatas fritas

Batata é cultivada desde a chegada dos povos indígenas à América do Sul; do Chile à Venezuela, tubérculo era de comum cultivo pelos povos pré-colombianos

Apesar de estarem no epicentro da culinária de diversos locais do mundo – são a base das french fries (batatas fritas francesas) ou do fish and chips britânico, do gnocchi italiano, das batatas bombay indianas ou saladas russas -, as nossas queridas papas são produto da seleção e do trabalho agrário dos camponeses do Império Inca, no Peru.

Para se ter uma ideia, através da seleção de variedades e contínua modificação das batatas, são encontrados mais de 4 mil tipos de batata ao longo da Cordilheira dos Andes.

As batatas acabaram se tornando a parte central da culinário de quatro países sulamericanos. Bolívia, Peru, Colômbia e Venezuela tem a batata como componente essencial da alimentação no dia-a-dia dessas populações (fazendo parzinho com o milho, também um criação andina).

A variação desses alimentos era feita pelos povos indígenas e os resultados são incríveis. As diferenças nutricionais de cada um desses tipos de batata é extensa; uma das mais famosas é a yuka, uma batata com um tipo de carboidrato que não se transforma em açúcar e pode ser consumida em dietas lowcarb ou por pessoas com restrições de consumo de glicose.

Mas o que surpreende na variedade das batatas andinas são as cores: assim como os milhos andinos, altamente variados em cor, as papas dos Andes surpreendem com sua paleta de pigmentos. Há batatas amarelas, vermelhas, roxas como uma beterraba, acinzentadas, pretas e as rosas.

Variedades de batatas peruanas

Variedades de batatas peruanas

Essas variações, infelizmente, dificilmente chegam ao nosso país. O modelo da agricultura no sistema econômico atual dá a preferência por alimentos únicos e pouco variados. Por isso, somos reféns por aqui da batata inglesa, monalisa e, quem sabe, uma asterix (aquela rosinha).

– O homem que está curando sua disfunção alimentar comendo apenas batatas

Quando se visita uma feira em Lima, no Peru, ou em La Paz, na Bolívia, se observa uma grande variedade de papas, cada uma com seu sabor e mais apropriada para um determinado cozimento. O International Potato Centre (CIP), é uma das instituições responsáveis pela conservação e proliferação das variedades das batatas peruanas. A organização mantém conservadas mais de 197 variedades do tubérculo para evitar possíveis extinções.

Dá uma olhada em como cada tipo de batata pode ser diferente! E não é só a cor que muda: cada pigmentação altera o sabor do tubérculo

Em todo canto tem batata

Mas a batata acabou mesmo dominando os quatro cantos do mundo. É o quarto alimento mais consumido do planeta e praticamente todos os países incorporam o tubérculo em algum de seus pratos tradicionais. Após a colonização da América do Sul, os europeus exportaram a batata para todos os cantos do mundo e ela se espalhou suas ramas pelo chão da terra.

Era possível escondê-las dos coletores de impostos. Elas tinham fácil adaptação a praticamente qualquer solo e qualquer clima. Seu alto valor nutritivo e sustância se tornaram de grande valor para o mundo pré-industrial. É um baita case de sucesso. 

Grande Fome Irlandesa foi causada por praga em batatas e mudou a demografia dos EUA

A história dos EUA, por exemplo, está diretamente ligada com a Grande Fome da Irlanda, que está diretamente ligada com as batatas. Entre 1845 e 1849 uma praga se alastrou na ilha ao lado da Grã-Bretanha e as plantações do tubérculo foram dizimadas. 25% da população irlandesa migrou ou morreu de fome.

Um milhão de pessoas pegaram seus barquinhos e foram para o Canadá e os EUA, onde formaram as comunidades irlandesas, em especial nas cidades de Boston e Nova York, onde mais de 1/4 da população era de origem irlandesa no fim do século 19. Hoje, cerca de 10% dos estadunidenses são descendentes de irlandeses.

Por isso, quando for apreciar as suas batatas fritas, pensa na história que esse alimento carrega. Agradeça aos incas por selecionarem e cuidarem das batatas até elas ficarem gostosinhas do jeito que você aprecia. E se lembre: é a mais sul-americana das comidas!

 

Publicidade

Fotos: © Getty Images


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Tomate: 6 receitas com a fruta mais popular do planeta