Ciência

Buraco negro é visto se movimentando a mais de 230 milhões de anos luz

Yuri Ferreira - 15/03/2021

O Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian publicou um artigo na última sexta-feira (12) anunciando a mais clara visualização de um buraco negro supermassivo se movimentando ao redor do universo. Não se sabe o motivo claro da movimentação do gigante. O corpo estava a 230 milhões de anos luz da terra, pesa mais ou menos de 3 milhões de sóis e está voando a 177 mil quilômetros por hora.

– Primeiro registro de um buraco negro se deve a cientista de 29 anos

Galáxia J0437 + 2456, que pode ter seu centro deslocado por conta de um buraco negro massivo binário

Os buracos negros estão geralmente no centro das galáxias. O grupo de estudos resolveu observar 10 dessas estruturas astronômicas e entender se os buracos negros se movimentavam em velocidade diferente do sistema que o circunda. Se isso acontecesse, isso significa que o corpo supermassivo estava “fora do eixo”.

Dos 10 objetos estudados, apenas um tinha uma velocidade diferente de sua galáxia. Ele se movia de forma diferente do que seu redor. Os dados foram confirmados por outros observatórios do céu e os dados bateram. Agora, é importante tentar entender por que ele está se movendo.

– Momento exato em que estrela é engolida por buraco negro é registrado por telescópios

“Não esperamos que a maioria dos buracos negros supermassivos se movam; eles geralmente se contentam em ficar parados”, explica Dominic Pesce, astrônomo do Centro de Astrofísica que liderou o estudo. “Eles são tão pesados que é difícil colocá-los em movimento. Considere como é muito mais difícil chutar uma bola de boliche do que chutar uma bola de futebol — percebendo que, neste caso, a ‘bola de boliche’ tem vários milhões de vezes a massa do nosso Sol. Isso vai exigir um chute bem poderoso”, afirmou o pesquisador.

A principal teoria é que dois buracos negros estejam se colidindo. “Talvez estejamos vendo as consequências de uma fusão entre dois buracos negros supermassivos. Uma colisão desse calibre pode causar um espécie de recolhimento para se estabilizar novamente”, explicou o astrônomo Jim Condon em transmissão da Rádio Nacional de Observação Astronômica dos EUA.

– Astrônomos criam vídeo com primeira foto de buraco negro já vista na história

“Apesar de toda a expectativa de que se encontraria isso com grande facilidade, é complicado encontrar claros exemplos de buracos negros binários (como seria o caso desse, em que buracos negros formam um par). O que poderíamos estar vendo na galáxia J0437 + 2456 é um dos buracos negros em tal par, com o outro permanecendo oculto para nossas observações de rádio por causa de sua falta de emissão de radiação”, explica Dominic Pesce à revista de Harvard.

Publicidade

Fotos: Destaque: © Getty Images Foto 1: Sloan Digital Sky Survey (SDSS)


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness. No twitter, @porfavorparem.


X
Próxima notícia Hypeness:
Artistas da idade da pedra ficavam doidões para criar, aponta estudo