Debate

Cancelamento e reality shows: ‘Prosa’ debate tema polêmico com Aline Ramos e Chico Barney

por: Gabryella Garcia

Após o sucesso do episódio de estreia do podcast ‘Prosa’, convidamos os colunistas do portal UOL e especialistas e reality shows, Aline Ramos e Chico Barney, para falarem sobre um dos temas mais polêmicos da história do podcast do Hypeness. A cultura do cancelamento e sua relação com reality shows, sobretudo o ‘Big Brother Brasil’.

O segundo episódio do ‘Prosa’ está no ar:

A cultura do cancelamento teve sua origem no Estados Unidos com o movimento chamado #MeToo, onde mulheres passaram a fazer denúncias de assédios sexuais que aconteciam em Hollywood e culminou com a condenação do ex-produtor de cinema Harvey Weinstein a 23 anos de prisão.

Karol Conká intensificou debate sobre ‘cultura do cancelamento’

Cancelamento é uma coisa. Preconceito, outra 

Acontece que, com o passar dos anos, o termo se confundiu com muitas coisas. ‘Cancelar’ acabou se tornando desculpa para racismo, machismo e até mesmo crimes como os praticados por Harvey Weinstein.

A cultura do cancelamento, por outro lado, também se tornou uma grande justiceira da sociedade, principalmente pelo imediatismo das redes sociais.  Assim, hoje não são cancelados apenas os que se envolvem em algum tipo de crime, mas, sim, qualquer pessoa de quem se discorda sobre qualquer assunto.

Chico Barney, inclusive, destacou a relação dos cancelamentos com a internet durante a prosa. “As pessoas são canceladas porque estão na internet, basicamente. Toda ação acontece na internet hoje em dia”, afirmou.

‘Big Brother Portugal’ expulsa participante que fez saudação nazista; veja vídeo

Harvey Weinstein não foi cancelado, ele cometeu uma série de crimes. É diferente

O colunista também alertou que o cancelamento pode atingir ‘pessoas comuns’, e não apenas celebridades. “O cancelamento tem suas particularidades não só no que você faz, mas também em como isso reverbera no público, em que público. Hoje em dia não existe mais um público só (…) (a internet) segmenta tanto que um Zé Mané também pode ser cancelado. Não precisa ser só o cara famoso ou a instagramer com o maior número de seguidores, um José como eu também vai ser cancelado”.

‘BBB’: ‘banhômetro’ mostra que higiene não é o forte entre alguns participantes do reality

Por que cancelamos as pessoas?

Para Aline Ramos, atualmente as pessoas não são canceladas apenas por uma situação específica, mas também pelos sentimentos que despertam em outras pessoas. “Às vezes igualamos crimes com situações que não são crimes, mas consideramos condenáveis”.

Sobre a relação desta cultura com o ‘BBB’, a colunista do UOL destacou que a dinâmica do programa é justamente essa: julgar e decidir se você vai gostar ou não de uma pessoa pelos comportamentos, opiniões e o que ela fala.

Ava Duvernay ao lado da criadora do #MeToo, Tarana Burke

Sobre o que de fato é um cancelamento, Aline disse acreditar que ele tem um prazo de validade e, às vezes, pode ser comparado a uma crise de imagem. “Comparar uma pessoa que deu uma festinha na pandemia com um homem do alto escalão de Hollywood, acusado várias vezes de assédio não é a mesma coisa, então depende muito do que as pessoas fizeram (para definir o que é cancelamento)”.

Ficou curioso para saber o que mais rolou nessa prosa e quem já foi cancelado por Chico e Aline no ‘BBB 21’? Então aperta o play, sinta-se em casa e vem com a gente! Ah, também guardamos dicas culturais incríveis para você nesse episódio enquanto aprecia um café com um pão quentinho!

Publicidade

Fotos: foto 1: Reprodução/Instagram/foto 2: Getty Images/foto 3: Getty Images


Gabryella Garcia
Gabryella Garcia é paulista, mulher trans, transfeminista e jornalista pela Unesp. Começou a carreira escrevendo horóscopos para o João Bidu e agora foca em escrever sobre direitos humanos e recortes de gênero. Já passou por veículos de São Paulo, Santa Catarina, Espírito Santo e também colaborou para veículos como Ponte Jornalismo, Congresso em Foco e Elle Brasil. Atualmente, além de produzir o podcast "Prosa", para o Hypeness, também colabora com o UOL. Além disso atua como voluntário no Projeto Transpor, um projeto que oferece consultoria profissional gratuita para pessoas transgêneros com montagem de um currículo assertivo, Linkedin e simulação de entrevistas de emprego.


X
Próxima notícia Hypeness:
Rafa Kalimann responde com inspiração seguidor que criticou seu corpo