Arte

‘Capitão América’ gay é aposta da Marvel para ampliar diversidade nos quadrinhos

Karol Gomes - 16/03/2021

A ‘The United States of Captain America’ (ou ‘Os Estados Unidos do Capitão América’, em tradução livre) é uma série de quadrinhos da Marvel criada para celebrar os 80 anos do personagem. A novidade é que o seriado será estrelado pelo primeiro herói gay a utilizar o escudo e o símbolo do super herói.

A Marvel anunciou que Aaron Fisher, um jovem gay que usa um traje inspirado pelo ‘Capitão América’ também vai proteger os desabrigados e moradores em situação de rua – grupos populacionais com alta vulnerabilidade social. A primeira edição da série de HQs vai acontecer em 2 de junho.

– Quem é Nia daCosta, primeira mulher negra a dirigir um filme da Marvel

A Marvel apresentou a imprensa detalhes do visual do novo personagem

‘Capitão América’ contra homofobia 

A nova história do ‘Capitão América’ vai ao encontro da ralidade dos Estados Unidos. Segundo pesquisa feita pelo governo norte-americano, entre 20 e 40% dos desabrigados no país se identificam como LGBTQ+. A ONG True Colors United aponta que jovens LGBTQ+ têm 120% mais chances de perderem sua casa (inclusive por serem colocados na rua por pais homofóbicos) do que jovens heterossexuais.

– Estrela da Marvel fala sobre racismo da polícia e diz que já teve arma apontada na cabeça

Batizado de ‘Capitão América das Ferrovias‘ (os trilhos abandonados pelos EUA viram a casa improvisada de muitas pessoas desabrigadas pelo país), Fisher foi criado pelo roteirista Josh Trujillo, que é gay; e pela artista Jan Bazaldua, uma mulher transgênero. 

Trujillo conta que, para criar Aaron, se inspirou nos heróis da comunidade queer: ativistas, líderes, e pessoas comuns que estão lutando por uma vida melhor. “Ele protege os oprimidos e os esquecidos. Eu espero que sua história de estreia ressoe com os leitores, e ajude a inspirar a próxima geração de heróis”, disse em comunicado aos jornalistas. 

– ‘Capitã Marvel’ bate bilheteria de ‘Cavaleiro das Trevas’ e mostra poder do protagonismo feminino

Já Bazaldua, destaca que realmente gostou de projetar o personagem como uma pessoa transgênero. “Estou feliz em poder apresentar uma pessoa abertamente gay que admira o Capitão América e luta contra o mal para ajudar aqueles que são quase invisíveis para a sociedade. Enquanto eu o desenhava, pensei, ‘bem, Cap luta contra seres superpoderosos e salva o mundo quase sempre’, mas Aaron ajuda quem anda sozinho na rua com os problemas que enfrentam todos os dias. Espero que as pessoas gostem do resultado final!”.

A capa da primeira edição da nova série de quadrinhos também foi divulgada

– Comentários machistas a foto de editoras da Marvel recebe resposta brilhante – até da concorrente DC

Com um total de cinco edições, ‘The United States of Captain Americaune personagens que também já vestiram o manto do Sentinela da Liberdade no passado. São eles, Bucky Barnes, Sam Wilson e John Waler, que partem em uma viagem para procurar o escudo icônico do personagem, que sumiu misteriosamente.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Twitter


Karol Gomes
Karol Gomes é jornalista e pós-graduada em Cinema e Linguagem Audiovisual. Há cinco anos, escreve sobre e para mulheres com um recorte racial, tendo passado por veículos como MdeMulher, Modefica, Finanças Femininas e Think Olga. Hoje, dirige o projeto jornalístico Entreviste um Negro e a agência Mandê, apoiando veículos de comunicação e empresas que querem se comunicar de maneira inclusiva.