Debate

CNN diz que racismo é crime e cancela reportagem em clube após denúncia de repórter

Redação Hypeness - 22/03/2021

O repórter Jairo Nascimento, da CNN Brasil, sofreu mais um caso de racismo, dessa vez no Esporte Clube Pinheiros, frequentado pela classe média alta de São Paulo.

O jornalista estava fazendo uma reportagem sobre os atletas que se preparam no clube para a ‘Olimpíada’ de 2020, que acontece em Tóquio. Ele diz ter sido alvo de comentários preconceituosos de uma das diretoras do espaço esportivo, que já tem um currículo extenso de casos envolvendo injúria racial e racismo.

Jairo Nascimento foi vítima de racismo pela 3ª; CNN afirmou que discriminação racial é crime

CNN cancela reportagem 

Segundo o relato de Jairo, ele e sua equipe já estavam dentro do Pinheiros para fazer a reportagem, quando uma diretora do clube identificada como Ana Paula questionou, em frente à equipe, quem era o repórter. Jairo Nascimento, que é negro, afirmou que era ele. Ela questionou a veracidade da informação e duvidou. Depois, outro diretor do clube, chamado Fábio, também pressionou a equipe de reportagem.

O caso foi enviado à direção da CNN Brasil, que cancelou a reportagem. Um mês depois, uma nova matéria foi ao ar, denunciando o que ocorreu com o jornalista.

“[Episódios de racismo] Já aconteceram diversas vezes comigo. Obviamente nem todas viraram reportagens. Já é segunda vez desde quando comecei a trabalhar na CNN. Mas com o tempo a gente vai aprendendo, criando casca e aprendendo a dar resposta adequada”, disse Jairo Nascimento ao  UOL, por telefone.

Outros casos de racismo

O Clube Pinheiros já estava no epicentro de três casos de racismo que ganharam proporção midiática.

Em 2015, o ginasta Ângelo Assumpção foi vítima de injúria racial de diversos companheiros de equipe, incluindo Arthur Nory, medalhista olímpico na Rio 2016. Anos depois do incidente, ele foi demitido do clube e nunca mais conseguiu espaço no esporte.

Em 2019, Jackelyne Silva, também ginasta do clube paulistano, faleceu de pneumonia. Antes disso, tinha sido demitida do Clube Pinheiros, aos 17 anos, após sofrer sequenciais abusos psicológicos e violências dentro do clube.

No ano passado o jornalista Rodrigo Bocardi, que participa da parte social do clube, questionou se um jovem negro que utilizava o uniforme do Pinheiros “pegava as bolinhas da quadra de tênis”. O jovem era atleta de polo aquático.

Uma investigação interna do Pinheiros mostrou que a necessidade de revisão do preconceito dentro da instituição é urgente. A diretoria afirmou que vai instaurar uma investigação sobre o caso envolvendo o repórter Jairo Nascimento.

“A equipe de diretores do clube, especialmente os times de governantes e comunicação, trabalham todos os dias para garantir que no Pinheiros todas as pessoas tenham o mesmo tratamento, o mesmo cuidado e as mesmas oportunidades. Por isso apuramos todas as denúncias que recebemos e corrigimos na hora qualquer desvio de conduta”, afirmou o presidente do clube ao UOL.

Jairo já havia sido vítima de racismo durante outras duas vezes enquanto profissional da CNN. Em uma oportunidade, o jornalista foi confundido com manobrista por ser um homem negro de terno. Em outro situação, a polícia o parou e apontou um fuzil na sua cara, mesmo estando acompanhado do motorista no carro da emissora.

Publicidade

Fotos: Reprodução/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
‘Os Simpsons’: Hank Azaria se desculpa por dar voz ao personagem indiano Apu