Sustentabilidade

Colômbia transforma antiga arena de touradas em jardim gigante

Yuri Ferreira - 17/03/2021 | Atualizada em - 18/03/2021

Em parceria com o governo federal, a cidade de Armenia, no distrito de Quindios, Colômbia, vai transformar sua antiga arena de touradas em um jardim gigante para aumentar a biodiversidade da região e expandir a segurança alimentar da região.

– Como este viaduto abandonado na Coreia virou um parque elevado com 228 espécies de planta

Plaza de Toros de Armenia será transformado em bosque com jardins verticais

As touradas ainda são permitidas em nível nacional na Colômbia. Entretanto, o espetáculo violento e sangrento contra os animais foi proibido na cidade de Armenia há cerca de 5 anos. Desde então, a Plaza de Toros, uma arena de touradas, ficou em completo abandono por parte dos governos.

O local acabou se tornando um viveiro de mosquitos e era alvo de reclamação da população desse município que fica a 280 quilômetros da capital Bogotá. O prefeito de Armenia, José Manuel Ríos, do Movimiento Alternativo Indigena y Social (MAIS – não confundir com o MAS Boliviano), partido da resistência indígena de centro-esquerda colombiana, decidiu chamar o governo federal para transformar o espaço em um mega-jardim.

– Massacre público de touros é finalmente proibido em evento na Espanha

“Vamos criar processos de propagação e reprodução de material vegetal, além da produção de insumos necessários para o trabalho agrícola. Além disso, vamos trabalhar com a meta de geração de 180 milhões de árvores. Além disso, o espaço terá como fim o melhoramento das iniciativas de horta urbana ao redor do município”, disse Manuel Ríos em coletiva de imprensa.

“Essa mudança será um passo importante para o desenvolvimento da nossa cidade. Armenia vai ser vista como a capital verde da Colômbia e é um exemplo de transformação ambiental para todo o resto do país”, completou o prefeito.

Modelo pode ser adotado por outras cidades colombianas

Armenia irá compor o programa ‘Biodiverciudades‘ (em tradução livre, Biodivercidades), uma iniciativa da gestão de Iván Duque (da centro direita colombiana) para promover desenvolvimento sustentável ao redor do país. 

“Com o apoio da gestão federal, do Ministério do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e da Prefeitura, iremos transformar essa arena em um pulmão para toda a região de Quíndio. Será um eixo ambiental que servirá como um propulsor para expandir a diversidade ambiental e a segurança alimentar de todo o povoado”, disse o ministro do Meio Ambiente Carlos Eduardo Correa.

– Cidade espanhola substitui touros por bolas gigantes em corrida tradicional

Governo de direita e prefeito de esquerda se unem para criação de um parque que servirá como exemplo para toda a Colômbia

O debate sobre o fim das touradas também está avançando na política institucional colombiana. Em dezembro do ano passado, foi colocado em pauta no parlamento o primeiro projeto de lei para proibir a herança colonial maldita das corridas de toro em nível federal.

A Comisión Primera de Cámara, uma espécie de Comissão de Constituição e Justiça dos vizinhos amazônicos, votou pela aprovação do projeto em 24 a 3. Agora, o projeto ainda tramitará por algumas comissões na Câmara e depois pode seguir para plenário.

Há outras 11 arenas de tourada de grande escala em toda a Colômbia. O projeto que começou em Armenia pode ser um modelo para esses edifícios que já estavam subutilizados durante a pandemia. Agora, esses espaços de crueldade podem se transformar em lugares de vida.

Publicidade

Fotos: Divulgação


Yuri Ferreira
Jornalista formado na Escola de Jornalismo da Énois. Já publicou em veículos como The Guardian, UOL, The Intercept, VICE, Carta e hoje escreve aqui no Hypeness.