Design

Empresa transforma ‘hashis’ descartáveis ​​em móveis elegantes e artigos domésticos

por: Redação Hypeness

Em uma escala global, consumimos coletivamente um número impressionante de hashis, o par de pequenas varetas usadas pelos japoneses como talher. A cada ano são 80 bilhões de pares – muitos dos quais acabam descartados em aterros sanitários e outros depósitos de lixo.

Desde 2016, porém, uma empresa com sede em Vancouver vem transformando os utensílios descartáveis ​​em uma linha moderna e minimalista de móveis e artigos domésticos.

Empresa transforma ‘hashis’ descartáveis ​​em móveis elegantes e artigos domésticos

Empresa transforma ‘hashis’ descartáveis ​​em móveis que são puro desin

Um novo vídeo do Business Insider foi conhecer os bastidores da ChopValue para narrar todo o processo de produção.

Tudo começa com a coleta de matéria-prima gratuita de cerca de 300 restaurantes ao redor da cidade canadense.

Quando são trazidos ao edifício, os utensílios são separados, revestidos com uma resina à base de água e cozidos em um forno de 200 graus por cinco horas para matar todos os germes.

Empresa reutiliza hashis dos restaurantes locais

Eles são então quebrados e carregados em uma máquina hidráulica maciça que comprime os palitos individuais em uma placa composta, que finalmente é lixada e moldada em bancadas, ladrilhos, entre uma variedade de outros produtos.

Reutilizar e reciclar

A regra é reutilizar e reciclar

Numa pegada upcycling, os hashis tomam forma de elegantes móveis

Numa pegada upcycling, os hashis tomam forma de elegantes móveis

Desde o seu início, a empresa evitou que quase 33 milhões de pares de pauzinhos fossem parar em aterros sanitários.

Com três microfábricas no Canadá e varejistas na América do Norte, a proposta da ChopValue está crescendo e a empresa está oferecendo oportunidades para franquias.

Hashis na Arte

A Japan House São Paulo recebeu, no início de 2020 a obra ‘Construção’, de Tadashi Kawamata, artista japonês de destaque na cena contemporânea internacional.

Ele é reconhecido por realizar instalações de grande dimensão com o uso de materiais pouco convencionais, como os hashis, importante elemento do cotidiano da cultura nipônica, utilizados na obra criada exclusivamente para o segundo piso do centro cultural.

Em seu trabalho, Kawamata levanta questões sobre as necessidades e os desejos humanos, por meio de um estudo cuidadoso que oferece ao expectador um novo ponto de vista do local em que a obra se encontra.

Famoso pelo reaproveitamento dos mais variados tipos de materiais como fragmentos de madeira, pranchas, barris e cadeiras, em ‘Construção’ – obra idealizada após uma visita do artista à Japan House São Paulo em 2019 – ele utilizou mais de 180 mil hashis (90 mil pares) e evidencia um organismo que reage ao espaço em que está inserido, em uma movimentação que tomou grande escala no centro cultural.

Por meio de uma proposta da Japan House São Paulo, a montagem da obra ‘Construção’ contou com a colaboração de dezenas de estudantes que participaram do Programa de Voluntariado da instituição, no qual jovens universitários de artes, arquitetura, design, entre outras áreas, tiveram a oportunidade de auxiliar na montagem da instalação, sob supervisão da equipe do artista.

Publicidade


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
A porta que vira mesa de pingue-pongue que você nem sabia que precisava