Sustentabilidade

Garnier recebe selo Cruelty-Free por fim de testes com animais

por: Redação Hypeness

A Garnier recebeu o famoso selo da lebre da organização Cruelty Free International. Segundo apuração do grupo, que defende uma indústria de cosméticos livre de testes com animais, a subsidiária da L’Oreal não utiliza mais bichinhos para calcular o impacto de seus produtos em todo o mundo, se tornando uma das marcas mais mportantes a alcançar essa conquista.

– Como a maternidade inspirou a criação da maior marca de cosméticos orgânicos e veganos do Brasil

Garnier ganha o selo ‘Leaping Bunny’ e se torna uma das maiores marcas sem testes com animais à nível global

Desde sua saída do mercado chinês, em 2014, a empresa tem se focado em conquistar uma produção livre de sofrimento animal. Mesmo com a legislação europeia já proibindo a utilização de testes em animais dentro do território da UE, a Garnier decidiu colocar a medida em prática para toda a sua produção global, e conseguiu o selo ‘Leaping Bunny’.

“A Garnier está comprometida com um mundo sem testes em animais desde 1989. A aprovação oficial da Cruelty Free International no programa Leaping Bunny é um verdadeiro marco e sempre foi uma parte importante de nossa missão Green Beauty”, afirmou Adrien Koskas, diretor geral internacional da Garnier.

Veja também: 

– 10 ativistas veganas, negras e brasileiras para seguir e se inspirar

– Sobre cosméticos, meio-ambiente, ativismo e direitos humanos

Consumidores estão mais exigentes sobre testes em animais

“A Garnier é uma das principais marcas de grupo L’Oreal e estamos muito felizes em dar a ela o selo da Leaping Bunny. Dessa forma, solidificamos o comprometimento da empresa com um mundo sem testes em animais. Esse é o passo na direção certa em busca de um banimento dos testes de cosméticos em animais a nível global até 2023, como esperado pela União Europeia”, disse Michelle Thew, CEO da Cruelty Free International.

– Michelin dá estrela para primeiro restaurante vegano da história

Desde 2017, a organização tem observado um crescimento de 190% no número de marcas tentando receber o selo Leaping Bunny. Esse é um indicativo de que os consumidores estão se tornando cada vez mais exigente sobre seus próprios cosméticos.

A Garnier enviou uma nota Hypeness dando detalhes sobre o processo:

“A marca Garnier está comprometida com um mundo contra teste em animais desde 1989, mas sabemos que ainda temos muito para percorrer. Trabalhamos fortemente para ter a certificação do selo Cruelty Free International pelo Leaping Bunny e, por muitos meses, Garnier e Cruelty Free International trabalharam juntos para garantir essa evidência e que todos os produtos do portfólio global de Garnier possam exibir oficialmente o logotipo universalmente reconhecido do Cruelty Free International Leaping Bunny.

Também trabalhamos fortemente em diversas iniciativas sustentáveis a Beleza Verde (Green Beauty), que é uma abordagem completa de ponta a ponta para a sustentabilidade. O objetivo é transformar todas as etapas da cadeia de valor da Garnier, reduzindo o impacto ambiental.

No Brasil e no mundo, há produtos Garnier com fórmulas veganas (exceto principalmente aquelas que contêm mel), mas não podemos afirmar, no momento, que 100% do portfólio é livre de ingredientes de origem animal.
Estamos trabalhando constantemente para encontrar viabilidade na produção, visando fórmulas 100% veganas e nos tornarmos uma marca ainda mais completa”.

Publicidade

Fotos: Divulgação/Garnier


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Schoonschip: o bairro flutuante, sustentável e autossuficiente em Amsterdã