Inspiração

Jovem que venceu câncer com 20% de chances convive com menopausa aos 15 anos

por: Vitor Paiva

O metabolismo especialmente acelerado entre os jovens faz com que um diagnóstico de câncer entre pessoas de pouca idade seja especialmente severo, e foi isso que aconteceu com a adolescente britânica Ellie Waters quando ela tinha somente 14 anos – que o tratamento a colocaria em menopausa e infértil com somente 15 anos de idade. A tragédia anunciada, porém, se transformou em um tocante caso de superação, com a jovem contrariando as probabilidades e sobrevivendo ao duro tratamento – e tudo começou com uma dor na perna e um caroço na nádega.

a adolescente britânica Ellie Waters

A adolescente britânica Ellie Waters

Carla Díaz chora ao falar sobre câncer de tireóide: ‘Muita coisa mudou’

A vergonha e a apreensão levaram a jovem a demorar para procurar ajuda médica, e o leve incomodo se tornou dor severa: quando foi ao médico supondo um diagnóstico de distensão muscular, encontrou a dura realidade de um câncer em um tecido mole do tipo Rabdomiossarcoma alveolar, um mal raro que costuma justamente acometer crianças e adolescentes. A doença se revelou agressiva, avaliada como em nível 4, e exigiu imediato e intenso tratamento de quimioterapia na área pélvica – e foi isso que precipitou em tanto a menopausa em seu corpo e encerrou suas possibilidades de ter um filho no futuro.

Waters nos diversos momentos de seu tratamento

Estudo mostra como sexo oral pode estar relacionado com risco de aumento de câncer

“Meu prognóstico foi desolador”, comentou Waters, hoje com 18 anos. “Ninguém me disse à época, mas meus pais sabiam que eu tinha somente 20% de chances de sobreviver mais do que cinco anos. Me sinto sortuda por estar aqui”, afirmou, tendo sobrevivido a 18 meses de quimioterapia e 28 sessões de radioterapia. Para ela, porém, sobreviver a um câncer agressivo tornou-se imperativo, e perder a possibilidade de ter seu filho biológico veio como um triste porém compreendido efeito colateral. “Estou animada com a hipótese da adoção e vou amar oferecer um lar a uma criança que não o possui”, disse em entrevista para o site iNews.

a adolescente britânica Ellie Waters

Um “antes e depois” do tratamento

Ela ficou 6 horas com o coração parado e conseguiu ser ressuscitada

Waters terá de permanecer em tratamento de reposição hormonal pelo resto da vida, e sente os efeitos similares ao que uma mulher mais velha sente diante da menopausa – como as conhecidas ondas de calor. A vida, porém, se abre em futuro para a jovem que, além de adotar uma criança, tem como sonho tornar-se médica. “É algo diretamente ligado à minha experiência de ter tido câncer”, confirmou. “Estou movida a querer ajudar as pessoas e fascinada pela medicina. Ter câncer foi uma provação, mas vencer a doença me ensinou que sou mais forte do que jamais soube”.

a adolescente britânica Ellie Waters

Waters e seu diploma: rumo à medicina

Publicidade

© fotos: arquivo pessoal


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Tony Ramos chora ao ser vacinado contra covid e celebra profissionais de saúde