Ciência

Meteorito cai em garagem na Inglaterra e pode ajudar a explicar a origem do Sistema Solar

por: Vitor Paiva

Um meteorito encontrado recentemente no sudoeste da Inglaterra pode trazer novas informações importantes sobre a formação do Sistema Solar.

Curiosamente, o fragmento de asteroide caiu em uma garagem na pequena cidade de Winchcombe, no condado de Gloucestershire, e foi descoberto depois que diversos moradores avistaram uma bola de fogo cruzando os céus da região. O som, segundo os moradores, foi de um quadro caindo da parede, mas o objeto espacial encontrado era como um pedaço de carvão.

O meteorito de Winchcombe

O fragmento do meteorito encontrado na Inglaterra

Maior meteorito já encontrado na Alemanha passou décadas como ‘pedra’ no quintal

Além da parte maior achada na garagem, diversos fragmentos pretos foram estavam do lado de fora da casa na manhã do dia 29 de fevereiro. A rocha foi vista por cerca de mil testemunhas, e segundo primeira análise é formada por minerais e compostos orgânicos como aminoácidos, e reconhecida como um condrito carbonáceo.

O meteorito de Winchcombe

O O meteorito de Winchcombe pesa somente 300 gramas

Os moradores contataram inicialmente a Rede de Observação de Meteoros do Reino Unido (UKMON, na sigla em inglês), mas o caso foi rapidamente repassado para o Museu de História Natural de Londres.

O meteorito de Winchcombe cruzando os céus da Inglaterra

Um dos registros da “bola de fogo” nos céus da Inglaterra

NASA divulga mapa com 4 mil exoplanetas e mostra que somos minúsculos

“Parece um pouco com carvão, afirmou o pesquisador Ashley King em nota. “É preto, mas muito mais macio e frágil. É bastante animador para nós, porque esse tipo de meteorito é incrivelmente raro e contém pistas importantes sobre as nossas origens, disse.

O meteorito de Winchcombe

Com pouco mais de 1 centímetro, é o primeiro meteorito recuperado em 30 anos no país

A descoberta é rara: segundo especialistas, dos cerca de 65 mil meteoritos conhecidos no mundo, somente 51 são condritos carbonáceos – é essa formação que faz os cientistas acreditarem que a rocha seja parte de um asteroide tão antigo quanto a formação do nosso sistema, capaz de revelar informações sobre a formação da água, dos oceanos e dos planetas.

Conheça Ceres, o planeta anão que é um mundo oceânico

Estima-se, segundo cálculos, que o ‘Meteorito de Winchcombe’, como ficou conhecido, tenha vindo das regiões do cinturão de asteroides localizado entre Marte e Júpiter.

O meteorito de Winchcombe

Outros fragmentos da queda

Esse é o segundo meteorito encontrado recentemente capaz de explicar as origens do Sistema Solar – outro, encontrado no deserto do Saara no ano passado, revelou-se mais antigo que a própria Terra, com 4,6 bilhões de anos. O novo meteorito pesa somente 300 gramas e tem pouco mais de 1 centímetros, é o primeiro recuperado na Inglaterra nos últimos 30 anos.

Publicidade

© fotos: Museu de História Natural de Londres/reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Marte tem terremotos fortes registrados por sonda; abalo é provocado por vulcão