Arte

‘MIMO Festival’ anuncia edição online com Luedji Luna, Otto e Nouvelle Vague

Gabriela Rassy - 22/03/2021

Poucos festivais proporcionaram experiências tão únicas quanto o ‘MIMO Festival’. Ver um concerto classudo em uma igreja no centro histórico de Olinda ou de Paraty é de fato inesquecível.

A ocupação de espaços com uma baita iluminação, qualidade de som e uma curadoria finíssima são as grandes características desses encontros que chegaram a passar ainda por Rio de Janeiro, São Paulo e até Portugal.

MIMO Festival em Olinda

MIMO Festival em Olinda. Foto: Beto Figueiroa

Este que é um dos eventos mais esperados a cada ano, não poderia deixar de dar aquele gostinho da boa música, ainda que em formato online. O ‘MIMO Digital’ acontece neste mês de março, em um roteiro gravado em cada cidade onde fez história.

O MIMO São Paulo acontece na sexta, dia 26o, o MIMO Rio no sábado, dia 27, e o MIMO Olinda em 28 de março, domingo. Shows inéditos e exclusivos, filmes, palestras e workshops serão transmitidos pelo canal do festival no YouTube, tudo de forma gratuita – como é de costume.

A programação

A edição digital prioriza artistas nacionais e conta com uma super atração internacional. Abrindo o festival e agitando a pista entre os shows, o VJ e DJ Montano, figura registrada do MIMO, leva ao palco projeções de imagens e sua mistura de ritmos como o samba-jazz, maracatu, latin groove, Tropicália, soul music, afrobeat, ska, acid jazz e funk.

No line-up, abrindo as apresentações do primeiro dia, Duda Brack, artista que já foi eleita pela crítica como artista revelação, traz estrutura e signos do pop de forma totalmente oxigenada. A paulista Cida Moreira aproveita o momento para lançar em primeira mão o álbum “Um copo de veneno”. O cantor Otto, figura central na cultura brasileira, revisita mais de duas décadas de música em seu novo show.

Cida Moreira

Cida Moreira

Agitando o segundo dia de festival, Luciane Dom traz seu clima enérgico para o palco e seu estilo, que reúne música brasileira com reggae, sons do candomblé e sua visão moderna do jazz. O carioca Zona Norte Caio Prado traz em seu trabalho atitude, luta, ideias frescas e um trabalho de música popular brasileira contemporânea, que dialoga com diversos públicos. Pedro Luís chega com sua vigorosa e emotiva interpretação em um show em homenagem a Luiz Melodia, com releituras de suas músicas.

Já o trio Tuyo sobe ao palco fundindo organicidade e texturas eletrônicas com temáticas existenciais. Encerrando o segundo dia de apresentações, a cantora baiana Luejdi Luna apresenta seu novo álbum, “Bom mesmo é estar debaixo d’água”, com faixas que transitam entre o jazz e os ritmos africanos e são como um mergulho no mar quente da Bahia.

Iniciando o terceiro e último dia de festival, a pernambucana Natascha Falcão faz a performance de pré-lançamento do álbum “Ave Mulher”, que traz o tradicionalismo orgânico e melódico do coco urbano do Recife – mas também xote, ciranda, boemia e macumba, com texturas, timbres e beats eletrônicos.

Almério, que começou sua carreira cantando em bares de Caruaru, sobe ao palco com toda a sua performance irreverente. Dando sequência, Zé Manoel apresenta o álbum “Do meu coração nu”, com produção musical de Luisão Pereira. Encerrando com chave de ouro, o MIMO apresenta um show exclusivo, gravado em Paris, do coletivo francês Nouvelle Vague, com seu estilo único.

coletivo francês Nouvelle Vague

Coletivo francês Nouvelle Vague

Além das atrações musicais, o evento contará ainda com Workshops, levando conceitos técnicos da área musical, e o Fórum de Ideias, trazendo nomes de peso e temáticas atuais relevantes para o debate.

Cinema e Workshops

A programação não poderia deixar de ter o Festival MIMO de Cinema, onde são apresentados seis filmes durante os três dias de evento através da plataforma Vimeo.

Destaque para o longa “Nouvelle Vague by Nouvelle Vague”, de Marc Collin; para “Alô… Tudo bem? – Brasil – A Cultura em delinquência”, dirigido por Helios Molina; e para “Clara Estrela”, de Rodrigo Alzuguir e Susanna Lira.

Uma série de workshops voltada para o universo do áudio nas produções musicais, sob a coordenação de Daniela Pastore, professora universitária de Produção Fonográfica, é oferecida nesta edição especial do MIMO Festival.

Os primeiros 30 alunos que entrarem na sala nos dias do evento poderão interagir com os professores. Os demais poderão assistir à aula, que será transmitida em tempo real no canal do MIMO Festival no Youtube.

Vale acompanhar ainda as mesas de debate com temas urgentes e pertinentes ao atual momento. O papo O Papel das Artes no Combate ao Racismo, com Caio Prado, Luciane Dom, Zé Manoel e Margareth Menezes, acontece dia 27, das 11h às 12h30.

Agenda musical:

26/03 – MIMO SP

DJ Montano
Cristina Braga, Marcos Ribeiro e Ricardo Medeiros
Duda Brack
Cida Moreira
Otto

27/03 – MIMO RJ

DJ Montano
Duo Santoro
Luciane Dom
Caio Prado
Tuyo
Pedro Luis
Luedji Luna

28/03 – MIMO Olinda

DJ Montano
Ana de Oliveira e Sergio Ferraz
Natascha Falcão
Almério
Zé Manoel
Nouvelle Vague

Publicidade

Fotos: Divulgação


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.