Debate

‘Ódio e nojo à ditadura’: a fala histórica de Ulysses Guimarães ao promulgar a Constituição

Redação Hypeness - 31/03/2021


Há 57 anos, o Brasil entrava no pior momento de sua história. Os militares destituíram o Presidente João Goulart através de um golpe militar e instauraram uma ditadura sangrenta que matou, de acordo com o relatório final da Comissão Nacional da Verdade, 434 brasileiros.

Os números não são um consenso, já que foram encontrados mais de 1 mil sacos com ossadas de pessoas enterradas sem identificação ou com nomes trocados em uma vala clandestina no Cemitério Dom Bosco, em São Paulo, que ficou conhecida como Vala de Perus.

– Celebrar ditadura é a estratégia para quem não tem plano para o futuro

Doutor Ulysses Guimarães presidiu a Constituinte e foi pivotal para o desenvolvimento da “Constituição Cidadã”

‘Ódio e nojo à ditadura’

O Brasil só saiu do momento mais sombrio de sua república em 5 de outubro de 1988 quando o Presidente da Assembleia Constituinte, Ulysses Guimarães (PMDB) promulgou a lei maior que restabeleceu a plenitude da democracia representativa em nosso país.

Vivemos momentos estranhos 33 anos depois do ato de Ulysses. Na ordem do dia 31 de março do Governo Federal, o ministro da Defesa, General Walter Braga Netto, afirmou que o povo brasileiro deveria ‘celebrar‘ o golpe de 1964. O presidente Jair Bolsonaro também é um vocal defensor do período histórico que perseguiu opositores e cometeu crimes bárbaros contra os direitos humanos.

– Cemitérios de São Paulo terão memoriais para vítimas da ditadura

Mas o Doutor Ulysses, como era conhecido, tem um recado a essa nova leva de políticos. Ele, que lutou contra a ditadura, fez um imponente discurso durante a promulgação na Constituição de 1988. A lei maior brasileira era um símbolo de um novo país que primava pela democracia.

Ulysses exibe o texto final da Constituição Federal de 1988, garantidora de direitos sociais, econômicos e políticos do nosso país

“Temos ódio à ditadura. Ódio e nojo. Amaldiçoamos a tirania aonde quer que ela desgrace homens e nações. Principalmente na América Latina.”, disse doutor Ulysses. “Traidor da Constituição é traidor da Pátria. Conhecemos o caminho maldito. Rasgar a Constituição, trancar as portas do Parlamento, garrotear a liberdade, mandar os patriotas para a cadeia, o exílio e o cemitério”, adicionou.

Você pode saber mais sobre a Vala de Perus aqui:

– Bolsonaro ameaça jornalista e lembra general da ditadura militar: ‘Encher tua boca de porrada’

Confira vídeo do momento histórico:


A ditadura matou e desapareceu com 434 brasileiros por questões políticas. Foram mais de 20 mil torturados, segundo a Human Rights Watch. Não podemos esquecer. Não podemos permitir que isso aconteça novamente. Não devemos desrespeitar o princípio básico de nossa constituição: a democracia.

Publicidade

Fotos: Destaques e Foto 1: Célio Azevedo/Agência Senado Foto 2: Arquivo ABr


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Joice Hasselmann nega violência doméstica e diz não saber como acordou com hematomas