Ciência

Vacinas contra covid-19 protegem mulheres grávidas e recém-nascidos, diz estudo

Vitor Paiva - 31/03/2021

Um estudo confirmou que as vacinas Pfizer/BioNTech e Moderna oferecem proteção às gravidas e lactantes contra a Covid-19, que podem transferir os anticorpos para os recém-nascidos. A pesquisa foi publicada recentemente na revista científica American Journal of Obstetrics and Gynecology, e realizada através de uma parceria entre cientistas do Massachusetts General Hospital (MGH), do Brigham and Women’s Hospital, em Boston, e do Ragon Institute, instituto médico ligado ao hospital MGH, ao MIT e à Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard.

Gestante com máscara sobre a barriga

A transferência de anticorpos da mãe para o bebê é elemento positivo da nova pesquisa

-Como cientistas podem ter descoberto acidentalmente a cura para o câncer

Segundo a pesquisa, os resultados não só foram positivos, como se revelaram especialmente eficazes – com uma produção de anticorpos em mulheres grávidas e lactantes tão alta quanto nas mulheres não gestantes que participaram da pesquisa. A transferência da proteção contra a doença para os recém-nascidos foi medida através do leite e da placenta, mas novos experimentos, segundo os cientistas, ainda se fazem necessários para determinar quanto tempo os anticorpos resistem e funcionam nos bebês.

A maior pesquisa com grávidas e vacinas

A pesquisa trabalhou com 131 mulheres que receberam as vacinas, das quais 84 estavam grávidas, 31 estavam amamentando – 16 mulheres não esperavam um filho nem estavam dando de mamar. Esse é o maior levantamento feito sobre a vacinação entre gestantes já feito, e o resultado é especialmente animador e importante já que mulheres grávidas não participaram dos primeiros testes com as vacinas.

Grávida recebendo vacina

A pesquisa é a primeira a oferecer dados seguros sobre a vacinação em gestantes

-Vacina contra HIV atinge etapa final de testes clínicos; passo histórico significa muito

Outro dado digno de nota é que a pesquisa não identificou nenhum efeito colateral extraordinário ou intenso entre as participantes – as reações foram mínimas e equivalentes às mulheres não gravidas na pesquisa.

Mãe amamentando seu filho

A amamentação foi identificada como maneira de transmitir os anticorpos da mãe para o bebê

-Brasil tem número inédito no mundo de morte de grávidas e puérperas por Covid-19

“É importante notar que o desenvolvimento das vacinas para Covid-19 e suas aprovações regulatórias estão em um processo veloz de mudança, e as informações e recomendações irão evoluir com a coleta de novas informações sobre as vacinas e seu uso nas populações específicas”, diz um trecho da pesquisa. Entidades de saúde nos EUA recomendam que a aplicação ou não das vacinas em gestantes ou lactantes seja debatida entre a paciente e seu médico.

Mulher grávida recebendo vacina

Novas pesquisas sobre o tema ainda se fazem necessárias segundo os próprios cientistas envolvidos

Publicidade

© fotos: Getty Images


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.