Diversidade

Senhor Cabeça de Batata vira brinquedo de gênero neutro e muda de nome

Redação Hypeness - 01/03/2021

O Senhor Cabeça de Batata não é mais um senhor. Nem a Senhora Cabeça de Batata é uma senhora. A Hasbro, fabricante do popular brinquedo há quase 70 anos, decidiu alterar o nome de seus bonecos apenas para “Potato Head” (“Cabeça de Batata”, em tradução livre). Os brinquedos nas versões “Sr.” e “Sra.” seguem existindo, mas a franquia passa a ter o nome sem desinência de gênero. 

Uno Minimalista: Mattel lança, no Brasil, versão do jogo criada por designer cearense

A empresa afirmou, em um comunicado, que tem a intenção de “fazer todos se sentirem confortáveis no universo Cabeça de Batata”. 

Após o anúncio, muita gente se perguntou se os brinquedos iriam parar de existir. A companhia fez questão de esclarecer a questão em um tuíte publicado logo em seguida. “O Sr. e a Sra. Cabeça de Batata não estão indo a lugar algum.”

Brinquedos sem gênero: 5 opções para dar de presente para crianças

Com isso, a Hasbro reforça um caminho que tem sido traçado pela indústria de brinquedos infantis: o da inclusão. Assim como a Barbie, da Mattel, passou a ter outras cores de cabelo e tons de pele nos últimos anos, retirar o “senhor” e “senhora” das Cabeças de Batata pode ajudar com que crianças se reconheçam melhor ali, sejam elas do gênero que forem. 

A ONG americana Gay & Lesbian Alliance Against Defamation (Glaad) celebrou a novidade. “A Hasbro está ajudando crianças a verem os brinquedos simplesmente como brinquedos, o que as incentiva a serem autênticas e se sentirem menos pressionadas por normas tradicionais de gênero.

Barbie apresenta versões com vitiligo e careca; veja fotos

Publicidade

Fotos: Hasbro


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
‘BBB’: Carla Diaz diz que ‘racismo reverso não existe’ e critica inquérito sobre preconceito