Arte

Agenda Hype em casa: festivais É Tudo Verdade, Roque Pense, Afromusic e lançamentos da semana

Gabriela Rassy - 06/04/2021 | Atualizada em - 08/04/2021

Festivais online, artistas se reinventando em novos canais, lançamentos da música, exposições e peças virtuais, além daquelas boas opções de delivery que a gente ama.

Destaque da semana para os festivais Roque Pense!, com Luiza e os Alquimistas, a cantora índigena Kaê Guajajara e as rappers da Baixada Fluminense; Festival AFROMUSIC #2, com Jup do Bairro, Mental Abstrato e Ballet Afro Koteban; além das apresentações e oficinas da Funmilayo Afrobeat Orquestra celebrando 2 anos.

Nos lançamentos musicais, BaianaSystem com Claudia Manzo em Pachamama; Rita Lee e Roberto de Carvalho em remixes deliciosos; Jonathan Ferr e Serjão Loroza em Esperança; e muito mais. Nos canais, Romero Ferro e Tuyo em novas empreitadas online.

Destacão cinematográfico para o festival de documentários É Tudo Verdade, com 69 produções exibidas on-line e totalmente gratuitas. Vale assistir “Canções do Exílio: A Labareda que Lambeu Tudo”, com testemunhos e imagens resgatam histórias pouco conhecidas do exílio londrino de Caetano Veloso e Gilberto Gil, no fim dos anos 1960.

Vem na minha!

#lives

Festival Roque Pense! | YouTube
Dias 9, 10 e 11 de abril, às 20h
Grátis
As mulheres da Baixada Fluminense – RJ comandam o palco do Festival Roque Pense! nos próximos dias 09, 10 e 11 de abril, às 20h. Com 10 anos de estrada, essa é a primeira edição online e transmídia do festival. A programação conta com a banda Luiza e os Alquimistas, a cantora índigena Kaê Guajajara e as rappers da Baixada Afrodite, LOrac Lopez, Lavínia  e Athena, que vão contar com o apoio da Dj Moonjay. A Roque Pense! é uma rede de mulheres profissionais da cultura que desenvolvem diferentes projetos transmídias de música, cultura urbana e audiovisual.

Festival AFROMUSIC #2 | YouTube Universo Afromusic.
9, 10 e 11 de abril
Grátis
Repetindo a dose de autenticidade e frescor do ineditismo, neste ano o AFROMUSIC realiza sua segunda edição com shows de artistas e bandas pretas que estão alavancando a nova cena independente, além de uma série de entrevistas que irão refletir sobre temas ligados à música e sociedade. Totalmente gravada no Teatro de Contêiner, no centro de São Paulo. Viajando pelos ritmos tradicionais, contemporâneos e futuristas, Jup do Bairro, Gê de Lima, Izzy Gordon, Renato Gama, Biel Lima e Fabriccio são alguns dos convidados que destacaram repertório autoral em suas próprias linguagens. O grupo Mental Abstrato, por sua vez, realiza um feat inédito com a rapper baiana Mana Bella, que nesta versão funde suas rimas aos beats e células rítmicas consagradas do jazz atual. Já a Banda Nova Malandragem, que celebra o samba-rock clássico em composições instrumentais, convida o ilustre e experiente trompetista Walmir Gil. Fechando a agenda, Ballet Afro Koteban faz um resgate ancestral com o espetáculo que mescla som e dança a partir de uma pesquisa aprofundada da cultura Malinkê, do oeste da África.

Funmilayo Afrobeat Orquestra – FunmilayON | Youtube da banda
De 1º até 22 de abril de 2021
Grátis
A Funmilayo Afrobeat Orquestra – primeira banda de afrobeat brasileira formada somente por pessoas negras, mulheres e não binárias – faz uma série de atividades para celebrar dois anos de existência. Inteiramente virtual, o projeto intitulado FunmilayON pretende ocupar as tardes e noites de quinta-feira com duas oficinas: “Do Shekere ao Xequerê” e “Dança com P”. Além das oficinas, o evento promoverá dois bate-papos. O primeiro, “Reverberações do Afrobeat Nigeriano no Brasil”, com Pedro Rajão, diretor do documentário “Anikulapo”, e Raphael Amaral, mestre em História pela PUC-SP. O segundo, “Vozes do Afrobeat – Conexão Brasil, Chile e Nigéria”, receberá as cantoras Okwei Odili (Nigéria) e Macarena Rozic (Chile). Para fechar a temporada de atividades, 2 shows somam a agenda: um apresentando repertório mais clássico do afrobeat e outro trazendo uma jam session com performances, intervenções poéticas e mais.

Notas Contemporâneas – Fafá de Belém
Quarta-feira, 7, 20h
Grátis

O programa Notas Contemporâneas registra depoimentos de significativos nomes do cenário musical brasileiro, erudito e popular, cuidando da manutenção da prática de história oral do MIS, um dos pilares de criação do museu. Durante o #MISemCASA, uma série de edições inéditas a partir desse material vem sendo apresentada, com organização e curadoria da historiadora Rosana Caramaschi, responsável pela entrevista, pesquisa e roteiros desde o primeiro programa, em 2011.  A cantora, compositora, atriz e multi-instrumentista Fafá de Belém (Belém, 1956) participou do programa em agosto de 2015 e contou detalhes sobre sua carreira musical, que se iniciou ainda na adolescência quando tocava em bares e boates do Pará, tendo se mudado para o Rio de Janeiro em 1973. Desde seu primeiro álbum, “Tamba Tajá”, em 1976, sua voz potente e afinada, sua força e seu carisma contagiaram o público e a crítica. De lá pra cá, a cantora vendeu milhões de álbuns, conquistou plateias pelos quatro cantos do mundo e acumulou importantes premiações relacionadas à canção brasileira.

Pocket Cultural com Orquestra Maré do Amanhã | Youtube da Firjan SESI
Quinta-feira, 8, 19h
Grátis
A programação do Pocket Cultural abre com a Orquestra da Maré, vencedora do Prêmio Profissionais da Música 2019. Criada há 11 anos por Carlos Eduardo Prazeres, a Orquestra tem o objetivo de ensinar e profissionalizar crianças e jovens do Complexo de Favelas da Maré no aprendizado de música clássica. A orquestra tem como premissa não ser apenas um projeto social, mas oferecer oportunidade real de mudança de vida para os alunos e promover educação para qualificação profissional e oportunidades de trabalho. Até hoje, 3500 crianças já foram atendidas pela iniciativa.

#lançamentos

BaianaSystem Feat. Claudia Manzo | Pachamama
A banda que mora no meu coração recebe a artista chilena Claudia Manzo em uma faixa que passeia por paisagens andinas, com olhar documental que revela realidades tão próximas às brasileiras. O lançamento marca o terceiro ato de OxeAxeExu, batizado como América do Sol. Direção, roteiro e montagem são assinados por Marcelo Pinheiro.

Rita Lee & Roberto | Classix Remix
Nesta sexta-feira (9) de abril, chega às plataformas digitais o primeiro volume do projeto que abrange 37 faixas remix dos maiores clássicos do repertório de Rita Lee. O projeto conta com a curadoria do filho do meio do casal, o DJ e produtor João Lee, que trouxe um time de grandes DJs produtores, brasileiros e internacionais. O grandioso trabalho foi dividido em três volumes. O primeiro deles, intitulado “Rita Lee & Roberto – Classix Remix Vol. 1”, traz 12 faixas, entre elas “Mutante” (Gui Boratto Rework), “Mania de você̂” (que ganha dois remixes: um de Dubdogz & Watzgood e outra do DJ americano Harry Romero), “Lança perfume” (The Reflex Revision), “Saúde” (Tropkillaz), “Caso sério” (DJ Marky), entre outras.

Jonathan Ferr e Serjão Loroza | Esperança
O lançamento sai pelo selo slap, da Som Livre, e oferece o que Ferr sabe fazer de melhor: uma mistura de primorosa musicalidade, referências a elementos das religiões de matriz africana, reflexão sobre questões sociais e democratização do jazz, tudo isso embalado em sua estética afrofuturista. Além de ser a primeira track de piano solo do artista, “Esperança” traz ainda um poema declamado pela voz potente de Serjão Loroza. O single fala sobre a esperança do povo preto em detrimento à anulação e silenciamento por parte do poder público, assim como pela conivência de setores mais privilegiados. De forma tocante, Ferr e Loroza – ambos originais do bairro de Madureira, no subúrbio da cidade do Rio de Janeiro – propõem uma reflexão de prosperidade em meio à uma realidade racista.

Mayí | Sedenta
“Diversão levada a sério”. A premissa de Chico Science, principal nome do movimento manguebeat, para definir a forma como enxergava a própria obra é uma das inspirações e ponto de partida para a mineira Mayí – integrante do coletivo feminino de hip hop Fenda – na criação de “Sedenta”. O segundo single da sua carreira-solo, que chega acompanhado de um registro audiovisual. Em uma fusão de sonoridades frequentemente marginalizadas, como o trap e o funk, a cantora e compositora dá sua contribuição para abrasileirar influências “de uma quebrada internacional” por meio de uma letra que tem como personagem principal a liberdade sexual feminina.

Vittória Braun e Rafael Lorga | Jornada
No clipe do single, a dupla compartilha cores, paisagens e afetos que guiaram a feitura do disco “Salto no Breu”. Através desses dispositivos narrativos, conduzem o nosso olhar para a necessidade dos encontros entre trajetórias individuais e coletivas. Para ressaltar a urgência de desfazermos os nós que nos impedem de seguir caminho, a dupla destaca a colaboração como modo de reanimar o nosso desejo por uma resistência em arte e vida. Nesse sentido, apresentam imagens que buscam re-banhar as secas dos nossos sertões pessoais com correntes de azul: azul ar, azul água, azul céu e azul mar. Além desses, os artistas investem também em chamados para o azul vento: para os braços que agitam bandeiras e sopram esperança nos acontecimentos. Em “Jornada’, Vittória Braun e Rafael Lorga fazem azul para fazer da canção uma aposta de futuro, poesia em movimento, um convite para nadar ou voar junto.

Orquestra Raiz | Íris
Mergulhar em um mar de referências culturais, fundir gêneros, apresentar uma roupagem contemporânea para antigas canções e alcançar inusitadas texturas são algumas das propostas do novo EP da Orquestra Raiz. Dentre as faixas, “Flor de Maio” conta com a participação da cantora paulistana Kika e vem acompanhada de um videoclipe, assinado por Patrícia Araújo. Idealizada pelo russo radicado nos EUA, Alex Tea e o cearence, Klaus Sena, a Orquestra Raiz vem ganhando destaque na cena musical por apresentar uma pluralidade de sotaques sonoros, que rendeu ótimas críticas ao primeiro disco do coletivo, que reuniu 35 artistas, As Américas, de 2015. Para Íris o convite para um universo de timbres e texturas ousados se renova.

Ana Cacimba | Cura
Com quatro canções autorais, Ana Cacimba narra seus processos pessoais de cura, em meio a uma pandemia mundial, a partir de seu entendimento sobre suas próprias origens, suas raízes quilombolas, seu lugar enquanto mulher negra de pele clara e suas vivências de mãe solo e artista periférica. Nesse registro, o clima pop ganha forças com os ritmos tradicionais e a poética da cultura popular que desde sempre embalaram a artista no samba de roda, maracatu e ijexá. Agora, toda essa atmosfera surge acompanhada de guitarras elétricas e toques latinos.

Nico Antonio e os Filhos do Mar | Pt. lll – Tronco
O EP é a terceira parte de “O Paquiderme”, que traz a questão da maternidade em três canções: em “Filho”, a protagonista tenta se entender como futura mãe em numa canção lírica e suave; já em “Ninar”, um baião leve onde ela embala seu filho em imagens suaves, que se adensam com sua preocupação, com excerto do livro “A desumanização” de Valter Hugo Mãe; por fim “Toujours”, uma canção de despedida, um misto de leveza e intensidade.

#filmes

26º É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários
8 a 18 de abril
Online e grátis
A seleção do É Tudo Verdade 2021 conta com 69 títulos de 23 países. A programação em streaming de filmes, master classes e debates, estará distribuída pelas plataformas É Tudo Verdade/Looke, Sesc Digital e Spcine Play; no site do Itaú Cultural, no canal do YouTube do Sesc 24 de Maio; no site do É Tudo Verdade;e na TV, no Canal Brasil. Os filmes vencedores dos prêmios dos júris nas Competições Brasileiras e Internacionais de Longas/ Médias-Metragens e de curtas-metragens estarão automaticamente classificados para apreciação à disputa pelo Oscar® do ano que vem. A cerimônia de premiação acontecerá às 17h do dia 18 de abril, no YouTube do É Tudo Verdade. Devido à emergência sanitária decorrente da epidemia da Covid-19, o festival será on-line, com acesso da programação para todo o território nacional. Programação completa aqui.

#visuais

Chiharu Shiota – Linhas da Vida | CCBB em Casa
Um tour virtual em 360º da mostra Linhas da Vida, da artista japonesa Chiharu Shiota. A visita online permite que o visitante tenha acesso a detalhes de todos os ambientes das galerias do CCBB e das obras, e ainda reúne textos, legendas e obras comentadas com audiodescrição em português e inglês. “Linhas da Vida”, de Chiharu Shiota, revisita a trajetória da artista japonesa, apresentando mais de 70 obras organizadas em cinco núcleos temáticos. Com gravuras, pinturas, esculturas, fotografias, vídeo performances e instalações, a exposição traça um panorama do trabalho da artista, desde o princípio de sua carreira, em 1994, até os dias atuais. O público poderá navegar como se estivesse passeando presencialmente pelo espaço e até ver, por exemplo, a instalação Além da Memória (2019-2021), obra inspirada na diversidade do povo brasileiro, tanto do térreo quanto do segundo andar. O CCBB exibe, ainda, uma palestra com a curadora da mostra, Tereza de Arruda, em seu canal do YouTube.

Para visita virtual e Catálogo digital: visite: https://www.bb.com.br/cultura

Para palestra: https://www.youtube.com/watch?v=UC3JHA9_H4A

Björk digital
A exposição Björk Digital que esteve no CCBB Brasília e Rio de Janeiro apresenta uma série de conteúdos relacionados ao universo da multiartista islandesa. Além do catálogo em formato online, estão disponibilizadas as lives com colaboradores de Björk e convidados nacionais, elementos interativos e vídeos sobre diferentes aspectos do trabalho da artista.

Visite: https://www.bb.com.br/cultura

#cênicas

O Desejo do Outro | Youtube
Sextas e sábados às 20h de 2 a 17 de abril
Grátis
A décima terceira produção da Cia. Provisório-Definitivo tem criação de vídeos de Grissel Piguillem Manganelli, trilha sonora de Luis Aranha, transmissão para o streaming de Gustavo Bricks e produção executiva Pedro Guilherme e Paula Arruda. Durante a peça, sem um entendimento do que Pedro busca com esse encontro, o público vai vendo-o desvelar fatos e segredos de pai e filho. O ator disseca objetos num retroprojetor, que quando projetados no cenário, ganham contornos de imagens microscópicas de vírus, células, amálgamas de DNA, glóbulos e amebas, como seu pai fez quando era pesquisador científico ao dissecar materiais laboratoriais para exames diagnósticos. Pedro vai investigando até revelar a doença que levou à morte do pai: seu pai era homossexual e a doença misteriosa que o acometia era AIDS.

1º FESTIN – Festival de Teatro Independente
1 a 7 de abril
Pelo site festin.art.br.
Grátis
O Alvenaria Espaço Cultural promove, em parceria com a MB Produções Artísticas, o 1º FESTIN – Festival de Teatro Independente. A programação conta com 8 espetáculos do Estado de São Paulo, 4 da capital e 4 do interior, além de duas mesas de conversa com artistas dos grupos participantes. Os bate-papos têm o objetivo de promover a troca de experiência sobre a nova forma do fazer teatral em tempos de pandemia. Devido às restrições impostas pela pandemia do coronavírus, esta edição será totalmente online. Os espetáculos foram selecionados por meio de chamamento público, levando em conta a perspectiva de gênero. Por isso, foram privilegiando trabalhos com mulheres protagonistas, em cena, na dramaturgia, na direção ou na técnica.

O Especulador de Olhos Invisíveis de Carne | Facebook Teatro Paulo Eiró
2 de abril a 2 de maio de 2021. Sextas e sábados, às 21h. Domingo, 19h
Grátis
Adaptação online do espetáculo criado em 2016 aborda a sensação de sufocamento das grandes cidades pela especulação imobiliária e má utilização/distribuição do solo. Algumas fontes de inspiração da obra são o texto O Despovoador, de Samuel Beckett, e visitas feitas pela companhia em 1999 e 2014/2015 na região Centro-Norte da cidade (a extinta Favela do Gato) e nas aldeias dos índios Guaranis na região Noroeste (Pico do Jaraguá) e Zona Sul (Krukutu e Tenondé-porã).

#canais

2ª temporada do programa Eita, Ferro!
Lei Aldir Blanc
Instagram: @romeroferro
Youtube: /romeroferro
O pernambucano entrevista artistas de várias linguagens, ativistas, jornalistas, conversando sobre temas que estão em evidência no espaço público, mas sempre merecem outros olhares e perspectivas diferentes. Nesta semana Romero Ferro conversa com Otto sobre arte, especialmente música, e política. “Eu gosto quando consigo, com amor, chegar na política, chegar na injustiça. Eu me sinto mais político, longe do panfletário, e tentando explicar o que estamos vivendo no país hoje”, compartilha Otto.

Slam Papo de Poeta
6 de abril a 24 de maio, às 20h
Assista pelo Instagram: @oituyo
Ao lado da poetisa Kimani (vencedora do Slam de SP, em 2017), a banda promove uma série de oito encontros com escritores no perfil do grupo no Instagram. A ideia é conectar perspectivas em conversas sobre “a arte de organizar as palavras”. Com patrocínio Master da Petrobras Cultural, via Lei de Incentivo à Cultura, e realização de Bernardo Bravo, Santa Produção e Tertúlia Produções, a estreia, no dia 6 de abril (terça-feira), às 20h, traz a participação de Lio, Kimani e Dona Jacira, escritora, artista e mãe dos músicos Emicida e Fióti. Os demais encontros – todos com tradução simultânea em libras – acontecerão sempre às segundas-feiras, no mesmo horário.

#delivery

Festival de Sanduíche Pita
A partir da sexta-feira, dia 9, o Baruk lança um festival com quatro sabores do novo Sanduíche Pita. O lanche, composto por pão pita, ganha três versões salgadas e uma doce, com recheios carregados de sabores característicos da culinária árabe. A novidade estará disponível para pedidos via delivery próprio do restaurante e IFood durante dois meses. O primeiro sanduíche combina smashed kafta, coalhada seca temperada com zattar, picles, alface americana e tomate. No segundo, o michwi de frango ganha a companhia de picles, alface americana, tomate e molho tahine picante com mostarda e mel. Já a versão veggie reúne falafel, babaganush, pepino, alface americana, tahine apimentado e cebola. Para finalizar, o sabor doce conta com chocolate 70%, damasco turco picado, amêndoas torradas e mel. Cada unidade sai por R$23,90.

Futuro Station
A Fazenda Futuro, primeira foodtech da América Latina voltada à produção de carne à base de plantas sem nada de origem animal, entra em um novo nicho do mercado e inaugura sua primeira lanchonete própria, disponível apenas pelo iFood, operando em sistema dark kitchen. No cardápio, estão disponíveis quatro opções de sanduíches, todos 100% feitos a base de plantas, com dois Futuro Burgers 2030 na versão smash (55g cada). O Original (R$ 16,90) combina cheddar do Futuro, cebola e molho especial; já o Cheddar (R$ 19,90) – o preferido aqui em casa -, é uma releitura da tradicional receita com cheddar do Futuro e cebola chapeada no shoyu; no Rúcula (R$ 19,90), rúcula selvagem e caramelo de cebola se contrapõem e equilibram com o cheddar do Futuro; e por último, o X-Salada (R$ 19,90), com cheddar do Futuro, alface, tomate, babaganuche (pasta de berinjela) e cebola picada. Ainda é possível pedir combos com batata frita super crocante e bebida. As receitas foram desenvolvidas pelo chef hamburgueiro Marcos Lee, o China, consultor da Fazenda Futuro.

Publicidade


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Kubrick se inspirou em quadro de Van Gogh para cena de ‘Laranja Mecânica’