Arte

Agenda Hype em casa: festival Sesc de cinema, Tom Zé, Gilsons e Drik Barbosa nos destaques

Gabriela Rassy - 14/04/2021 | Atualizada em - 19/04/2021

Essa semana tem tanta novidade rolando que quase que a agenda não sai a tempo. Finalmente fechada, a seleção de lives, lançamentos musicais, festivais, filmes, podcasts, peças de teatro, exposições e delivery de bons quitutes, tudo para aproveitar dentro de casa.

Destaque vai para o 47º Festival Sesc Melhores Filmes, que começa nesta semana e vai até maio com programação gratuita, e para o 11º Cinefantasy, que exibe 140 títulos até o fim do mês.

Na música, o 8º Festival Mulheres no Hip Hop traz programação diversa e deliciosa até domingo, e o Nossos Palcos com Edgar, Drik Barbosa, Jadsa, Giovani Cidreira e Jup do Bairro. Trago ainda boas novas com lançamentos da união entre Gilsons e Jovem Dionísio em Algum Ritmo, o intenso álbum visual de estreia de Afroito, além da releitura em dub por Joey Altruda para “A Babá” de Tom Zé.

Vem na minha!

#live

8º Festival de Mulheres no Hip Hop
Sexta, 19h, Sábado, 15h às 20h, e Domingo, 15h às 20h
Grátis
Completamente gratuito e online, com transmissões realizadas pelo YouTube e Facebook do coletivo, o evento conta com a participação de MCs, DJs, B-Girls e grafiteiras. Somando nessas atividades, lideranças ligadas à comunicação, política, cultura e movimentos LGBTQIA+ compartilham seus saberes em bate-papos e palestras. Para o público infantil, uma sequência de contação de histórias.

Chiii – Festival de Música Criativa | canal oficial de Youtube.
13 a 25 de abril
Grátis
Depois de dois anos, CHIII – Festival de Música Criativa volta observando o legado da primeira edição com a vontade de não se repetir e louco para ampliar as margens do que é classificado como música. Dessa vez, o festival traz cerca de 40 artistas e uma programação diversa com dezenas de atrações que envolvem dança e até mesmo um podcast. Irmãs e irmãos latinos foram convidados para mostrar que o Brasil não está de costas para a porção Sul do continente. CHIII de 2021 olha para frente e assume as apresentações gravadas como um modelo online de mostrar conteúdo difícil de ser contido ou capturado. Ainda assim, registros de ousadia, contestação, celebração e transgressão auditiva.

Festival rec.tyty
17 a 25 de abril – Galeria virtual permanece aberta até o dia 30 de Maio
Grátis
Com curadoria de Ailton Krenak, Cristine Takuá, Carlos Papá, Naine Terena e Sandra Benites, referências na produção cultural indígena, mostra destaca as manifestações dessas populações e o impacto de suas origens nas artes visuais, fotografia, cinema, musica e pensamento. Além das obras visuais, sonoras, cinematográficas e fotográficas, os visitantes terão a oportunidade de se aprofundar um pouco mais na cultura indígena, em suas tradições e contemporaneidades, por meio de um ciclo de conversas, como também conhecer a primeira etapa do projeto Nhe’ẽry, que por meio de oficinas artísticas, vem promovendo a recriação de mapas da cidade e do litoral de São Paulo, a partir da perspectiva e da língua do povo Mbya-Guarani.

Festival Nossos Palcos | Canal do Youtube da On Stage Lab
Sexta e sábado, 17 e 18 de abril, às 17h
Grátis
O evento online traz shows exclusivos de grandes nomes na nova cena contemporânea. Se apresentam o rapper Edgar, revelação do rap nacional, Jup do Bairro, que recebeu o prêmio de Revelação do Ano (Multishow); Taxidermia composto pelos artistas baianos Jadsa e João Meirelles (BaianaSystem); Giovani Cidreira com seu elogiado álbum, Japanese Food. A rapper Drik Barbosa, que canta sobre as suas lembranças e as vivências de uma mulher negra no Brasil e Souto MC, considerada uma das grandes promessas do rap nacional.

 

Barbapapas apresentam DooWooDooWoo
Sexta, 16, às 20h
Grátis
O quarteto de música instrumental Os Barbapapas apresenta uma audição visual do álbum DooWooDooWoo no canal oficial da banda no Youtube. O espetáculo encerra a série de shows As 6 Faces dos Barbapapas, promovida pela banda com apoio da lei de fomento à cultura Aldir Blanc, e mostra na íntegra DooWooDooWoo – disco produzido a partir da provocação do selo berlinense Fun in the Church, que conheceu a banda online e a instigou a lançar um material inédito com faixas curtas, pensadas justamente para o consumo digital – tão fundamental durante o período de isolamento social.

#lançamentos

Gilsons, Jovem Dionisio | Algum Ritmo
Um ritmo em comum fez as bandas Gilsons e Jovem Dionisio se encontrarem. Não exatamente a sonoridade, mas algo nos algoritmos fez as bandas se perceberem e se relacionarem. Depois de começarem contato pelo Instagram, os músicos compuseram uma faixa totalmente à distância, fazendo uma brincadeira com a palavra que os uniu: algoritmo virou algum ritmo e ali os grupos se encontraram. A faixa virou um clipe sensível com direção de Felipe Fonseca, direção de fotografia de Henrique Thoms, argumento de Rafaella Silva e atuação de Adrielly Faria.

Afroito | Menga
Entre coco e espiritualidade, o maravilhoso Afroito lança seu primeiro álbum de estúdio. Menga, que significa movimento com o corpo, tem referência em grandes mestres de Pernambuco, como Selma do Coco, Mestre Ana Lúcia, Aurinha do Coco, Mestre Galo Preto e tantos outros. O álbum visual traz a sensibilidade e ancestralidade poética que permeiam o trabalho deste artista tão potente. Entre e ame.

Tom Zé, Joey Altruda | A Babá
Acaba de chegar às plataformas digitais um Tom Zé como você nunca ouviu. O músico e compositor norte-americano Joey Altruda lança a faixa em duas versões inéditas, Heavy Dub Reggae e Ska Jamaicano pelo selo Avocaudo Records. Composta originalmente em 1972, “A Babá” nasceu da união das lembranças de cantigas de roda, a ideia da dinamite na cabeça do século e a figura do capitalista famoso Rockfeller. Ingredientes que só fazem sentido depois de processados na mente criativa de Tom Zé.

Buena Onda Reggae Club | A Night In Bollywood
A inspiração para a composição, que reúne o ska, ritmo originalmente jamaicano, e a sonoridade tradicional indiana, veio na verdade da música pop. “No começo da pandemia, eu passei a me aprofundar nos estudos de música étnica de diversas partes do mundo. Paralelamente, também vinha estudando sobre produção na música pop. Eu sou um grande fã da música “Toxic”, da Britney Spears, e nas minhas pesquisas encontrei um vídeo que explicava que o tema de Toxic é um sampler de uma música de um filme de Bollywood. Juntei todas essas referências, mais a especialidade da banda, que é o ska, e chegamos nesse resultado”, explica Victor Fão, trombonista do Buena Onda.

Matheus Santiago | INI
Compreender a importância do corpo como uma embalagem que é gasta ao longo da viagem chamada vida, é o mote de INI,  segundo EP do cantor e compositor cearense Matheus Santiago, que durante o período de isolamento social mergulhou em si para transformar suas angústias e inquietações em arte. O resultado é um EP de música popular brasileira, que chega no próximo dia 19 de março nas plataformas digitais e conta com parcerias de Caio Castelo e Klaus Sena.

Enzo Banzo | Olhando de longe
A poeta Ana C. tinha ciúmes do cigarro que era fumado “tão distraidamente” por alguém. Já Manuel Bandeira queria um poema que fosse “ardente como um soluço sem lágrima”. Para Enzo Banzo, a poesia também surge quando – e do que – menos se espera, como uma boca engordurada durante o almoço. Ou uma nudez sem pretensões, ao modo que seu novo single. “Olhando Longe” sai como o segundo single do seu novo disco solo, Amor de AM, fazendo dos detalhes banais do dia a dia pura poesia na vida compartilhada entre duas pessoas. A música ganhou um vídeo-letra exclusivo desenvolvido pelo artista e poeta Daniel Minchoni.

André Dias | Das Mais Belas Tristezas às Mais Doces Levezas
Com músicas que trazem um contraponto ao retratar o protagonismo de um homem negro, preso a estereótipos racistas e machistas, o cantor, compositor e guitarrista, André Dias, lança seu novo disco. Suas canções são autobiográficas e tentam lançar luz à forma como a tristeza e seus diversos tons permeiam – positiva e negativamente – as relações amorosas. Após lidar com um término de relacionamento traumático, algumas das faixas do disco surgiram como uma válvula de escape para se reerguer.

#filmes

47º Festival Sesc Melhores Filmes
14 de abril até dia 5 de maio
Grátis
O mais longevo festival de cinema de São Paulo repete a experiência de sucesso do ano passado e apresenta sua 47ª edição em formato online, por conta da pandemia causada pelo coronavírus. Realizado pelo Sesc São Paulo, o Festival Sesc Melhores Filmes oferece gao público de todo o país, na plataforma Sesc Digital, uma programação com filmes nacionais e estrangeiros que foram destaque em 2020, além de encontros e atividades com realizadores e pensadores do cinema. Na abertura do festival, serão conhecidos os trabalhos de artistas eleitos pelo voto popular e júri especializado como os melhores do ano. A premiação será apresentada ao vivo pelo ator Silvero Pereira, no dia 14/4, a partir de 19h30, no canal do CineSesc no YouTube.

11º Cinefantasy
16 a 29 de abril de 2021
Grátis
Com uma seleção feita a partir de 781 filmes de 70 países, o festival reúne uma equipe de 14 especialistas, com equilíbrio de gênero, das mais diversas áreas do audiovisual que selecionaram os quase 140 títulos para compor a programação. O homenageado do ano é o cineasta Neville D’Almeida, que completa 80 anos em maio e permanece como um dos mais inventivos mitos do cinema nacional. Destaque para o documentário “Narrativas do Pós”, produzido em meio ao período de isolamento social pelos diretores Graubi Garcia e Jairo Neto. O longa-metragem provoca escritores, filósofos e cientistas políticos, a apresentar reflexões pertinentes e urgentes sobre os cenários de um mundo pós-pandemia. O filme conta com depoimentos da roteirista Ingrid Coelho, da pesquisadora de futurologia e escritora Lidia Zuin, do cientista político Marcio Black, do escritor Hector Lima e do professor e escritor Rodrigo Petrônio.

#visuais

Ressetar
A mostra reúne 12 artistas que criaram obras sobre a retomada da vida após situações de trauma e desmoronamentos. As obras são exibidas em 3D, permitindo que o público veja as peças em 360º. Também há a possibilidade de ativar o recurso de audiodescrição, disponível para toda a exposição. Todos artistas são relacionados de diversas maneiras à causa LGBTQIA+ e estão projetados no cenário da arte brasileira e internacional. A palavra Ressetar, que intitula a mostra, sintetiza a postura de combate dos artistas frente à situações desfavoráveis, muitas delas gerada pelo preconceito e pela desigualdade social.

Arqueologia da Criação: Uma imersão no acervo-ateliê de Rossini Perez
Até 1º de julho
Grátis e online
Premiada com o edital de exposições de artes do PROAC (Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo), a mostra é o resultado de um intenso trabalho de pesquisa e de convivência com o artista iniciado em 2017 por Sabrina Moura. A primeira individual de Rossini Perez a olhar para a totalidade do seu acervo será apresentada como galerias virtuais, por onde o público poderá percorrer, descobrindo as diferentes facetas do artista, com destaque para a colagem e a fotografia, além da gravura. Em março de 2020, o artista Rossini Perez faleceu, aos 89 anos, de uma infecção pulmonar crônica que o acompanhava desde a infância. Em meio ao início da pandemia de Covid-19 no Brasil, sua despedida foi silenciosa e compartilhada apenas entre familiares e amigos mais próximos. Agora a mostra faz uma homenagem ao seu trabalho.

#cênicas

IRETI | Cia. Mungunzá de Teatro no YouTube
15 e 18 de abril, 13 a 16 de maio, 19 a 22 de junho e 17 a 19 de julho, sempre às 20h
Grátis
Com a missão de dar voz às culturas afrodiaspóricas – que foram depreciadas ao longo da História -, a Cia. do Despejo estreia a videoarte online “IRETI”, inspirada no espetáculo de mesmo nome. A obra é uma crítica à necropolítica brasileira e às violências sofridas pelas mulheres negras em nosso país. O texto ficou em 4º lugar no edital de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos, realizado pelo CCSP – Centro Cultural São Paulo em 2019. As cenas foram gravadas sem plateia e seguindo todos os cuidados para garantir a segurança do elenco. A montagem, que tem dramaturgia de Ingrid Alecrim e direção de Thaís Dias, é inspirada na mitologia Iorubá, sobretudo na figura de Nanã Buruku, orixá que cedeu a lama do seu domínio para a criação dos corpos humanos. Ela também é responsável pela desencarnação, uma vez que exige de volta a matéria criadora da vida.

Verônica, uma peça-filme
9 a 18 de abril de 2021, sábados, às 21h, e domingos, às 19h
Grátis
Na trama, uma mulher presa pelo regime repressor de seu país vaga entre lembranças desfiguradas à procura de seu filho recém-nascido. A obra traz como referência mães torturadas que foram separadas de seus filhos pela Ditadura Civil-Militar brasileira (1964-1985).

#podcats

Prosa – Representatividade Negra na Comunicação
70 anos após a primeira transmissão televisiva do Brasil, apenas uma pessoa negra foi proprietária de uma concessão de tevê. Apesar de representarem mais da metade da população brasileira, pessoas negras ainda são consideradas como uma minoria social. Mesmo sendo a maioria, são minoria em direitos e oportunidades, e também em representação. Na prática, isso significa que esse grupo não está proporcionalmente representado na política, na televisão, no jornalismo, nas universidades, na cultura pop e na comunicação. Apesar do alcance crescente do debate racial e os avanços dos últimos anos, ainda é raro encontrar pessoas negras ocupando cargos de liderança dentro das empresas de comunicação. Mas afinal, será que representatividade basta? Para ajudar a investigar todas as nuances dessa questão, recebemos o jornalista e professor doutor da Unesp Juarez Xavier e Gabi Coelho, integrante do núcleo de fact-checking do Estadão e editora do Favela em Pauta.

À Mão Armada
Uma ampla discussão sobre a política armamentista brasileira é o fio condutor de ‘À Mão Armada’, primeiro podcast exclusivo do Globoplay. Narrado e produzido pela jornalista Sonia Bridi, o podcast mostra os efeitos diretos e indiretos das decisões tomadas pelo atual governo federal sobre o tema, e relembra crimes que envolveram armas de fogo, como o massacre em Suzano, em São Paulo. O primeiro episódio já está disponível.

A Corrida das Vacina
Em 5 episódios, os bastidores de uma grande conquista da ciência: a criação, em tempo recorde, de vacinas contra a Covid-19. Na Índia, na Rússia, na China, nos EUA, na Europa e no Brasil.

#delivery

Quinta do Olivardo Tasca Brooklin
Como forma de manter sua tradicional culinária portuguesa presente na mesa dos amantes da boa gastronomia durante o lockdown, a Quinta do Olivardo Tasca Brooklin está atendendo por meio de delivery e com retiradas no local no sistema drive-thru. O tradicional restaurante português oferece cardápio recheado de pratos típicos, com destaque para o Bolinho de Bacalhau e para a Alheira Defumada, além do Bacalhau à Lagareiro e dos famosos pastéis de Belém.

Delivery pelos aplicativos de entrega IFood e Ubereats ou pelo WhatsApp (11) 94223-0195 | 99110-1777

Padaria 13 de Maio
Nascida no início do século XX, no Bexiga (onde atualmente é a praça Don Orione), a Padaria 13 de Maio mudou-se há 40 anos para Moema, enriquecendo a região com a tradição e qualidade de seu pão italiano. Chama a atenção por lá, os pães assados no forno a lenha artesanalmente construído, seguindo um ritual centenário iniciado por imigrantes italianos da Calábria. Há ainda um balcão com doces tradicionais de diversas regiões da Itália, antepastos, além de queijos, vinhos e receitas para levar para casa ou comer em uma das mesinhas. Boas dicas são o Calzone Grande (R$49), o Pate de quatro queijos (R$15,90) e o Zeppole (R$11).

Publicidade

Tom Zé por André Conti
Frame de Algum Ritmo por Henrique Thoms


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.