Sustentabilidade

Animação denuncia o impacto devastador dos testes em animais

Vitor Paiva - 26/04/2021 | Atualizada em - 28/04/2021

O curta se chama “Save Ralph”, mas o objetivo da campanha da qual a animação faz parte é salvar não só o personagem coelho que batiza o vídeo, mas todos os animais ainda utilizados em testes para produtos de beleza ou farmacológicos em geral. Realizado como um falso documentário e se valendo de supostas pitadas de humor que na realidade funcionam como gritos de denúncia, o filme feito em stop motion conta com um grande elenco para “acompanhar” um dia de trabalho do coelho Ralph em um laboratório de testes cosméticos – e o resultado é de embrulhar o estômago e enfurecer corações.

Cena do stop motion "Save Ralph"

A simpatia do personagem Ralph contrasta com o horror a que ele é submetido

Já na abertura, o narrador (dublado pelo comediante inglês Ricky Gervais) conversa com o coelho (cuja voz é dublada pelo diretor neozelandês Taika Waititi) sobre os efeitos que os testes já causaram a seu corpo – o personagem começa o filme cego de um olho, com uma orelha surda e enfaixada, e com queimaduras pelo corpo que, segundo a narração, só doem quando ele respira. “Está tudo bem. Nós fazemos pelos humanos, certo? Eles são muito superiores a nós, animais”, comenta Ralph, em um texto pungente e inclemente em sua trágica ironia.

“Eu sei que parece ruim, mas eu vejo da seguinte forma: é o meu trabalho”, comenta o personagem, depois de ser preso para mais um teste em um laboratório. “Se um só ser humano puder ter a ilusão de que seu batom, ou desodorante são mais seguros…”, ele diz, antes de ser interrompido por outros coelhos, que imploram por ajuda da “equipe” do documentário para fugirem dali. O que se segue é uma gráfica e contundente cena que, mesmo em animação, é capaz de afetar os mais sensíveis – com um segundo apenas de como são os testes com tais animais.

Cena do stop motion "Save Ralph"

O personagem comenta que todos os seus parentes morreram em testes

A animação foi criada em parceria com o Arch Model Studio como parte de uma campanha da Humane Society of the United States pelo fim dos testes animais em todo o planeta, e traz ainda em seu elenco as vozes de Olivia Munn, Zac Efron, Pom Klementieff, Tricia Helfer e do brasileiro Rodrigo Santoro como participações especiais. “Nenhum animal deve sofrer ou morrer em nome da beleza”, diz a chamada que encerra o vídeo, após Ralph aparecer ainda mais debilitado ao fim do seu dia de trabalho – ou tortura.

Teste ou tortura

Já são diversas as empresas que deixaram de utilizar testes em animais em seus processos de fabricação – alterando assim, em alguns casos, produções globais, e passando a ostentar selos de “cruelty free”, ou produto livre de crueldade. Para além de qualquer debate – o impacto nocivo dos testes sobre os animais é evidente e já está mais do que comprovado – o fato é que soluções alternativas já existem aos montes, e permitem que as produções cosméticas sigam a todo vapor sem precisar, para isso, torturar animais inocentes.

Cena do stop motion "Save Ralph"

A animação conta com vozes como a de Ricky Gervais e do brasileiro Rodrigo Santoro

Um abaixo-assinado para proibir esses testes no Brasil já conta com quase 450 mil assinaturas no Change.org.

Cena do curta "Save Ralph"

“Nenhum animal deve sofrer ou morrer em nome da beleza”, diz o slogan da campanha

Publicidade

© fotos: reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.