Arte

As incríveis – e improvisadas – ilustrações do israelense Ori Toor

Vitor Paiva - 16/04/2021 | Atualizada em - 20/04/2021

Quem primeiro vê as ilustrações do artista israelense Ori Toor pode pensar que tudo nas suas coloridas e explosivas composições é calculado e posicionado a partir de rascunhos e projetos – a realidade, porém, é o exato oposto: o ilustrador faz cada desenho no improviso, sem saber onde o resultado final irá parar. Assim, seu trabalho transita entre o espanto e o esplendor, sempre movido pelo aleatório, o inesperado, o sentido que sua imaginação oferecer – e o resultado o coloca hoje como um dos mais requisitados ilustradores de sua geração.

Ilustração de Ori Toor

O artista Ori Toor cria suas ilustrações no improviso

-Um mundo de sonhos, aventuras tropicais e cogumelos nas ilustrações de Ceci Lam

Em entrevista para o site It’s Nice That, o artista confirma que o “fluxo de consciência” é seu método de criação, mas que o processo é mais rigoroso do que pode parecer. “Eu definitivamente edito e mudo tudo um milhão de vezes até ficar feliz”, ele diz. “Gosto de pensar que meu trabalho é um jeito de expor meu processo de pensar na tela”. Não é por acaso, portanto, que os trabalhos são habitados por elementos mais diversos, entre detalhes animais, espaciais, geométricos e coloridos – como se um “pensamento” do artista se ligasse ao outro no improviso.

Ori Toor

Seu método criativo combina fluxo de consciência e improviso com técnica e rigor

Ilustração de Ori Toor

Geometria se encontra com ficção científica como influências nos trabalhos

Ilustração de Ori Toor

A cultura pop e a pop art também influenciam o trabalho

-Escher explica seu processo criativo neste vídeo raro

Os excessos de informação e estímulos visuais que nos atravessam todo dia – e que também se impõem sobre Ori Toor – são, portanto, devolvidos pelo artista ao mundo, na tela. “Eu consumo TV, música, videogame, Instagram, livros, tanto quanto qualquer pessoa, e então sinto que é bom colocar um pouco pra fora, não só pra dentro”, comentou. O cinema, a ficção científica, os quadrinhos, a tecnologia e o imaginário futurista são também elementos determinantes em seu trabalho.

Ilustração de Ori Toor

As ilustrações de Toor também são recorrentes em publicidade e produtos

Ilustração de Ori Toor

O animais também se fazem presentes nos detalhes das ilustrações

Ilustração de Ori Toor

Cada ilustração de Toor parece conter outras tantas em suas complexas montagens

-Ela registra as coisas que descobre na natureza em desenhos totalmente maravilhosos

Residente da cidade de Tel Aviv, em Israel, o artista divide seu tempo entre projetos pessoais e trabalhos para clientes diversos. Suas ilustrações estampam e estamparam páginas e produtos para nomes como Adobe, Apple, Samsung, Cartoon Network, Bloomberg, Wired, Nike, New York Times, Maintenant Festival, Anxy Magazine e mais. “Eu sempre acreditei que as ilustrações editoriais são tão deliberadas e acuradas, e o que eu faço é o oposto, e por isso eu decidi evitar trabalhos editoriais completamente por anos”, comenta. “Surpreendentemente, a indústria mudou, e acho que eu também mudei um pouco”.

Pôster realizado pelo artista para o filme “Melancolia”, de Lars Von Trier

Ilustração de Ori Toor

Nike, Apple, Samsung e Adobe estão entre as empresas para as quais o artista já trabalhou

Ilustração de Ori Toor

As Ilustrações de Ori Toor já estamparam páginas de publicações como o New York Times, Wired e Anxy Magazine

Publicidade

© artes: Ori Toor


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, Vitor Paiva é doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores, publica artigos, ensaios e reportagens.