Ciência

Cientistas descobrem segredo do computador de mais de 2 mil anos

Vitor Paiva - 09/04/2021 | Atualizada em - 19/04/2021

A Máquina de Anticítera permanecia há mais de um século como um dos grandes mistérios do planeta até março desse ano: espécie de primeiro computador da história, o mecanismo com mais de 2 mil anos era capaz de prever na Grécia antiga o movimento dos astros e fenômenos astronômicos, e foi encontrado em um naufrágio no mar mediterrâneo em 1901. Datando como artefato da época do Império Romano, a máquina descoberta representa somente um terço do que era de fato o mecanismo, e seu funcionamento permanecia uma incógnita para cientistas e arqueólogos – uma nova reconstituição, porém, pela primeira vez responde às principais questões.

A Máquina de Anticítera

A Máquina de Anticítera, descoberta em 1901 © Wiki Commons

-Estatueta encontrada na Grécia teria sido presente a Zeus há mais de 2 mil anos

A nova reconstituição, realizada por cientistas da University College London e publicada na revista Scientific Reports, pela primeira vez buscou justamente determinar a totalidade da máquina e, assim, seu funcionamento. Parte da reconstrução se baseou em leituras em raio-x realizadas nos 82 fragmentos, com mais de 30 rodas e diversos discos, que compõem a máquina, que revelaram diversos textos com informações astronômicas no verso de um dos discos, cobertas pelos efeitos da corrosão – há inclusive uma detalhada descrição da posição dos astros nos céus de então.

A Máquina de Anticítera

Alguns dos 82 fragmentos que formam a A Máquina de Anticítera © Wiki Commons

-Primeiro vírus de computador veio antes mesmo da internet; entenda

Dentre os dados descobertos pelo raio-x, a inscrição de dois números foi fundamental para compreender que como a máquina funcionava, e a precisão de seus cálculos: representando ciclos de Vênus e Saturno em movimento, a máquina calculou os números de 462 anos e 442 anos corretamente. A partir de tal resultado, utilizando as teorias matemáticas já estabelecidas há 2 mil anos, os pesquisadores utilizaram uma espécie de engenharia reversa e, aplicando o mecanismo a outros planetas, puderam projetar novamente a mecânica do mais antigo e analógico computador que se tem notícia.

A Máquina de Anticítera reconstruída

Detalhes da reconstrução digital realizada pelo estudo © reprodução

Tecnologia do futuro na Grécia antiga

Ainda que explicada parcialmente, trata-se de tecnologia radicalmente avançada para a época, e o mistério sobre como os gregos chegaram a tal estágio com o que havia disponível então permanece, assim como a total ausência de registros similares na literatura arqueológica. Segundo consta, o funcionamento das engrenagens em bronze da Máquina de Anticítera é parecido com o de um relógio de pêndulo, incluindo encaixes milimétricos de tubos e outras mecânicas impressionantes para o período.

Frente da Máquina de Anticítera reconstruiída

Frente da Máquina de Anticítera reconstruída © reprodução

Detalhes da Máquina de Anticítera digital

Detalhes da Máquina de Anticítera digital © reprodução/Nature.com

-Este é o motivo de as esculturas gregas terem pênis pequenos

“A astronomia clássica do primeiro milênio antes de Cristo se originou na Babilônia, mas nada na astronomia sugere como os gregos antigos conseguiram calcular com alta precisão o ciclo de 462 anos de Venus e o de 442 anos de Saturno”, afirmou Aris Dacanalis, parte da equipe de pesquisa, em comunicado. “Trata-se de um avanço teórico fundamental”, complementou Adam Wojcik, coautor do estudo, a respeito do modelo construído digitalmente pelos pesquisadores, que pretendem agora torná-lo concreto: construir a máquina não digitalmente, mas em uma versão física e funcional. “Agora devemos provar que esse modelo é viável, reconstruindo-o na prática usando técnicas antigas”, concluiu Wolcik.

O verso da Máquina de Anticítera

O verso da Máquina de Anticítera © Wiki Commons

Publicidade

© fotos: créditos


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
Estudo diz que cérebro pode diminuir ansiedade e aumentar foco com envelhecimento