Reverb

Como fãs e algoritmos uniram Gilsons e Jovem Dionísio numa parceria (linda) entre músicos que nem se conheciam

Gabriela Rassy - 19/04/2021 | Atualizada em - 22/04/2021

Gilsons e Jovem Dionísio são duas bandas da nova safra da música brasileira. Mas apesar da sonoridade que produzem ser bastante diferente, os algoritmos passaram a unir as duas. Não só essa junção de dados, mas a vontade dos fãs que pediam uma parceria entre os músicos – que sequer se conheciam.

O trio Gilsons, formado por filho e netos de Gilberto Gil – José, Francisco e João Gil -, lançou seu EP de estreia, “Várias Queixas”, em novembro de 2019. Com o início da pandemia, passaram a soltar singles com outros artistas, como a deliciosa “Devagarinho”, em parceria com Mariana Volker.

Já a Jovem Dionísio é uma união entre os curitibanos Bernardo Pasquali, Rafael Duna, Gabriel Mendes, Bernardo Hey e Gustavo Karam. O grupo também começou os trabalhos em 2019 com o lançamento do EP “Dança entre casais”.

O que ambas têm em comum de saída é o fato de terem, atualmente, mais tempo de existência dentro da pandemia do que fora. O contato com os fãs mesmo acontece completamente online e rolam muitas expectativas sobre o que vai acontecer “quando tudo passar”.

“Foi interrompido muito no começo. A gente começou a banda, não deu nem um ano e começou a pandemia. Então, a gente fica muito divagando de como vai ser esse momento, de como vai ser os primeiros shows. Isso é muito maluco, a gente só fica eh criando cenários nas nas nossas cabeças”, diz Ber Pasquali.

Algum Ritmo em Comum

A conexão entre Curitiba e Bahia aconteceu muito pelos algoritmos e pelas redes sociais. Fran, dos Gilsons começou a seguir Ber Pasquali e daí passaram a conversar sobre como as plataformas uniram os trabalhos das bandas.

Os dois começaram a conversar sobre como muitos comentários no clipe da música “Devagarinho”, no YouTube, falavam sobre a Jovem Dionísio. “Tinham vários comentários pedindo um feat. – inclusive, os mais curtidos eram assim”, conta Karam.

“Feat.” ou “ft.” é a abreviação de “featuring”, que nestes casos é equivalente a “com a participação de”. É a famosa parceria.

Nesse papo, os dois começaram a conversar sobre o poder que o algoritmo tem de criar cenas hoje em dia. “Mesmo a Jovem Dionísio e os Gilsons não tendo uma estética sonora tão, tão semelhante, pra quem escuta Jovem Dionísio no Spotify, no YouTube, nas plataformas, provavelmente o algoritmo vai indicar alguma coisa dos Gilsons e vice-versa”, explica Karam.

Jovem Dionísio por @salmostarda

Jovem Dionísio por @salmostarda

Nessas conversas também, Fran já começou a brincar com a palavra algoritmo. “Ele pensou em ‘algo rítmico’ quando desmembrou a palavra algoritmo, veio pra ‘algum ritmo'”. A troca então começou e muito rapidamente surgiu a faixa.

“Fluiu super bem. A gente já mandou uma primeira versão pra eles de produção, daí começou o pingue-pongue, eles já voltaram contra outra parte de produção e a música foi nascendo assim”, diz Karam.

O Clipe

O clipe veio de um bate-papo do diretor Felipe Fonseca com a jornalista e produtora Rafaella Silva, responsável pelo argumento do vídeo. “Eles queriam abordar esse lance de encontrar o ritmo em comum de você consigo mesmo, que é uma realidade muito atual, principalmente nesse momento de quarentena, de você se entender e se reconhecer no mundo”, conta Ber Pasquali.

Sensível e poético, o clipe começa com um desabafo sobre metas e perceptivas pré-pandemia. Sozinha, a personagem principal vai se conectando consigo mesma e descobrindo como navegar nesse mar de sentimentos que estamos vivendo.

Com atuação de Adrielly Faria e direção de arte de Ana Bona, a construção do vídeo durou 6 meses entre “imersão, rodas de conversa, terapia e muito trabalho em equipe”, como descreveu o diretor de fotografia de Henrique Thoms no Instagram. “Sou muito grato por assinar a direção de fotografia desse projeto, de ter o privilégio de rodar em película e ter essa troca tão especial com cada pessoa envolvida”, escreveu Thoms.

Bastidores da gravação de "Algum Ritmo"

Bastidores da gravação de “Algum Ritmo”

 

O trabalho aconteceu todo à distância, já que as duas bandas só foram se conhecer depois que a música já tava pronta. “Todo o processo de criação, tanto clipe quanto da música, se deu com as duas bandas, nunca tendo se conhecido pessoalmente, só por zoom e por conversa de WhatsApp”, conta Ber Pasquali.

Assista aqui:

Publicidade

Frames de Algum Ritmo: Henrique Thoms


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.

Especiais


Warning: file_put_contents(/var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/cache/twitter-stream-hypeness.txt): failed to open stream: Permission denied in /var/www/html/wordpress/wp-content/themes/hypeness-new/functions/social.php on line 410


X
Próxima notícia Hypeness:
O samba de roda do Recôncavo em 3 vozes femininas negras